Deus é Sabedoria  

INSTITUTO EVANGÉLICO BEM DO BRASIL
Rodando Estudo Bíblico

Estudo Bíblico: Israel e a Bíblia

Ainda há um plano divino para Israel?

Sim, absolutamente, a Bíblia é muito clara sobre isso. O que a Bíblia diz sobre Israel? Vamos ver nos livros Bíblicos de Apocalipse e Ezequiel. Começamos em Apocalipse 6, aqui torne-se abrindo os 6 primeiros selos. No versículo 4, lemos que a paz da terra é levada embora. Acho que nós todos ver que a bela paz na Terra começa a desaparecer: rebelião contra os pais, o crime leva guerra enorme (em parte devido as drogas), após a guerra da segunda guerra mundial: Coréia, Vietnam, Iraque, Irlanda do Norte, as guerras na África, na Jugoslávia, Ambon e Síria.
No entanto, os selos ainda não se cumpriu, mas podemos ter certeza de que isso vai acontecer. Após o cumprimento destes 6 selos e infortúnios, começa o Apocalipse 7.

Assim, os judeus (os selados de Israel), que vão proclamar o Reino de Deus. Na 2ª Guerra Mundial os judeus já têm um número no seu braço, mas até hoje eles não recebem um carimbo na testa, conforme descrito em Apocalipse 7 versículo 3. Isso também é certo, porque primeiro os 6 selos de Apocalipse 6 precisa se abrir e cumprido.
Depois, os judeus vão proclamar o Reino de Deus (a Igreja de Jesus Cristo então está já no Céu 1 Tessalonicenses 4:15-17). Eles vão proclamar a todos os povos em todo o mundo, é por isso que eu acredito também que os judeus permanecerão dispersos entre as Nações, e não todos os judeus retornará ao estado de Israel.
144.000 judeus
Depois dos 144.000 judeus proclamaram o Reino de Deus, são todas as pessoas conscientes de Deus, que vive no Céu, e todos os seres humanos podem tomar uma escolha diante de Deus ou contra Deus. Em segue Deus mostra o Seu poder para a humanidade, conforme descrito em Apocalipse 8 e 9.

No Apocalipse é o templo reconstruído em Jerusalém (templo conforme descrito em Ezequiel 40-42), isso ainda não aconteceu. Mas isso significa que o próprio Deus fará cuidar que os palestinos não podem segurar Jerusalém. O próprio Deus cuidará que o templo de Jerusalém será reconstruído. Isso é o futuro e é um fato.
No versículo 2 do Apocalipse 11 nós lemos que os gentios, talvez sejam os muçulmanos e palestinos, vai ser pisados a cidade santa de Jerusalém durante 42 meses, ou 3 1/2 anos. Isso é um motivo para nós cristãos para interceder pelos judeus, que Deus protegerá os judeus neste período difícil de 3 1/2 anos.
Deus envia 2 Testemunhas
Após este 3 1/2 os anos, o Deus envia duas testemunhas:
Verso 6 fala de: "o poder para fechar do céu". Em Reis 17:1, lemos que Elias teve o poder de fazer chover ou não. Sabemos que Elias não morreu ( ascendeu ao céu), portanto, parece plausível que uma dessas duas testemunhas é Elias. Quem é a segunda testemunha. Isso é fácil de adivinhar: Moisés tinha poder sobre as águas e todos os tipos de pragas, como ele demonstrou isso ao Faraó no Egito. Também Deus tirou Moisés da terra.
Estes 2 testemunhas proclamam com autoridade de Deus e com grande demonstração de poder, os sinais do Reino de Deus, a fim de convencer o povo na terra que Deus realmente existe. Não há escapatória para o homem, eles vêem o poder e a força de Deus que mora no Céu. São Moisés e Elijah que aparecem no monte com Jesus (Mateus 17:1-5).
Mas no versículo 7, as 2 testemunhas tornem-se matarado e no verso 8, lemos que os seus corpos serám deitado na cidade grande, onde seu Senhor (=Jesus) foi crucificado, em Jerusalém.
Versículo 9 disse que todos os povos e nações vão ver estes corpos mortos. Não precisamos ser surpreendidos, afinal de contas, com os meios atuais de comunicação é possível. Mesmo os mais pobres do mundo têm uma tv. E já agora de todos os povos e nações ver 24 horas por dia o muro das lamentações em Jerusalém, através da Internet. E já há acesso à Internet na televisão. Muitas pessoas têm um celular com internet e social media. Então lentamente mas seguramente, vemos tudo realidade.
Depois de 3 1/2 dia Deus desperta-los de morte e vê o mundo que as 2 testemunhas dos mortos ser animado e ir para o céu. Isto é tão futuro, bem como versículo 13, onde um grande terremoto destruiu um décimo da cidade de Jerusalém (imagine a fratura perto de Jerusalém).

Como nós vemos os Judeus atuais e a nação Israel?

