Deus é Sabedoria  

INSTITUTO EVANGÉLICO BEM DO BRASIL
Rodando Estudo Bíblico
Fonte: De brieven van Paulus aan de Galaten ISBN 90 266 0768 7.

Estudos bíblicos de Gálatas

Gálatas 11Gálatas 22Gálatas 33Gálatas 44Gálatas 55Gálatas 66

Galaten

Os Gálatas eram um povo celta que se estabeleceram no século III AC. na região ao redor da cidade de Ancyra, atual Ancara, capital da Turquia. Depois que os romanos conquistaram a Ásia Menor, eles se estabeleceram lá em 25 AC. na província da Galácia, que era consideravelmente maior do que apenas a região da Galácia. Esta carta do apóstolo Paulo é dirigida à comunidade cristã na região da Galácia. A carta pode ser datada por volta de 47 DC, quando Paulo estava em Antioquia.

Gálatas 1 - Um evangelho e como Paulo se tornou apóstolo

Verso 1 Paulo inicia esta carta com uma saudação fria e não como nas outras cartas com uma saudação aos santos em Jesus Cristo. Porque os gálatas eram em sua maioria pagãos que seguiram a fé judaica e que passaram a crer em Jesus Cristo, mas agora retornavam à manutenção das leis judaicas, desprezando assim sua fé. Eles não reconheceram mais Paulo com seu único evangelho e o viram como um apóstolo designado pelos 11 apóstolos restantes em Jerusalém. Um sábio ex-fariseu. Paulo abre sua carta com o fato de que ele não foi designado pelas pessoas (os 11 apóstolos), mas por Jesus Cristo e por Deus, o Pai. Deus o Pai tem o primeiro lugar e ressuscitou Jesus Cristo dentre os mortos. Isso não é obra humana, mas obra de Deus. Este Deus designou Paulo como apóstolo.

Versos 2-3 Uma graça de Paulo e dos irmãos em Antioquia, e que a paz de Deus Pai se volte para você.

Verso 4 Não pela lei, mas porque Jesus morreu pelos pecados dos homens na cruz no Calvário, a paz com Deus, o Pai, é possível. Esse é o único e verdadeiro evangelho. Jesus tirou o cristão do mundo maligno de satanás e demônios. Jesus morreu pelos pecados de acordo com a vontade de Deus e do Pai. Pela fé neste fato e Sua ressurreição dos mortos por Deus, a vida eterna no Céu é possível.

Versos 6-7 O erro judaico-cristão ganhou acesso rápido (depressa) aos gálatas. Paulo mal havia saído desta igreja antes que eles voltassem sua audiência para outro evangelho. Um evangelho que NÃO é de Deus e de Cristo. Paulo lembra aos gálatas que o evangelho trazido por ele é o evangelho dado por Deus (verso 12) e não dado pelas pessoas. Paulo os culpa por abandonar a graça de Jesus Cristo em um vôo rápido e esperar que a justiça aconteça através da lei (Gálatas 5: 4), é assim colocado fora da graça. Por isso eles não se separaram dos ensinamentos de Paulo, mas se separaram do próprio Deus!

Verso 8 Se Paulo se contradisse e trouxe um evangelho diferente do que ele havia recebido do próprio Cristo Jesus, então ele é amaldiçoado. Sim, se um anjo trouxer outro evangelho, pense nos mórmons e no anjo que pregou outro "evangelho" para Muhammad que é amaldiçoado. Observe as palavras um anjo do céu, que significa um anjo de Deus, um conceito pesado. Paulo não está falando sobre um anjo caído, mas um anjo do céu. Embora a Bíblia ensine a não amaldiçoar, Paulo escreve claramente aqui SEJA ANÁTEMA. Lutero amaldiçoou. Pode-se pensar em Asmussen quando ele lutou ferozmente contra o socialismo e o comunismo: uma igreja que não pode amaldiçoar também não pode abençoar. Ela se torna uma igreja boba, perdendo o ataque frontal a satanás e perdendo o poder de Deus. Os gálatas também não se aventuraram a um ataque frontal a Paulo; eles apenas alegaram que ele possuía conhecimento e autoridade em segunda mão.

Verso 9 Mesmo quando Paulo estava em Gálatas, ele já havia afirmado claramente que se alguém pregou outro evangelho, essa pessoa é amaldiçoada. Que este seja um aviso sério para todos que seguem um evangelho diferente daquele ensinado na Bíblia. Pense em Mórmons, Islã, Adventistas, Testemunhas de Jeová, qualquer invalidação da Bíblia com as palavras que não estão no texto original. Outro evangelho são também as orações do Papa às pessoas canonizadas na fé católica romana. A Bíblia diz claramente que há apenas um mediador entre Deus e o homem: Jesus e, portanto, nenhum santo. Êxodo 20: 4-5 é claro

Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso

Claramente, nenhum beijo ou adoração a imagens de santos, nem pedido mediação. Perceba como Paulo está claro com relação a isso.

