INSTITUTO EVANGÉLICO BEM DO BRASIL

O que é ódio?

Ódio

Ódio, do latim odĭum, é a antipatia e a aversão para com algo ou alguém. Trata-se de um sentimento negativo em que se deseja mal ao sujeito ou objecto odiado.

O ódio está relacionado com a inimizade e a repulsão. As pessoas tentam evitar ou destruir aquilo que odeiam. No caso do ódio relativamente a outro ser humano, o sentimento pode reflectir-se através de insultos ou de agressões físicas.

O que a Bíblia fala sobre Ódio?

Biblicamente falando, existem aspectos positivos e negativos ao ódio. É aceitável odiar as coisas que Deus odeia; de fato, isso é mais uma prova de um relacionamento correto com Deus. "Vós que amais o SENHOR, detestai o mal" (Salmo 97:10a). Na verdade, quanto mais próxima a nossa caminhada com o Senhor e quanto mais tivermos comunhão com Ele, mais conscientes seremos do pecado, tanto dentro como fora. Não nos lamentamos e queimamos com raiva quando o nome de Deus é difamado, quando vemos hipocrisia espiritual e a incredulidade flagrante e comportamento sem Deus? Quanto mais entendermos os atributos e amarmos o caráter de Deus, mais seremos semelhantes a Ele e mais odiaremos as coisas que são contrárias à Sua Palavra e natureza.

No entanto, o ódio negativo certamente tem a ver com o que é dirigido a outras pessoas. O Senhor menciona o ódio no Sermão da Montanha: "Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento..." (Mateus 5:22). O Senhor ordena que não só devemos nos conciliar com o nosso irmão antes de irmos diante dEle, mas que devemos fazê-lo rapidamente (Mateus 5:23-26). O ato de assassinato em si foi certamente condenado, mas o ódio é um pecado do "coração", e qualquer pensamento ou ato odioso é um assassinato aos olhos de Deus pelo qual a justiça será exigida, talvez não nesta vida, mas no dia do julgamento. Tão hedionda é a posição do ódio diante de Deus que diz-se que um homem que odeia está andando na escuridão, ao contrário da luz (1 João 2:9, 11). A pior situação é a de um homem que continua professando a religião, mas permanece em inimizade com o seu irmão. As Escrituras declaram que tal pessoa é mentirosa (1 João 4:20) e que ela pode até enganar aos homens, mas não a Deus. Quantos crentes vivem anos fingindo por fora que está tudo bem, apenas para se encontrarem amargurados por terem nutrido inimizade (ódio) contra um irmão?

O ódio é um veneno que destrói de dentro para fora, produzindo amargura que corrói os nossos corações e mentes. É por isso que as Escrituras nos dizem para não deixarmos que uma "raiz de amargura" cresça em nossos corações (Hebreus 12:15). O ódio também destrói o testemunho pessoal de um cristão porque o remove da comunhão com o Senhor e com outros crentes. Vamos ter o cuidado de fazer o que o Senhor aconselhou e não ter um espírito rancoroso sobre as coisas pequenas ou grandes, e o Senhor será fiel para perdoar, assim como Ele prometeu (1 João 1:9, 2:1).

O que leva uma pessoa a odiar a outra?

Sem dúvida, há dentro de cada pessoa o desejo de estar próximo ou longe de alguém que talvez nunca lhe tenha feito mal algum. Assim como existem pessoas que nunca vimos e sentimos como se fôssemos amigos há muito tempo. Já outras só de vê-las nos dá o desejo de ficar longe delas. O primeiro exemplo fala do amor cuja essência é a união com o outro. O segundo exemplo nos revela o ódio, cuja essência é a separação, o querer estar distante do outro. Essas duas realidades nos indicam que dentro de nós convivem dois lados: o amor e o ódio.

Amar e odiar é uma questão de liberdade. A decisão por uma ação ou por outra depende de cada um de nós. Cabe a você escolher em cada momento. Deus não faz acepção de pessoas. Na Canção Nova aprendemos uma receita para viver o que Jesus nos ensinou: “Pensar bem de todos, falar bem de todos, querer bem a todos” (São João Bosco).

Quando você odeia uma pessoa o que você faz?