Vamos ver o que Ezequiel 37 diz sobre isso. Versículo 7 fala do sopro: Os gritos dos judeus em 1945, para retornar à Palestina. Movimento: os judeus tempos realmente voltar à Palestina. Combinam os ossos: os judeus de todo o mundo em massa de volta para a Palestina e chama em 1948 o estado de Israel. Aprovado pela ONU.
Versículo 7 músculos, carne e pele: mais e mais judeus de todo o mundo ir para o estado de Israel, mas uma fé verdadeira em seu Deus não está lá. É muito liberal e na própria força é lutar contra os inimigos, e sem a ajuda de Deus, sim até que os judeus tentam fazer uma paz em troca de terra. Isso é verdadeiro com o verso 8, que diz que o espírito (de Deus) não tinha ainda sido neles. Ainda os judeus de Israel pensam que eles propriamente são capazes de fechar paz, e sem reconhecimento que Deus é o Deus deles. Vêem-se como o povo judeu, mas especialmente entre os jovens há abuso de drogas, libertinagem e sem adoração e reconhecimento de Deus. O Messias não vive para eles e há nenhum senso de pecado. O espírito de Deus ainda não está nos judeus. O que também não é surpreendente, porque o Espírito de Deus (Espírito Santo) vive agora na Igreja de Cristo.
Somente após a Vinda de Cristo para a Igreja e a Igreja de Jesus Cristo é tirada da terra (1 Tessalonicenses 4:15-17), só então, o espírito de Deus vem sobre os judeus. Então, Deus ainda tem um plano e futuro firmemente com o povo judeu, sim ainda mais grandioso do que com os cristãos. Depois que todos os judeus vão mostrar o poder de Deus e proclamar o Reino de Deus sobre TODA a terra.
Em seguida, começa a 1ª parte da Grande Tribulação: 3 1/2 anos (Apocalipse 11:2) e começa com os 144.000 judeus (Apocalipse 7:4).
A Besta em Apocalipse 13
Depois disso 3 1/2 anos são as 2 testemunhas matadas e fica em pé a Besta em Apocalipse 13, durante a 2ª metade da Grande Tribulação 3 1/2 anos de luta contra os 144.000 judeus que proclamar o Reino de Deus na terra. A Grande Tribulação total dura 3 1/2 + 3 1/2=7 anos.
No final da Grande Tribulação todos os povos e Nações puxam contra Israel e acontece a batalha do Armagedom (Apocalipse 16:16) e o Messias, o Rei Jesus, vire ao auxílio os judeus de construído e Ele Mesmo luta contra os povos e nações (Apocalipse 19:11-16) e coloca Seus Pés sobre o Monte das Oliveiras (Zec. 14:2-4).

Deixe-nos orar para a nação judeu, e especial para os Judeus em Israel, porque estão esperando ainda 7 anos terríveis de Grande Tribulação.

Os cristãos e Israel

Qual relação tem os cristãos com o povo judeu ?

Uma relação muito próxima, ou seja uma base dupla. Em Mateus 1, encontramos a genealogia de Jesus, e nós lemos que o nosso pai (mental) é Abraão (Mateus 3:9 Nós temos Abraão como pai) (Romanos 4:9-25 torna claro que Abraão é o pai dos gentios, que vêm a fé). O Senhor Jesus nasceu de judia Maria, assim nossa mãe é Judia.

Nossa salvação devido ao povo judeu. No momento nós, crentes, somos aqueles que estão enxertadas no judeu Oliveira (Romanos 11:11-24). Alguns ramos são removidos para que os gentios acreditem no Senhor Jesus Cristo, mas a raiz continua a ser judeu. Uma árvore sem raízes morre. Apesar de seu repúdio (verso 15 de rejeição) permanecem os judeus o povo de Deus hoje e também algumas vem a fé no Senhor Jesus Cristo.

Conclusão: os cristãos têm sua salvação devido ao povo judeu, eles são nossos "pais", com Maria como "mãe" e o Senhor Jesus Cristo como o "pai", ambos são judeus. A Bíblia diz que nós precisamos honrar nossos pais, assim também como cristãos temos que defender os judeus e o estado de Israel.
É, portanto, nosso dever de orar para o povo judeu e por esses tempo terrível quando atravessamos os judeus na Grande Tribulação.

São os judeus rejeitados ?

A Bíblia diz em Romanos 11:15 que a rejeição por Deus, tornou-se nossa salvação. Mas cuidado, com a rejeição e recusa. Não obstante, fica o povo de Deus!

Deus passou os últimos anos 1900 (após a destruição do templo em anúncio de Jerusalém 70) concentrados-se sobre os gentios. No entanto, durante este período alguns judeus vêm a fé em Jesus Cristo. Isso não é surpreendente, porque nem todos os ramos foram quebrados de Oliveira (Romanos 11).

Agora estamos vivendo no fim dos tempos, a Vinda de Senhor Jesus Cristo (1 Tessalonicenses 4:13-18) está próximo, embora nem sabemos o dia a hora (Mateus 24:36 e 25: 13), Jesus chama os crentes para ser vigilante. Dos sinais do tempo, os crentes sabem que a Vinda de Senhor Jesus Cristo está perto.

Porque nós sabemos que vivemos no fim do tempo ?

Primeiro, há a Israel que existe de novo

E foi fundada em 1948 (cumprimento de Ezequiel 37:7, 22). Em 70 d.C., o templo de Jerusalém foi destruído e os judeus foram espalhados por todo o mundo, estavam incluídos nos povos (mas com a característica típica de um judeu, eles ainda diferenciavas), agora desde 1948 Deus traga de volta seu povo, os judeus, para a terra prometida, o estado de Israel. Em 2008 foi celebrado o 60º aniversário de Israel. Isto está previsto em Ezequiel 37:21, 22a Dize-lhes, pois: Assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu tomarei os filhos de Israel de entre as nações para onde eles foram, e os congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra. E deles farei uma nação na terra, nos montes de Israel.

Também é um cumprimento de Ezequiel 37:5-14, a partir de 1948 vêm de todas as partes do mundo, os judeus de volta para o estado de Israel: os ossos, os músculos já estão lá e a pele está crescendo (versículo 5-8), mas o espírito ainda não está lá em-los. Os judeus que ainda fazem sob seu próprio poder, sem arrependimento a Deus (o Pai e o Messias). A fortaleza de judeus ainda presa à lei, eles ainda pensam que o acesso à lei através do respeito do Senhor Deus é possível e que os outros vêem o Senhor Deus como amor, que ninguém irá condenar. Ainda não há nenhum senso de pecado. Também no momento da vida de Jesus na terra eles não queriam saber nada de pecado. Portanto, é a tarefa dos cristãos (seus pais espirituais) para levar o Evangelho, para convencer de pecados e redenção através do sangue da redenção e da reconciliação, para o Senhor Jesus Cristo realizou. É o dever dos cristãos a cooperarem na proclamando a obra do Senhor Jesus Cristo.
Agora em 2008 o estado de Israel celebrou os 60 anos de existência. Depois de muitas guerras de forma independente (sem a ajuda de Deus) agora procura a paz com seus vizinhos. O espírito de Deus ainda não está presente. Que só serão feitos após a Vinda de Cristo (1 Tessalonicenses 4) e a Igreja levantou no Céu. A Grande Tribulação (Apocalipse 5-19) começa e o Senhor Deus totalmente vai continuar com seu povo, os judeus. E os judeus (os 144.000 de revelação 7:4) vão proclama o Reino de Deus para aqueles que são deixados para trás na terra (todos aqueles que não aceitaram Jesus Cristo como seu Salvador pessoal).