Judas 1:9 Mas quando o arcanjo Miguel, discutindo com o Diabo, disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar contra ele juízo de maldição, mas disse: O Senhor te repreenda!

O Arcanjo Miguel não se atreveu a amaldiçoar, mas disse: O Senhor repreenda você. Aqui Paulo é muito claro em suas palavras sobre quem traz outro evangelho que não está de acordo com a Bíblia atual.

Verso 10 Paulo mostra claramente que não deseja agradar às pessoas e conquistar almas, pregando um evangelho agradável as pessoas. Como vemos isso refletido em nossos dias. Dê o dízimo, dê grandes presentes, porque Deus lhe dará riquezas. Nenhuma disciplina ao viver juntos e fazer sexo antes do casamento. O texto básico da Bíblia não diz nada sobre sexo do mesmo sexo, esquecemos a linguagem clara de Romanos 1, o castigo de Sodoma e Gomorra. As igrejas tentam conquistar almas para ter o maior número possível de membros pagos da igreja e não pregam nada sobre viver sob a orientação do Espírito Santo, uma não-vida no mundo. Nada de conversação e arrependimento. As igrejas permitem a vida mundana e pregam outro evangelho dos prazeres humanos. Não há mais disciplina.
Paulo, no entanto, é um servo de Cristo, que proclama o único evangelho verdadeiro ao recebê-lo de Cristo Jesus. Ele não gosta de agradar as pessoas, não tem nenhum problema quando as pessoas o atacam e se ofendem com ele se não gostam do evangelho. O apóstolo não terá negado que ele estava nos dias do fariseu, buscando o favor de Deus. No entanto, se ele fizesse isso agora, ele não seria um servo de Deus.

Versos 11-12 O que Paulo prega não é um evangelho contado a ele pelo apóstolo Pedro e complementado por seus próprios pensamentos. O que ele prega é o evangelho (e a doutrina que ele pregou em suas cartas) que ele recebeu diretamente de Cristo Jesus. Foi o próprio Jesus Cristo quem o ensinou. Ele não poderia ter pegado seu evangelho de Pedro, porque depois de ver Cristo Jesus no caminho de Damasco (Atos 9), ele não havia viajado para Jerusalém, onde Pedro estava hospedado, mas deixado para a Arábia (verso 17). Apenas três anos depois foi seu primeiro contato com Cefas (= Pedro) e Tiago (verso 18), então ele não poderia ter recebido o evangelho que pregou de Pedro (pessoas). Isso significa que, de acordo com o verso 18, Paulo foi pessoalmente ensinado por Jesus Cristo por três anos no evangelho e os preceitos escritos por Paulo em suas cartas. Por três anos, os outros 11 apóstolos foram pessoalmente ensinados por Jesus durante a vida de Jesus. Da mesma forma, esse décimo segundo apóstolo Paulo (substituto do traidor apóstolo Judas), que foi ensinado pessoalmente em três anos por Cristo Jesus. Os 11 apóstolos viram Jesus vivo, incluindo Paulo, que viu Jesus vivo após a ressurreição dos mortos. É por isso que ninguém pode contestar seu apostolado. Foi o próprio Cristo Jesus quem o nomeou e o ensinou.

Verso 13 Paulo foi quem perseguiu e matou violentamente os primeiros cristãos, com o objetivo de exterminar todo cristão. Não apenas em Jerusalém, mas em toda a Judéia e nos territórios estrangeiros (Atos 26:11). Agora ele se distancia completamente do judaísmo e da doutrina judaica de que, cumprindo a lei (os cinco primeiros livros da Bíblia, a Torá), alguém chega ao céu e recebe perdão dos pecados. O judaísmo acabou.

Verso 14 Paulo era um fariseu muito instruído, criado na fé judaica desde o nascimento. Depois, aos pés de Gamaliel (Atos 22:3), um doutor da lei no Sinédrio, acatado por todo o povo judeu (Atos 5:34). Paulo viveu com cuidadosa observância da lei, era um zelo por Deus. Era o poder de sua raiva de perseguição: um zelo apaixonado das tradições ancestrais: as filosofias da vida de acordo com as leis escritas e não escritas das tradições rabínicas. Foi a sua maior impecabilidade religiosa e moral nesta vida judaica. No entanto, esse TODO se tornou um pecado grande e sério para ele. É por isso que os Gálatas não retornam a essa vida judaica, mas permanecem na graça de Cristo Jesus. A lei e o evangelho se excluem. É como água e fogo. A lei não traz vida eterna para o céu. A observância da lei através do poder do Espírito Santo é agradável a Deus, se isso não for feito por si só e a graça for desprezada.