Não importa se odeia alguém que o magoou ou que apenas faz coisas que o incomodam, é muito difícil deixar esse sentimento para lá. Se está remoendo o seu ódio, tente relaxar, respirar fundo e esvaziar a cabeça. Tudo bem não gostar de uma pessoa, mas é importante se esforçar para ser respeitoso e cordial, independentemente das diferenças. Conversar com ela pode ser útil, desde que acredite ser capaz de ter uma discussão calma e amigável. Não é preciso criar uma amizade, mas pelo menos tente resolver o conflito e se dar bem com o outro durante interações obrigatórias com ele.

O que fazer para se livrar do ódio?

  1. Distraia-se. Caso comece a remoer o ódio pela pessoa, tente se ocupar. Faça alguma coisa para se distrair caso não consiga tirar o sentimento negativo pelo outro da cabeça. Vá trabalhar, ouça música, faça um exercício, leia um livro, assista TV, qualquer coisa!
  2. Respire lenta e profundamente quando ficar nervoso. Experimente relaxar e eliminar os pensamentos nocivos quando começar a sentir a chegada deles. Inspire lentamente e conte até quatro. Prenda a respiração por mais quatro segundos e solte o ar contando até quatro novamente. Continue respirando fundo por um minuto e meio, ou até controlar seus pensamentos.
    Visualize imagens relaxantes enquanto respira, como uma praia paradisíaca ou um lugar confortável da sua infância. Imagine as emoções negativas indo embora conforme solta o ar.
    É difícil tirar o pensamento da cabeça quando uma pessoa nos magoa. Ainda assim, fazer uma pausa para clarear as ideias pode ajudá-lo a manter a calma e interromper o padrão negativo de pensamento.
  3. Escreva uma carta para expressar seus sentimentos, mas não envie. Escrever pode ajudar a liberar as emoções e organizar os pensamentos. Descreva o que a pessoa fez ou disse que o incomodou. Depois, rasgue ou queime a carta, liberando o ódio simbolicamente.
    Enviar a carta pode piorar a situação. É melhor jogá-la fora.
    A destruição do documento vai garantir que ninguém vai encontrá-lo por acidente.
  4. Desabafe com pessoas de confiança. Converse com um parente ou um amigo próximo para desabafar completamente. A perspectiva nova do outro vai ajudá-lo a entender melhor a situação como um todo. É melhor escolher uma pessoa de confiança, que não vai fofocar.
    Não desabafe em um ambiente no qual você interage com a pessoa que odeia, como o trabalho ou a escola. Se alguém ouvir, a história pode chegar até a pessoa em questão, e você será mal visto por isso.
  5. Peça ajuda para uma figura de autoridade. Se a pessoa o importuna com frequência, é melhor procurar ajuda qualificada. Todos precisamos de um ambiente seguro e livre de assédio, portanto, se a pessoa o incomoda proposital e repetidamente, você provavelmente precisará de apoio externo. Explique os fatos da história, conte o que fez para tentar resolver e mostre como isso o afeta. Tenha tato, seja claro e foque nos fatos. Depois, peça ajuda.
    Exemplo ruim: "O Marcos é um porco elitista e eu não vou mais aturar isso! Parece que ele tenta me humilhar de propósito, e está sempre me criticando na frente de todo mundo. Preciso que faça alguma coisa a respeito!"
    Bom exemplo: "Estou tentando me dar bem com o Marcos, mas não está funcionando. Normalmente, quando mostro meu trabalho, ele faz uma lista de críticas para o escritório inteiro ouvir e me deixa sentindo humilhado. Por conta disso, não estou mais aguentando vir trabalhar. Eu nunca vi ele fazer isso com mais ninguém, e já pedi para me criticar em particular, mas ele se recusa. Não sei mais como resolver isso e preciso de alguma ajuda."

O que fazer com a pessoa que ódeia você?

O que podemos fazer para evitar o ódio em nosso adversário? Sabemos que jamais iremos suprir as expectativas do outro, mas podemos evitar o sentimento aversivo de como iremos tratar e agir. Procure sempre se colocar no lugar do outro, pense como você gostaria de ser tratado e haja da forma que você gostaria de ser tratado e recebido também! Quando houver este sentimento a dica é sempre buscar ajuda, falar com pessoas que já vivenciaram este sentimento, que possuem os mesmos valores e que podem te ajudar com propriedade a amenizar esses impactos; outra sugestão é a terapia psicológica, que ajudará na distinção deste comportamento e outros sentimentos que podem vir a surgir.Com essa ajuda você conseguirá liberta-se deste sentimento inoportuno!

Lembre-se: O ódio nunca é gratuito.