Em segundo lugar, a ilegalidade cresce, satanás ganha cada vez a ilegalidade.

O homem busca refúgio na libertinagem, drogas, swingers, sexo livre, raves, etc. O homem está ficando mais tolerante em relação a pecado: aborto, homossexualidade, casamentos entre homossexuais. O crente é astúcia enganou o ioga nas igrejas e pesquisando em magnetismo e acupuntura para a cura. Homem é arrancado a fé cristã ao islamismo, Budismo, todos os tipos de seitas, ocultismo.

É claro que vivemos no fim dos tempos. Os judeus, quem acreditar no Senhor Jesus Cristo como seu Salvador pessoal com os crentes dos gentios na (primeira) Vinda de Senhor Jesus Cristo vai para o Céu. Eles não passarem por essa terrível Grande Tribulação.

Os judeus, que não pertenciam à fé no Senhor Jesus Cristo vão ficar para trás e passam num tempo terrível. Ai o judeu, que eles serão perseguidos pelo Anti-Cristo (1 João 2:18-22) e serão martirizados, mas também o Senhor Deus los protege e não ser mortos, para que eles vão proclamar o Reino de Deus e o Messias. Todos os povos e nações serão eventualmente aproxima-se o estado com o objetivo de destruir Israel. O Senhor Jesus Cristo será pessoalmente vá e irá (na sua segunda Vinda) colocar Seus Pés sobre o Monte das Oliveiras e salvar seu povo e o estado de Israel e traga paz final em Israel.

Agora estamos vivendo no fim dos tempos, os crentes ainda vistos os sinais do tempo, nós temos pouco tempo para proclamar o Evangelho aos nossos vizinhos, que ainda são incrédulo e para o povo judeu. Nós não podemos virar nossas costas aos judeus e o estado de Israel. Sim, é o dever de cristão para proclamar ao povo judeu e o estado, e defender o estado Israel. Apesar de tudo, Deus continua com seu povo (judeu). Portanto, nós, cristãos, não cessamos e precisamos defender o povo de Deus, os judeus e o Estado judaico de Israel.

Por que orar por Israel ?

Alguns exemplos históricos de perseguição dos judeus pelos crentes:

1oPrimeiro em relação de judeus messiânicos:

Inicialmente vieram crentes (judeus e gentios) na véspera do dia da Ressurreição (assim sábado) ou no início da manhã (domingo). No 2º e 3º século foram lá para votar no domingo como um substituto do sábado. A marca, que o antigo Israel foi substituído pelo novo Israel espiritual, a Igreja. Chamado o Imperador Constantine em 325 o Concílio de Niceia, conheceu e tornou-se o dia do Deus Sol (Dominus Sol), o dia oficial de descanso. Em 365 foi sobre o Conselho de Laodiceia (a cidade dos cristãos mornas) este dia de descanso mandatado para todos os crentes e a maldição foi pronunciada sobre todos, que ainda manteria o sábado. Outro ponto de ruptura; a data da Páscoa. Inicialmente a Igreja celebra Páscoa no mesmo dia como os judeus, a Páscoa celebra-se, então o dia que Deus tinham criado para Israel. No 14º Nissan (Nissan=o mês que deixou os israelitas do Egito) tinha para os judeus à noite o cordeiro da Páscoa massacrar, como tipo do cordeiro da Páscoa, que no mesmo dia na Cruz do Calvário foi abatido. Este dia é chamado no evangelho, o dia da preparação. No 15º Nissan começou do que os sete dias de festa dos pães ázimos. Mas o antigo Israel tinha dispensado e queria uma pausa então com tudo que era judeu. Tinha que haver um dia de acordo com o calendário próprio, separado da Páscoa judaica. No mesmo Conselho de Niceia, foi decidido que a Páscoa foi a doravante ser comemorado no domingo da festa de Ishtar, a deusa pagã da fertilidade, do calendário, o primeiro domingo após a lua cheia depois do dia de primavera, dia 21 de março. No Tanakh encontra este nome como Astarte, deusa da fertilidade dos fenícios e foi chamado para os babilônios e os assírios Ishtar.
Justificativa: Seria indigno dele, que estamos nesta festa sagrada iria seguir o costume dos judeus, que têm manchado as mãos com o crime mais atroz e espiritualmente cegos. Na sequela, não queremos nada mais em comum com o povo inimigo dos judeus!!!
No Conselho de Antioquia, em 341 fez saber, que todo aquele que não realiza-se a este acordo iria ser excomungado. Isto como apenas dois exemplos, como um historicamente, o ciúme, sobre o qual Paulo fala, tem aplicado na história da Igreja e tem os crentes dos judeus na verdade usaram para dirigir a igreja com isto. Mas um tirou o judeu não são apenas sábado, Pessach, mas também a sua aliança com Abraão, que é um eterno ou prefere um pacto dos séculos foi, assim, um pacto que se aplica a todas as 'idades' ou dispensações, com a promessa que Deus como uma bênção para a terra de Canaã toda a semente de Abraão dava uma possessão perpétua. No convênio batismal um canta: "a Aliança Abraâmica seu amigo, ele confirma de criança para criança". Esta aliança tem a ver com a semente natural de Abraão e a terra de Canaã. O assim chamado Pacto batismo abandonando a semente natural de Abraão, para as sementes espiritual decepciona no lugar e coloca os crentes como semente espiritual sob esta aliança. E foi isto agora mas permaneceu, mas o sinal deste pacto não para caber essa semente espiritual de Abraão, mas faz a mesma coisa como no sábado, um retorna às raízes Antigo testamento e encaixa os sinais para seus filhos. Agora, aqueles que receberam assim chamado o sinal deste pacto não são a semente espiritual. Mas claro, a semente da semente espiritual de Abraão, um algum estranho 'salto triplo' raciocínio. Sugere-se que Paulo diz, que a aliança no seu tempo já ultrapassada e não muito longe do desaparecimento foi, mas também não lê bem sua Bíblia, porque é isso que se trata o Pacto da lei, que Deus tinham celebrado com Israel no Sinai e não sobre o pacto 'do século' com Abraão. O que ele faz na verdade é, que o judeu como a semente de Abraão, as bênçãos do presente Pacto, assim também os direitos à terra que Deus havia prometido como uma possessão perpétua e as bênçãos para a nova semente espiritual de Abraão. A aliança com a semente natural, portanto, teria demitido !!??
Não há nada tão alienou judeus fiéis do evangelho como a teoria do Israel espiritual, que se aplica exclusivamente as bênçãos sobre a Igreja e a maldição de Israel unilateralmente para deixou e é o chamado Pacto batismo não é diferente de um corolário desta teoria.