Versos 15-17 Foi Deus o Pai que predestinou Paulo para pregar o evangelho entre os gentios. Os outros 11 apóstolos foram chamados para pregar entre seu próprio povo judeu. O apóstolo Paulo foi designado por Deus para pregar entre os gentios. Suas perseguições e assassinatos dos primeiros cristãos haviam causado uma forte cicatriz, o que significava que ele tinha que suportar todo o seu sofrimento e pregava o evangelho com grande zelo. Após seu chamado no caminho de Damasco, ele não foi aos apóstolos em Jerusalém para confirmar seu chamado. Em contraste, ele partiu para a Arábia.

Versos 18-19 Cefas (grego képhas) é o nome que o Senhor Jesus deu a seu discípulo Simão, o apóstolo Pedro (João 1:42). O nome próprio é de origem arameana; Kepa aramaico = pedra, pedra, em grego petros = pedra.
Qual a razão de Paulo viajar para Jerusalém e visitar Cefas após três anos não é mencionado na Bíblia. Foi o Senhor Jesus Cristo que terminou o treinamento de Paulo e deu instruções para visitar Pedro (tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja (Mateus 16:18))? Ele teve que dizer a Pedro que ele foi designado por Jesus como apóstolo e teve que se apresentar? Foi Paulo quem quis visitar Tiago, o irmão na carne de Jesus, para saber como era a vida com seu irmão Jesus?

Versos 20-24 Depois de conhecer Pedro e Tiago, Paulo começou a pregar o evangelho nas regiões da Síria e da Cilícia (local de nascimento de Paulo em Tarso). A igreja na Judéia não o viu pessoalmente, mas ouviu falar dele com que diligência ele proclamava o evangelho, a fé em Jesus Cristo, o perdão dos pecados pelo sangue de Jesus e a vida eterna no céu. Foi por isso que eles glorificavam a Deus, porque esse pecador pesado que tentara exterminar a congregação cristã havia sido convertido por Deus e com grande zelo proclamava a fé cristã em toda a verdade, sem falácia e seus próprios pensamentos.

Volta MenuRetorne para acima


Gálatas 2 - Paulo reconhecido pelos apóstolos

Versos 1-2 Paulo foi a Jerusalém outra vez depois de catorze anos. Os comentários discordam quanto a contar isso da conversão de Paulo ou após sua visita a Jerusalém. É sem importância, contou para mim desde a sua visita, porque diz que depois de catorze anos fui OUTRA VEZ a Jerusalém.
Não é da iniciativa de Paulo que ele vá a Jerusalém, é o mandamento do Espírito Santo que falou através de uma revelação.
Em particular aos que eram de destaque, podemos pensar nos 11 apóstolos que pregaram o evangelho entre os judeus. É a esse grupo limitado de prestígio, e não a toda a congregação de Jerusalém, que Paulo conta o evangelho ao proclamar e explicar aos gentios. Ele relata à igreja mãe e aos apóstolos originais que sua pregação não havia continuado infrutífera, mas muitos gentios haviam chegado à fé E haviam se tornado seguidores de Jesus Cristo. Não é apenas um arrependimento do pecado e a suposição de Jesus. NÃO, seguidores de Jesus, abandonando a vida mundana e passando para uma vida liderada pelo Espírito Santo. Uma verdadeira conversão para a vida espiritual.

Versos 3-5 Nesta fase inicial da congregação cristã, existem todos os tipos de problemas que precisam ser resolvidos. Timóteo, meio judeu, meio grego criado na fé judaica, Paulo se permitiu ser circuncidado por causa dos irmãos fracos e por ele ser meio judeu. Tito era um grego nascido, completamente pagão, sem educação judaica desde o nascimento, Paulo resistiu que ele tinha que ser circuncidado. Porque a circuncisão era uma aliança entre Deus e Abraão, uma aliança judaica relacionada à lei de Moisés. Os irmãos invadidos, possivelmente Fariseus que haviam chegado à fé, insistiram que os gentios deveriam ser circuncidados. Um ato doloroso e não inofensivo (Gênesis 34:25), se isso não for feito no oitavo dia após o nascimento. Jesus havia completado a lei de Moisés, então Paulo se opôs fortemente a viver um "sob a lei" em vez de uma "liberdade sobre a lei". A igreja começou a viver no Espírito e ameaçou viver na carne "debaixo da lei". No entanto, essa não é uma razão para Paulo forçar uma pausa entre ele e o significativo. No Senhor Jesus Cristo é a UNIDADE. A importância da jovem congregação cristã para estabelecer regras. Há uma tensão entre ele e o núcleo em Jerusalém, mas nenhuma lacuna, eles o entenderam e não lhe impuseram nada, isso cria comunidade. Eles entenderam os dois campos de missão: o mundo dos judeus e o mundo dos povos incircuncisos. Havia variedade nisso.
Estamos lidando aqui com um conceito central de "sob a lei". Nenhuma circuncisão, porque essa era uma aliança judaica pura entre Deus e Abraão diante da lei de Moisés. Uma circuncisão que se aplicava aos filhos de Abraão, Ismael (circuncisão entre os Islamitas) e Isaac (os Israelitas). Uma promessa de Deus de que os israelitas se tornariam numerosos como as estrelas no céu e da Antiga Aliança, Gênesis 15:18-21 e habitariam na terra

Naquele mesmo dia fez o Senhor um pacto com Abrão, dizendo: Â tua descendência tenho dado esta terra, desde o rio do Egito até o grande rio Eufrates; e o queneu, o quenizeu, o cadmoneu, o heteu, o perizeu, os refains, o amorreu, o cananeu, o girgaseu e o jebuseu.

A igreja é baseada na NOVA Aliança, um sacerdócio real, que vive no Céu através da crença no perdão dos pecados através do sacrifício oferecido por Jesus Cristo. Jesus deixou o céu e veio à terra para EXECUTAR A LEI (de Moisés, a Torá). Assim, o crente em Jesus NÃO é despedido para cumprir a lei. Contudo, NÃO pelo poder humano, uma lei livre do pecado e que leva à vida eterna, mas uma lei instituída por Deus e dada a Moisés por Deus para SALVAR a Deus (além do fato de que é do interesse do próprio homem aos 10 mandamentos). O crente recebe o Espírito Santo para cumprir a lei. A lei que prescreve o serviço de sacrifício no Tabernáculo e no templo como expiação temporária pelos pecados. Com Jesus, o sacrifício único e perfeito foi feito na cruz do Calvário. Mas tudo a respeito da santificação dos sacerdotes se aplica a cada crente, afinal, ele ou ela é um sacerdote de Deus. O sacerdote só podia se casar com uma virgem (uma mulher que não teve relações sexuais). É por isso que um crente só pode se casar com uma virgem. E marido e mulher devem abster-se de relações sexuais antes do casamento. Antes de entrar no Tabernáculo ou Templo, o sacerdote deve primeiro confessar seu pecado e fazer um sacrifício. O crente sacerdote deve primeiro confessar seus pecados antes de poder se aproximar de Deus (na igreja, na oração, na leitura da Bíblia etc.). O sacerdote não tinha permissão para desempenhar seu ofício em suas roupas diárias; ele só podia entrar no Tabernáculo/Templo em roupas brancas prescritas por Deus. Como o crente entra na igreja? Com roupas decentes ou jeans rasgados, semi-nu?
A lei de Moisés também se aplica ao crente, sem tatuagem, sem comer ou beber sangue, guardando os 10 mandamentos, para citar alguns pelos nomes. O crente DEVE ter conhecimento do Antigo Testamento. Nos dias dos apóstolos, apenas o Antigo Testamento era conhecido. Negligenciar o estudo do Antigo Testamento é ter pouco conhecimento da Bíblia e ser presa fácil de satanás. O crenteNÃO É DISPENSADO de guardar a lei e os profetas. Viver no Espírito é uma vida para o bem de Deus Pai.
A verdade do evangelho está acima de tudo, não deve haver mansidão para pessoas com um passado judeu e que desejam impor a circuncisão.

Versos 6-9 Paulo recebeu seu evangelho diretamente de Jesus e não evita conflitos. Ele se considera não mais ou menos que os apóstolos Tiago, Cefas (Pedro) e João. Eles são os mesmos três apóstolos na exaltação na montanha (Mt 17:1-12). No centro de Jerusalém, eles não colocam nada no caminho de Paulo, reconhecem que Paulo é encarregado de pregar o evangelho aos incircuncisos. É Jesus quem dá a Pedro o poder e declarou Cefas uma pedra para pregar o evangelho aos circuncidados. Esses três, que serviram de pilar, deram a mão do irmão (as destras de comunhão) a Paulo e Barnabé e os instruíram a pregar o evangelho entre os gentios (não excluindo os judeus). Com 1 condição no verso 10.