2aSegunda em relação de judeus ortodoxos:

Algumas citações do livro famoso de Werner Keller, '... E que foram espalhados entre todas as Nações', que tal dois mil anos terríveis perseguições dos judeus descreve e é dedicado 'a todos, que a verdade está perto de seu coração' (Se você tiver nervos fortes, eu posso recomendar vivamente este livro). Em 315 os judeus as primeiras restrições são impostadas. Sob pena de morte queimando viva é proibida entre os cristãos a adquirir seguidores 'se alguém se juntar a sua seita malvada ou participar de suas reuniões, ele passará por seu merecido castigo'. No Codex Theodosianus, os judeus recebem o carimbo de ' seita perniciosa "e"grupo criminoso".
Perseguidos tornem-se agora perseguidores. O conhecido pregador Chrysostemos (a boca dourada) usado suas pregações para difamar os judeus como: 'quando alguém chama-se as sinagogas casa de prostituição, um lugar de pecado, um refúgio do diabo, Castelo Satanás, uma ruína para a alma,... em seguida, ele ainda diz menos do que merecem. Que tal uma língua da boca de uma autoridade eclesiástica, a queima de sinagogas (e seus líderes e visitantes) não estava longe, disse claro. O historiador Heinrich Graetz escreve: 'os credos de ódio para judeus (dos pais da igreja), mais tarde da a mão para reis, estadistas e monges, cruzados e pastores uma arma contra os judeus, para inventar seus instrumentos de tortura e piras instalada.
Depois vêm as cruzadas: em rota para a Terra Santa as sinagogas são queimadas, todas as comunidades judaicas são dizimado, eles estão sendo mortos, queimados (As primeiras piras funerárias não foram dirigidas contra os crentes durante a reforma, mas contra os judeus). Em 15 de julho de 1099, após um cerco de seis semanas Jerusalém é apertado e os 'Francos' sob a liderança de Godfrey de Boullon assaltam a cidade. Todos os habitantes não-cristãos torne-se mortos sem distinção. Também o fato de que estes assassinos adornavam suas roupas com cruzes e tonam cruzes de madeira na mão para matar civis, deixou uma impressão indelével sobre os judeus. A Cruz é detestada pelos judeus desde tempo e então tem, para muitos, o mesmo significado que a suástica do nazismo. Na Alemanha em 1286 de repente apareceu em boato, que os judeus iria roubar hóstias para este ódio contra Cristo para trepanar ou em um esmagamento de fibra. Isto levou a terríveis massacres entre os judeus. Em Wurtzburg permaneceu dos mais de mil habitantes judeus apenas alguns na vida. 164 municípios judaicos foram vítima de terríveis banhos de sangue, 20.000 foram horrivelmente assassinados. Neste momento as lamentações nas sinagogas, que eram cheios de sofrimento e tristeza e recordar o dia presente este martírio. Nos séculos seguintes, eles estão violentamente perseguidos. Em seguida vem o Luther, quem tenta-los converter ao cristianismo. Como ele que falha, faz sua benevolência inicial, lugar para antipatia e ódio. Em 1538 sua carta 'contra o pais de sábado' e em 1543 publicou seu 'Dos judeus e suas mentiras', acusando-os de ritual de assassinato, envenenamento de fontes, bruxaria e traição contra o Império e conclui: 'O que os cristãos fazemos com esta corrompido, maldito povo dos judeus'? E o que ele escreve é mais tarde utilizado pelos nazistas como uma justificação para o abate de 6 milhões de judeus. Se você leu tudo isto, fica pra mim a questão tortuosa: 'Oh Deus, o que nós fizemos-lhes em nome de seu filho Jesus'?

Em 1478 o Papa concede a permissão de monges para configurar uma inquisição especial na Espanha. Os judeus devem ser batizados e renunciar à sua fé. Que se recusou a converter foi queimada e quem optou pela abjuração não foram queimados, mas se afogou. A Inquisição deixou um rastro de terrivelmente depois e tudo isto 'em nome de Cristo'. Milhares deixaram sua vida nas Piras.
Finalmente, colocámo-los em guetos, cidade murada, onde constantemente expostos à discriminação e perseguição. Eles tinham sob o 'Meia-lua' uma vida melhor do que sob a chamada Europa Crista. Em seguida nos anos 30 vem os romeiros com o 'Holocausto', a 'solução final da questão judaica' a primeira ação planejada para erradicar completamente um povo, organizado pela Alemanha 'crista'. Os judeus usam o nome melhor 'shoah' que significa 'inútil destruição' um significado que indica exatamente, o que isto significava, porque era não só uma destruição oficialmente orquestrada, mas também foi inútil.