Verso 10 A condição é que os gentios continuem a apoiar os pobres entre os judeus. Uma condição em que Paulo trabalhou com diligência. Por que essa condição? Não deve haver distinção entre judeu e grego. Ambos têm a mesma raiz, a saber, o judeu Jesus Cristo. Existe apenas 1 igreja de Jesus Cristo. Não é uma igreja de Jesus Cristo de judeus circuncidados e outra igreja de Jesus Cristo para gentios incircuncisos. É 1 município em que o cuidado mútuo é um para o outro. A missão de Jesus na Mt. 28: 9-20 é "fazei discípulos de todas as nações" e "ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado". Como pastores e igrejas não falham nessa designação: fazer discípulos e aprender a manter TUDO o que Jesus ordenou. O equipamento mantinha financeiramente os embarques, péssimo. Manter a lei espiritualmente e viver no Espírito.

Versos 11-14 Antioquia era a terceira cidade do império, depois de Jerusalém a cidade mais importante, filha de Jerusalém, a unidade cristã mais antiga, que por sua vez se tornou mãe de muitas congregações cristãs. Se Jerusalém é a coluna de Pedro, Antioquia poderia ser chamada de coluna de Paulo, a cidade da qual ele partiu de suas viagens missionárias. Cefas também trabalhou em Antioquia. As duas áreas de missão coincidem. Pedro havia recebido a revelação divina em Atos 10 de que ele podia comer com os gentios na mesma mesa e, assim, violar as leis judaicas da comida. Os judeus lutaram duros por todas as declarações. Pessoas da parte de Tiago (em Jerusalém) haviam chegado a Antioquia e, depois que a hipocrisia de Pedro começou, ele se retirou de comer na mesma mesa dos gentios. Possivelmente sob pressão desta parte de Tiago e até Barnabé caiu. Paulo se dissocia completamente da atitude deles e PÚBLICO (perante todos) se opõe a Pedro, a rocha sobre a qual Jesus disse que construiria a congregação cristã. Uma atitude humana de Cefas: o medo do povo (judeu) e a hipocrisia. A responsabilidade de Cefas (Pedro) era muito grande (veja Mat. 16: 13-23 confissão, confiança da congregação e deixei para trás satanás), ele era o apóstolo-pilar, em quem todos os olhos estavam focados, era ele exemplo. Os olhos de judeus e gentios estavam focados em suas ações. Ele agiu de forma descuidada na prática, liberando um grande grupo de gentios para um pequeno grupo de judaísmos. Paulo está ensinando fortemente contra Cefas, a verdadeira liberdade e verdade do evangelho está em jogo. Celebrar a Santa Ceia divido é uma violação grave. É por isso que o forte poder de ataque e resistência. Não é uma repreensão particular, o assunto era sério demais para isso, mas uma oposição PÚBLICA, porque estava errada do lado de Pedro, veja também 1 Tim. 5:20. Foi uma negação de Jesus, que instituiu a Santa Ceia. A inovação do Espírito de Pentecostes está em jogo aqui.
Cefas que é judeu e que não viveu mais como judeu por meio de Atos 10, como ele pôde impor os pagãos a viverem como judeus? Nenhum judeu foi capaz de se lembrar completamente da lei em sua própria força. E especialmente as interpretações de rabinos e juízes eram um fardo impossível para os Israelitas.

Verso 15 Nós, judeus por natureza, ou seja, os 11 apóstolos e o apóstolo Paulo, o povo judeu. Temos grandes privilégios (Romanos 9: 4-7) através da eleição de Deus. Recebemos a lei, temos sacerdotes que oferecem pelo pecado, temos conhecimento da vontade de Deus. O conceito de pecador aqui é aquele que NÃO tem conhecimento da lei e da vontade de Deus. Os gentios não têm a possibilidade de justiça através da lei judaica, são pessoas sem lei e, portanto, pecadores.

Verso 16 Até o judeu nascido, que não é pecador nesse sentido, sabe que essa lei (a Torá, a lei de Moisés) não os traz mais, eles permanecem separados de Deus por sua vida pecaminosa. Ninguém é justificado pelas obras da lei. Abraão foi justificado pela fé e não por suas obras. No entanto, a fé sem obras está morta. Pela fé, Abraão levou seu único filho Isaac ao altar, o qual expressava fé na obediência e nas obras. Pela fé em Jesus Cristo como Salvador, o crente recebe perdão dos pecados.

Verso 17 Somos apóstolos justificados em Cristo? Não, porque nos tornamos pecadores, porque não fazemos o bem, mas os pecados operam em nós, veja Romanos 7:13-26.

Verso 18 O que eu quebrei é que, por perfeita obediência à lei, sou justificado. Se, depois de crer em Jesus Cristo, eu retiro isso, se eu começar a edificá-lo novamente, eu provar que sou um transgressor da lei. Com isso, nego minha salvação em Cristo Jesus. Saio da Nova Aliança e volto à Antiga Aliança desbotada. Os Gálatas partiram em uma estrada perigosa, de volta à Antiga Aliança, Lucas 11:52

Ai de vós, doutores da lei! porque tirastes a chave da ciência; vós mesmos não entrastes, e impedistes aos que entravam.

Os judaicos procuram impedir que os cristãos sejam justificados pela fé, impondo-lhes a lei que eles mesmos não poderiam cumprir.

Verso 19 Mas você escreve que devemos viver e manter por lei. A lei dá a conhecer ao homem o que é pecado. Mostre as ofensas humanas. Você amará a Deus acima de tudo. Sem ídolos nem imagens. Não roube, mate, cobice o que pertence ao seu vizinho. A (s) violação (ões) da lei traz morte, separação de Deus, desagrado de Deus Pai. Sou condenado por lei e acabo com a vida no lago de fogo. Quão diferente seria o mundo se todos obedecessem aos 10 mandamentos, uma terra sem roubo e assassinato. O cristão é chamado para ser um exemplo e permitir que o Reino de Deus reine na terra sem roubo, assassinato e corrupção, exercitando os 10 mandamentos. Antes da lei, Jesus Cristo morreu como pecador e, pela fé, é possível viver para Deus. A lei não traz perdão dos pecados, a vida na lei pelo poder do Espírito Santo traz alegria e paz com Deus, o Pai.

Versos 20-21 Os pecados em mim são crucificados em Jesus. A velha vida do pecado morreu com Jesus na cruz do Calvário. Cristo ressuscitou dos mortos e fez a Nova Aliança com quem quiser crer. Por meio de Jesus Cristo, recebo o Espírito Santo e o perdão dos pecados. Por meio de Cristo, não vivo mais a velha vida mundana e cedo ao pecado. Mas se eu permito que Cristo viva em mim, esse é o poder de não ceder ao pecado e resistir às tentações do mundo e de satanás. Então Cristo vive em mim.
Se havia justiça pela lei, então Jesus morreu por nada. Foi a graça de Deus que aceitou o sacrifício de Jesus na cruz e ressuscitou Jesus dentre os mortos como evidência. Com isso, há perdão do pecado para todos que querem crer em Cristo Jesus.

Volta MenuRetorne para acima


Gálatas 3 - Justiça pela fé: a lei ou a fé

Verso 1 Paulo continuou com sua fria saudação no início de sua carta, agora com palavras duras, O GÀLATAS INSENSATOS. Ele os chama de GÁLATAS pelo nome e, em palavras duras, INSENSATOS. Ele não o enrola, vai direto pelo mar. Nenhuma palavra suave como nas igrejas hoje em dia, uma tolerância de coabitação e sexo antes do casamento, uma tolerância de pecados sem disciplina e repreensão.
Como é possível que você volte à lei e à circuncisão. Paulo proclamou claramente o Jesus crucificado, a morte e o fim da lei que traria perdão dos pecados. O perdão dos pecados só é possível mediante a fé na morte e ressurreição de Jesus pelos pecados do homem. A lei traz a morte, nenhuma pessoa é capaz de mantê-la durante toda a sua vida. O cumprimento da lei pelas obras só leva à morte e separação de Deus o Pai, a um julgamento no lago de fogo.

Versos 2-3 Paulo faz uma pergunta clara: Foi por obras da lei que recebestes o Espírito, ou pelo ouvir com fé? Os Gálatas receberam o Espírito Santo depois de terem fé na pregação de Paulo. Eles haviam experimentado os poderes do Espírito Santo e agora eles eram tão imprudentes em voltar à lei. Sob a lei (no Antigo Testamento), ninguém havia recebido o Espírito Santo como morada. Como eles poderiam ser tão insensatos para voltar depois das obras da lei, que não traz libertação dos pecados, nem habitação do Espírito Santo? Não é insensato voltar à circuncisão? Você é completamente cativado pelos judeus que pensam que a lei traz libertação do pecado. É uma violação da obra de Jesus, uma grave violação da descrença na obra consumada de Jesus Cristo. Eles declaram a lei válida novamente como libertação. Ninguém pode pecar tanto quanto o crente que recebeu uma nova casa, mas interrompe-a imediatamente para retornar ao seu antigo lar declarado inabitável.

Versos 4-5 Eles haviam recebido tanto poder espiritual que agora negam a liberdade e retornam à escravidão da lei e da circuncisão? Eles viram os poderes do Espírito Santo. Essas forças vêm por lei (que nunca aconteceu no passado (recebido da lei) até Jesus) ou pela fé em Jesus Cristo? A lei nada tem a ver com o tempo messiânico: pela fé se obtém o perdão dos pecados e a vida eterna no céu. Oposto à lei estéril é o evangelho fecundo. A escolha decisiva é entre o trabalho da lei ou crer na nova proclamação do evangelho de Jesus crucificado.