Também o povo holandês realmente não para se vangloriar de nossa atitude, porque estes são apenas alguns cristãos, que deram-lhes, na maior parte ter posto de polícia e cumpridor funcionários holandês colaborou para isto. E a pior parte para mim, que alguns cristãos declararam algumas reformatórios declaram com: "Os judeus disseram: 'Seu sangue ser sobre nós e nossos filhos'". E isso por eles, onde domingo no domingo é lido 'a lei'. Deus diz nas dez mandamentos (Êxodo 20:5-6): Eu, JHW, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam os meus mandamentos. Fala-se do 3a 4a geração e isso não é substituído por 30a ou 40 a geração e implica esta atitude, que todos os judeus iria odiar Deus então???

O fato, que foram os judeus, que crucificou Jesus, tem-los processado por todos séculos. Eles iam conjeturados, que todos acordam com a sua morte, enquanto na noite os líderes judeus Lo pegaram por medo de rebelião entre as pessoas. Os judeus iam conjeturados que todos odio-Lo, embora muitos deles nunca sabiam da sua existência durante séculos, muito menos, que eles odeiam Ele.
Pilatos e JesusEsteve o presidente de Israel, Pilatos, o PAGÃO, quem Jesus julgou até a morte de cruz. SOMENTE ele teve a força para crucificar. Mesmo avisado pelo sua esposa, não crucifica Jesus, ele esteve tão covarde e medroso por revolta, que ele da comissão para crucificar o Senhor Jesus Cristo. Não o Judeu é culpa, mas o pagão Pilatos, e com isto nós pagãos.
Acima deste, gente passa ao fato que esteve a Vontade de Deus que Jesus morre no cruz. Pela morte Dele, a punição de pecado é tirado para o crente. Assim, cada crente é CULPA á morte de cruz de nosso Senhor Jesus Cristo. Cada pessoal, e nenhuma culpa de povo Judeu. Sem a morte de cruz de Jesus, esteve também NÃO reconciliação com Deus o Pai !!!

Quando visitei o Museu do Holocausto em Jerusalém, nosso guia judeu não foi conosco, ele apontou-nos apenas o lugar onde estava o Museu. Por que? Ele era um sobrevivente do campo de Auschwitz e sobrevive as experiências horríveis dos nazistas por anos. Antigamente ele trouxe as pessoas para o Museu do Holocausto, mas ele não poderia trazer mais porque 'cristãos' disse que a morte dos 6 milhões de judeus na segunda guerra mundial foi uma punição pelo assassinato de Jesus e os judeus tinham dito que o sangue de Jesus sobre eles viriam. Para mim, esses tipos de pessoas não são cristãos! Eles tem nenhuma de consciência de culpa. Como eu já escrevi antes, Deus não visita a 30a ou 40a gênero e foi o covarde pagão Pilatos que ordenou para crucificar Jesus. E não por um grupo de judeus. Os cruzados mataram os judeus, um pequeno grupo e, portanto, que seria séculos mais tarde que toda a população holandesa é culpada? Pode que um pequeno grupo de judeus despertados pelos líderes judeus, não como a toda a população. Este tipo de pessoas que fazem, tais afirmações não são cristãos. Eles não têm qualquer consciência da obra de Jesus na Cruz. O sangue Dele, que traz o perdão por nossos pecados!
Mas vamos nos lembrar, Jesus morreu na Cruz por meu e seu pecado. Conclusão: Eu e cada crente individual (=cristão) pregou Jesus na Cruz. É culpa do nosso pecado que Jesus morreu na Cruz. E NADA de judeu!

Termino com alguns versos do Tanakh e isso pode nos fazer pensar:
Jeremias 30:11 “Porque estou com você e salvarei” diz o Senhor. Destruirei completamente todas as nações, entre as quais Eu o dispersei; mas a você não destruirei completamente. Eu o disciplinarei, como você merece. Não o deixarei impune.
Obadias 13-15: Não devia ter entrado pelas portas do meu povo no dia da sua calamidade, nem devia ter ficado alegre com o sofrimento dele no dia de sua ruína ... nem ter entregado os sobreviventes no dia de sua aflição. ... Como você fez, assim lhe será feito. A maldade que você praticou, recairá sobre você.
Só há uma forma de salvação para os judeus e gentios, que atravessa a Cruz de Cristo, mas temos este caminho para eles ter escurecido e esta cruz em um símbolo de ódio, perseguição, assassinato e destruição. Portanto, nós mensalmente juntos, ou Deus esta escurecida por nós Cruz para Israel deve fazer um símbolo de salvação e de esperança e de professar que nós neste amargo falharam.

Nossa oração aqui deve ser: SENHOR, DEVEMOS RECONHECER QUE NÃO TEMOS APENAS OS CONDENADOS JUDEUS, MAS ELES AINDA TÊM ESSAS PERSEGUIDOS E MORTOS.
NÓS NÃO ATAM COMO DISCÍPULOS DE JESUS. NÓS ESTAMOS DESOBEDIENTE A SUA PALAVRA, QUE DIZ: “QUEM DIZ SER A LUZ MAS ODEIA SEU IRMÃO, ESTÁ NAS TREVAS ATÉ". NÓS TEMOS TORNO A CRUZ DA SALVAÇÃO EM UM SÍMBOLO DO ÓDIO E DA MORTE E NÓS HUMILHAMOS INTENSO E PEDIMOS PERDÃO, Á VONTADE DE JESUS PARA ISSO DEU SUA VIDA NA CRUZ POR NOSSOS PECADOS.