Verso 6 Isaque foi devolvido ao Pai Abraão por obras ou pela fé? Abraão acreditava que Deus foi capaz de ressuscitar seu filho Isaque dentre os mortos, depois que ele sacrificou seu filho. Abraão foi obediente pela fé! Deus imputou essa fé como justiça. Pela fé, Abraão tornou-se pai de muitos crentes. Ele se tornou um exemplo para muitos.

Versos 7-9 Essa promessa se aplica a todos os filhos de Abraão de todas as nações. Não os filhos da carne são filhos de Deus, mas os filhos da promessa se aplicam à semente, Romanos 9: 7-8. Os rabinos reconhecem Abraão como "nosso Pai", o povo judeu como filhos do pai Abraão. Como você pode voltar à lei que NÃO existia na época de Abraão? Abraão não participou do politeísmo das nações, ele acreditava no ÚNICO Deus.
Deus sabia que Jesus iria atrás da terra e morreria pelos pecados do homem. E com base na FÉ, todos que crerem neste trabalho seriam libertados da penalidade do pecado. Independentemente de serem judeus ou gentios: em você todas as nações serão abençoadas, foram e são a promessa de Deus.

Verso 10 Deus sabia que Jesus iria atrás da terra e morreria pelos pecados do homem. E com base na FÉ, todos que crerem neste trabalho seriam libertados da penalidade do pecado. Independentemente de serem judeus ou gentios: em você todas as nações serão abençoadas, foram e são a promessa de Deus.

Verso 11 Desde que se tornou evidente no período desde a lei até Jesus que ninguém é capaz de cumprir a lei, a necessidade da cruz de Jesus se tornou clara. A necessidade de fé tornou-se clara. Uma percepção consciente de que o homem não pode cumprir as regras e a lei de Deus, Quem é Santo, por causa de sua natureza pecaminosa. Somente a crença "simples" pode trazer justiça a Deus. No entanto, o homem é altivo, não quer saber de nenhuma limitação, justificando-se através de suas próprias obras, e isso leva à injustiça com Deus. O homem é altivo em reconhecer ser um pecador e humildemente em reconhecer que Deus, é necessário.

Verso 12 A lei enfatiza FAZER, o desempenho das pessoas. Os Gálatas estão retornando à maldição da lei. Paulo não critica a lei, porque a lei é boa para o homem. Quão diferente seria o mundo se ninguém cobiçesse o de seu vizinho. Todos cumpriram a lei, sem acidentes causados por colisões e caminhar ou dirigir devido a luzes vermelhas. Afinal, a lei é sobre FAZER, cumprindo o que a lei prescreve.

Verso 13 Dt. 21:22-23 pendurar no poste pode ser comparado com pendurar em uma cruz. Jesus foi enforcado em um madeiro/cruz e com isso se tornou uma maldição (um enforcado é amaldiçoado por Deus). Foi cumprido que Jesus foi sepultado no mesmo dia.

Se um homem tiver cometido um pecado digno de morte, e for morto, e o tiveres pendurado num madeiro, o seu cadáver não permanecerá toda a noite no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto aquele que é pendurado é maldito de Deus. Assim não contaminarás a tua terra, que o Senhor teu Deus te dá em herança.

Verso 14 A lei destinava-se a Israel se santificar e ser um exemplo para as nações. Eles tinham a lei e de lá eles conheciam a Vontade de Deus, eles sabiam por suas transgressões que eles eram pecadores. Mas isso não os tornou filhos de Abraão, pois os judeus, israelitas, fariseus, escribas e anciãos mostraram claramente que não queriam saber do arrependimento ou pecador. Crendo nos gentios e reconhecendo ser um pecador, a bênção de Abraão chegou aos gentios. Que isso seja uma lição: não através dos filhos de pais crentes, nem através do batismo (de crianças), nem através da participação na igreja, a participação na stanta ceia se torna um filho de Deus, somente através da fé pessoal no Senhor Jesus Cristo se recebe perdão de pecado.

Verso 15 Paulo vai usar um exemplo da vida cotidiana: o testamento humano. O testamento é estabelecido de maneira legal (por um notário e registrado) pela pessoa viva. Enquanto a pessoa está viva, ela não terá força legal. Somente após a morte da pessoa, a vontade entra em vigor e se torna efetiva. O notário DEVE realizar a vontade como descrito no testamento. A execução pode ser contestada, mas apenas com base na execução incorreta. Todo mundo tem acesso gratuito aos dados de registro. Ninguém mais que a pessoa viva acrescentará algo a ela. Enquanto Jesus viveu na terra, não havia perdão dos pecados. Primeiro, a penalidade pelo pecado tinha que ser paga por Jesus na cruz, primeiro a morte de Jesus, depois a execução do testamento, a Nova Aliança. Removendo a maldição da lei.