ROMANOS 9:1-29 ELEIÇÃO E DEMISSÃO

INTRODUÇÃO:

Os capítulos 9, 10 e 11 são um longo parêntese no discurso de Paulo na carta romanos. Esses capítulos tratam os caminhos de Deus com seu povo escolhido, Israel. No Antigo Testamento, Deus tinha prometido repetidamente que abençoaria seu povo sobre outros povos. Deus tinham Abraão justificado pela fé, e este caminho da justificação pela fé foi aberto para qualquer um que, como Abraão, acreditava em Deus. Como fez isso então, que os descendentes de Abraão recusaram-se a aceitar o Evangelho? Não era um paradoxo, que a nação, que recebeu muitos privilégios e bênçãos, não reconhece o Messias, quando Ele veio na terra, havia rejeitado-Lo e até mesmo os gentios, que, no passado, foram alienados pelo Evangelho, aceitam justamente esta mensagem de graça? Como são a escolha de Deus de Israel e sua promessa de abençoar o mundo através de Israel para conciliar com a rejeição do Evangelho pelo Israel? Deus rejeitou o seu povo e Ele se tornar infiel de suas promessas com Israel? Esses três capítulos que Paulo está lutando com esse problema, que para ele significava um grande cuidado pessoal. Vamos aprender que Deus tem de lado temporariamente o Israel e agora acumula novas pessoas de judeus e gentios juntos: sua Igreja. Agora Deus está no processo cria um povo para Seu nome dos gentios (Atos 15:14-18). A rejeição de Israel, no entanto, é temporária. Após o arrebatamento da Igreja, Deus voltará para seu povo Israel usar eles como canal de suas bênçãos para os restantes pagãos.
Vs. 1-3: Nestes versos Paulo explica seu grande amor por seu próprio povo, ele tinha um grande inteligente e uma dor de cabeça dura, porque seus irmãos segundo a carne, apesar de seus muitos privilégios a mensagem da salvação não podia ou queria entender.
Vs. 4-5: Depois de ter descoberto seu coração, agora Paulo sustenta com argumentos claros, porque seus irmãos na carne, na verdade não perder a salvação no Senhor Jesus e Paulo menciona oito privilégios, que eles já havia tido como povo de Deus:

  1. A adoção de filhos. Êxodo 04:22, Israel como povo compartilhado nos direitos da filiação de Deus.
  2. A shekhinah glória, a glória de Deus no Tabernáculo de Moisés, o templo de Salomão e sua presença no pilar de nuvem. Deus viveram entre eles.
  3. As alianças. PERGUNTA: QUAIS SÃO AS ALIANÇAS QUE DEUS FECHOU COM ISRAEL?
    1. A Aliança Abraâmica com a circuncisão como um sinal,
    2. A aliança do Sinai (Ex.19-30),
    3. A pós-diáspora aliança (Deut 30.1-9),
    4. A aliança com Davi (2 Sam 7.5-29) e
    5. A nova aliança (Jeremias 31.31-34 e Hebreus 8.7-13).
  4. A Legislação. PERGUNTA: A QUEM TEM DADA DEUS A LEI?
    Como nação única, Israel tinha recebido uma lei escrita de Deus, a Tora são as Palavras de Deus que comprometeram os judeus (Rm 3.2).
    NOTA: Não há nada na Bíblia, que a lei foi dada à Igreja. A lei, melhor dito 'os dez mandamentos' em certas igrejas ainda é ler como a lei para a igreja. E a lei é imposta, tem a ver com o fato, que a Igreja como 'Israel', mas o mental é biblicamente incorreta.
    Os Dez Mandamentos deixem o cristão ver claramente que é um pecador e precisa perdão pelo sangue do Senhor Jesus Cristo. O cristão pode com cair e fica de novo em pé pelo poder e ação do Espírito Santo, manter os DEZ Mandamentos.
  5. Adoração, serviço no Tabernáculo e o serviço do templo. Este serviço será restaurado em paz vem em forma mais gloriosa, que é descrita em detalhes em Ezequiel.
  6. As promessas. Deus promete relativas a redenção está incluída na Aliança Abraâmica e as promessas sobre o reino messiânico está incluído no convênio com o Davi. Promessas, que muitas vezes são erroneamente anexadas como herança cristã. O evangelho é pregado, isso não é uma promessa, mas uma proclamação da salvação, é para ser acreditado, que não é nenhuma mensagem para os povos, mas para as pessoas das nações. Israel como uma nação é a portadora de inúmeras promessas de Deus.
  7. Os pais, Abraão, Isaac e Jacó. Além disso, todos os grandes homens de Deus, Moisés, Josué, Samuel, Davi e todos os profetas, para que Deus tem falado e promessas de recuperação têm dadas.
  8. Deles é o Cristo. Jesus Cristo foi a prometido 'semente de Abraão' e é 'filho de Davi'. Ele era um judeu, portanto, a salvação dos judeus e mais uma vez, voltará como o rei dos judeus.

Versículo 6: Na primeira vista seria justificada a conclusão de que o plano de salvação de Deus com Israel por sua rejeição do Messias está bloqueado e as promessas ao Abraão ficam não cumpridas. Este meio não, Paulo diz, porque não é possível, que expiraria a palavra de Deus – isto é então excluído.
Agora, temos de distinguir entre:
1a A Palavra de Deus no sentido de Seu eterno decreto, que estabeleceu.
As promessas a Abraão são promessas incondicional, as decisões do Conselho de Deus, que não foram quebradas. João 10:35 a escritura não pode ser quebrada.
2a A palavra de Deus no sentido da sua mensagem de salvação ao homem individual, que somente ao longo do caminho de fé e arrependimento pode ser obtido. Lemos em Hebreus 4:2, que evangelho que foi pregado a Israel, não de sua utilidade, porque não é com a fé.
Por um lado, é tão impossível, que a palavra de Deus no sentido da suas eternas decisões do Conselho pode ser gerada, mas por outro lado, é possível, que a palavra pela incredulidade na vida do indivíduo pode ser feita sem poderes.
Paulo faz que essa distinção clara na parte seguinte do texto não é todos que são descendentes de Israel estão Israel.

Vs. 7-12: Embora que as promessas de Deus embora a Abraão e sua semente são fixadas, somente uma determinada parte desse filhos da promessa é considerados como descendentes. Versículo 8 que apenas os filhos da promessa são para a posteridade.

PERGUNTA: QUEM SÃO OS FILHOS DA PROMESSA?
A primeira condição é, participar da preferência de Deus, que se refletiu na eleição de Isaac sobre Ismael, versículo 7: por Isaac o gente falará dos descendentes de você.
Versículo 11: com base nesta mesma intenção preferindo fez Deus, mesmo antes das crianças nasceram, Jacob como um portador de suas promessas a Abraão, em vez de Esaú. Jacó e Esaú eram gêmeos, de qual Esaú era o mais velho. No entanto, Deus rejeitaram Esaú, o mais velho e o caçula, favoritos de Jacob.
Não tem nada a ver com a sua salvação pessoal, tal como é sugerido algumas vezes, mas com a linha de continuação de Deus promete a Abraão. A condição de dois é fé: Ismael foi gerado na carne, mas aqueles de livre, ou seja a Sara pela promessa. Gálatas 4:23 Isaac foi gerado pela fé de Sara (Heb. 11:9-11). Apenas Isaque e Jacó eram co-herdeiros da promessa e estas aplicam-se então se a posteridade.
A condição da fé torna-se destaque em Gálatas 3, onde Paulo escreve no versículo 16, que de Abraão e sua semente foram feitas, no singular que dizer votos a Cristo. Cristo é, portanto, a transportadora de fato das promessas a Abraão e a quem mais aplicar essas promessas?
Gálatas 3:7 e 9: aqueles que são da fé, filhos de Abraão, que consiste da fé são abençoados, assim, juntamente com o fiel Abraão. Tão somente aqueles que têm vindo a fé no Senhor Jesus, seus herdeiros legais da promessa.

Vers 12 O mais velho será subserviente a mais jovem.

PERGUNTA: EM QUAL SENTIDO ESAÚ FOI SERVIÇAL AO JACÓ ?
Infelizmente, isso muitas vezes mal interpretado. Esta profecia não se aplica aos indivíduos Jacó e Esaú, porque Esaú nunca foi subserviente ao Jacob, mas na sua descendência e Edom e Israel abrange o longo período, em que os edomitas, foram subservientes a Israel.
Versículo 13 Jacob eu tenho amado e Esau tenho eu odiava. Um texto, que tem trazido muitos em tumulto. PERGUNTA: isso significa que Deus tem pré-ordenado Jacó para salvação eterna e Esau para destruição eterna?
Primeiro de tudo, o que esta 'odiar'? Também encontramos o mesmo sentido em Lucas 14:26, onde o Senhor Jesus diz: "Se alguém vier a mim e não odia a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. Isto não é uma chamada para os pais, esposa, filhos etc. para odiar, porque isso iria contra o quinto mandamento para honrar pai e mãe. Mas se eles fazem nosso fiel ao Cristo impossível, então eles têm que dar lugar a Ele e nem amo nossas vidas próprias deve dar lugar ao amor de Cristo. Significa então, não ódio em termos absolutos, mas uma 'marginalização'. Neste texto, que nosso amor deve ter prioridade em nossas vidas a Cristo e até mesmo se circunstâncias gostaria de pedir, o amor dos pais, etc. deve distritos, por isso. Então Deus também tem dado prioridade a Jacó para suas promessas e Esaú para a eleição de Deus em Jacob no atrás. Este texto é uma citação de Mal. 1:2. Aparente do contexto, que é também não é sobre o povo de Jacó e Esaú, mas para as Nações, que teria se originam-los, ou seja, Israel e Edom. Israel foi o Deus escolheu nação e Edom havia provocado a ira de Deus, por causa de sua extrema de comportamento fraterno no momento do desastre para Israel.
Compare o versículo 4 com Salmo 137:7. Além disso, entre outras coisas, Jeremiah 49:7-22, Ezequiel 25: 12-14, Ezequiel 35: 1-15. Se houver em Malaquias, que Deus odiavam Esaú, então quando Jacob no atrás, isto não, significa que Deus predestinou para destruição eterna tinha Esau, mas que afetaria Edom de ira de Deus, porque ele tinha agido contra seu povo vingativo irmão Judá e não tem nada a ver com a 'eleição'.

Vs. 14-19: Haveria injustiça com Deus. Absolutamente não. Paulo mostra isso com alguns eventos na história de Israel.

Versículo 15 é uma citação de Êxodo 33:19. Quando os israelitas fizeram o bezerro de ouro, Deus tinham-os justos podem condenar, mas a intercessão de Moisés Deus quer agirem com eles com base de graça. Sob o pedido pessoal de Moisés podemos ver a glória de Deus. Deus diz: "Terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem eu me compadecer". Nesta maneira de agir, gente não pode achar nenhuma injustiça de Deus, porque Israel tinha todos os direitos serão confiscados. Mas em sua soberania, Deus revelou sua graça para ser capaz de salvar pelo menos parte do seu povo. No entanto, não se trata da misericórdia divina, para Deus mostrou sua misericórdia ao Israel depois de intercessão e intervenção de Moisés, que é um tipo do Senhor Jesus.
Versículo 16: Graça é que não se baseia na vontade humana ou mérito, mas de Deus, que toma conta.
Vs. 17, 18: Deus toma conta não só sobre quem Ele quer, mas na pessoa do Faraó Deus mostra Seu Poder, para endurecer, quem Ele quer. Nós não concluir disto que Deus endureceram o coração do Faraó aleatoriamente. Faraó tinha blasfemado Deus e desafiou e disse; Êxodo 5:2, quem é o Senhor, a quem eu deveria ouvir Israel deixar ir? Êxodo 6:14; O senhor disse a Moisés, o coração do faraó está inflexível: ele se recusa a deixar ir o Israel. E Êxodo 8:15, 32; 9:35 mostrar, que o Faraó endureceu seu próprio coração (primeiro). Deus não é o autor do mal ou Ele inspira as pessoas a pecar para condená-los por isso mais tarde. Embora Ele usa os ímpios, tal como no caso do faraó para mostrar o Seu Poder, para fazer a Sua vontade e Seu plano. Quando, no entanto, mostrou claramente, esse Faraó não oito bater os avisos e girou para fora, que ele não é mais queria, Deus fez no estado, em que ele próprio tinha trazido.

PERGUNTA: O QUE NOS APRENDE A HISTÓRIA DE FARÃO SOBRE A PACIÊNCIA DE DEUS ?

É evidente a partir desta história, que com Deus tem um limite, pode endurecer e continuar a lutar contra Deus, mas então chega um momento que Deus deixem o homem nessa condição endurecida. Depois de sete pragas chegam e Deus diz a Moisés, Êxodo 10:1 vá para Faraó, porque Eu tenho dado o coração dele e seus servos inflexíveis. Então Deus usa o faraó como um instrumento para que o Seu Nome e Seu Poder tornarem-se conhecido entre os gentios e Israel para mostrar, que Ele era o Deus deles. Deus cuidou assim sobre Israel, como Ele queria e endurecido Faraó, como Ele queria. O crente é usado por Deus para mostrar a enorme riqueza da sua graça e o homem endurecido é usado por Deus para mostrar o Seu Poder, como homem, como Faraó persiste no seu endurecimento.
Vs. 19-23: Contradizem Deus é uma das propriedades mais difíceis do homem, que quer avaliar sua própria mente limitada a Deus e gostaria de pedir Deus a conta.
O verso 19 é uma pergunta, é para trás que se esconde uma fatalista imagem de Deus, como se os negócios de Deus fora o ser humano quer. Que Deus não agem fora o ser humano quer, prova que a história apenas citada do Faraó, depois de tudo o que Deus tinha faraós tenacidade, não tendo muita longanimidade tratadas?
Paulo da nos seguintes versos o exemplo do barro e o oleiro usado é que para não dar a impressão de que somos material morto nas mãos de Deus, mas nos salientar, que não o lançador de argila, mas que a argila o lançador é responsável.
A imagem do oleiro é claro, como lemos em Jeremias 18:3-4: Desci à casa do oleiro, e eis que ele estava entregue à sua obra sobre as rodas. Como o vaso que o oleiro fazia de barro se lhe estragou na mão, tornou a fazer dele outro vaso, segundo bem lhe pareceu.
De acordo com Isaías 64.8 Nós somos o barro, Deus é o nosso formulário e nos trabalhos anteriores de sua mão.
Outra tradução usa em vez falhou "corrupção" e que é essencialmente a nossa situação. Bom Deus criou o homem, formado, não por causa do trabalho não de oleiro, mas por causa do pecado é obra de Deus "depravado". Esta "falha" ou melhor, "depravado" material não é descartado, não, o oleiro legou-lo, então ele ainda está lá, ainda como objetos de ira por glorificado. Em contraste com estes objetos da ira são os objetos da compaixão por oleiro preparados para a glória.
Agora precisamos ler bem o que diz, porque Paulo está neste momento com muito minuciosamente.

PERGUNTA: QUE DIFERENÇA É IMPORTANTE NA APROXIMAÇÃO ENTRE OS DOIS OBJETOS ?

O que é escrito no vs 22 e 23 ? Os objetos da ira de destruição, foram preparados por Deus, mas os objetos da misericórdia está preparado para a glória. Lá, nem aqui nem em qualquer outro escritura ensina, que Deus escolhe pessoas para condenação. As pessoas nunca são preparadas ou predestinou por Deus para objetos da ira. O que é a palavra de Deus muito maravilhosa minuciosamente, se quisermos ler isso bem.
A mesma palavra "preparada:" nós encontramos em Marcos 1.19 e Mateus 4.21, onde João e James fazem suas redes em ordem. Significa muito para preparar ou restaurar o que foi quebrada.
Deus tem todos esses objetos "da ira" não preparado por isso. Ele faz isso com os acordos de grande tolerância e, em seguida à destruição "preparado" para fazer a Sua glória sabe sobre os objetos de misericórdia, que ele tinha preparado para o fazer.
Versículo 24: E Paulo diz que somos objetos, "que Ele chamou, não só os judeus, mas também dos gentios", e ele mostra que a história de Oséias.
Oséias não era o pai da suas crianças, sua esposa deu à luz, que se reflete em seus nomes: Lo-Ruchama significa "não amada" e não "o objeto do meu afeto" e Lo-Ami "não meu povo". Estes nomes de expressar a postura de Deus para o Israel desobediente. Mas Deus olhou em volta, no dia que a palavra "não" de seus nomes seriam removidos. Oséias profetiza aqui em primeiro lugar sobre a futura restauração de Israel como "Lo-Ami" (não o meu povo), "Ami" (meu povo) são.
Paulo acrescenta, no entanto, conduzido pelo Espírito Santo, uma nova dimensão a esta profecia, e obtém uma satisfação dupla. Em casa do oleiro agora é tanto 'judeu' e 'pagão’ barro tanto e ter acesso à salvação pela fé, e o 'não amada' torno-se ‘amada’, eles mesmo são chamados (verso 26) filhos do Deus vivo.
Após Paulo tem mostrado de Oséias, que a admissão dos gentios foi previsto, ele agora vê o profeta Isaías, que nem todos de Israel, mas um "descanso" será preservada. Isaías 10:20-23 nos ensina o seguinte:
É apenas um resíduo, um remanescente da casa de Jacó e de Israel, ele vai escapar.
Eles deixarão de apoiá-lo, eles atingiram, de modo que já não esperam aliados.
Eles então realmente confiar no Senhor, o seu resgate não será o resultado de negociações diplomáticas, mas ainda é o caso, mas de uma intervenção divina. Este remanescente vai se arrepender, para retornar literalmente 'El Gibbor', o Deus Poderoso. Então Deus será a sua força, que vai entregar.
Esta profecia já foi cumprida parcialmente no convite do rei Ezequias, como lemos em Crônicas 30:6, mas logo na futura restauração de Israel estão completamente satisfeitos.
Isto será inteiramente obra de Deus, Paulo diz no versículo 29, onde o Senhor dos Exércitos não nos tivesse deixado uma semente, que teria se tornado como Sodoma e Gomorra foram destruídas, igualmente.

Por que Deus nos ensina que 11:5, a eleição da graça, Deus fará um residual superior a esquerda de Israel, onde o Seu Nome nas Suas Ações com Israel será glorificado.

Paulo sabia que, como mais cedo neste capítulo indicado, teve dor de coração e dor por causa de seus irmãos na carne, e sua oração a Deus era para eles.