Verso 16 É uma citação de Gênesis 12:7: "porém, o Senhor a Abrão, e disse: ë tua semente darei esta terra". Por que Paulo cita esse verso está além de mim. É uma promessa a Abraão de dar a terra de Israel à semente. Paulo falou anteriormente sobre a promessa e a fé que se relacionam com os crentes. E o lar deles está no céu e não na terra, não em Israel. De qualquer forma, o argumento o semente é singular, e isso é realmente Cristo.

Verso 17 Este cálculo de 430 anos é um cálculo rabínico que inclui os anos dos patriarcas com o período de escravidão no Egito. A promessa foi dada a Abraão. Cerca de 430 anos depois, Moisés no Monte Sinai recebeu a lei.

Verso 18 A promessa é dada a Abraão, uma promessa de graça através da fé. Não é uma promessa baseada em obras pessoais, uma escravidão da lei.

Verso 19 A lei foi adicionada para dar ao homem um profundo senso de pecado, sua própria impotência para guardar a lei e ser capaz de agradar a Deus o Pai em sua própria força. A lei foi adicionada para mostrar que o próprio trabalho é um beco sem saída. Sem lei, não há pecado (realização).
A lei não foi dada diretamente aos israelitas, mas pelo o mediador Moisés. Eles tiveram que ficar à distância e nem sequer foram autorizados a tocar na montanha. Somente Moisés teve permissão de escalar a montanha e recebeu a Torá das mãos de Deus. Moisés agiu como mediador entre Deus e os israelitas. Supõe-se que os anjos estavam presentes como testemunhas quando Deus deu a Moisés a lei baseada em Dt. 33:2 Moisés apareceu à luz da glória do monte Parã e veio das miríades de santos (= anjos).

Versos 21-22 A lei não é de todo contrária à promessa de Deus a Abraão. A lei mostra os pecados do homem, ela é um mestre disciplinar do homem. O pecado é um poder que todos possuem, que vivem na pessoa a quem todos estão sujeitos. Mas essa lei mostra as transgressões do homem, mas não traz justiça. Somente através da fé em Jesus Cristo como Salvador é que a salvação, o perdão dos pecados vem e através do poder do Espírito Santo há poder para não ceder ao pecado. Mas é apenas para aqueles que crêem e colocam suas vidas sob o poder do Espírito Santo. Infelizmente, este é apenas um grupo muito limitado de pessoas que dão sua vontade a Deus e são o reconhecimento do pecador. Infelizmente, não a maioria da humanidade, mas apenas aqueles que querem acreditar.

Versos 23-25 A lei era um isolamento temporário: uma custódia até o momento em que a nova vida em Jesus Cristo seria conhecida pela fé. A lei era um mestre disciplinar (paedagoog, um guia de meninos). Esses paedagoogs eram escravos da Grécia antiga que acompanhavam as crianças na rua e tinham que protegê-las da calamidade. Uma pessoa forte e incivilizada. Sua linguagem não civilizada teve um efeito adverso sobre os jovens. No entanto, também havia paedagoogs mais desenvolvidos que davam educação simples. Israel precisava da mão de um paedagoog estrito (mestre disciplinar) e não podia perder essa mão.

Versos 26-29 Os Gálatas aceitaram Jesus Cristo como seu Salvador. Pela fé em Cristo Jesus, eles receberam o Espírito Santo e foram batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Eles se tornaram participantes do Reino de Deus e se tornaram filhos de Deus. Paulo fala dos filhos de Deus aqui. Isso significa que eles se tornaram cristãos maduros que não precisavam mais de leite. No entanto, Paulo foi duro em suas palavras e as chamou de insentatos. Na igreja de Cristo, não há diferença entre judeu ou grego (pagão), escravo e livre (empregado e empregador), homem e mulher. Todos são membros do corpo de Cristo Jesus, com Ele como cabeça. Pela fé nEle, você (nós) é a semente de Abraão, cuja fé foi imputada à justiça. E com esses herdeiros do Reino de Deus.
Assim como o corpo têm membros diferentes, ouvido, olho, boca, mão, braço, perna e pé, órgãos, etc., também existem membros diferentes no corpo de Cristo, cada um com sua própria função. Um membro não é mais ou menos importante, cada membro precisa do outro membro, sua classificação é igual. Portanto, não há diferença entre judeu e grego, escravo e livre, homem e mulher.

Volta MenuRetorne para acima


Gálatas 4 - Não há mais serviço

Versos 1-3 O tempo em que o herdeiro é menino não é o senhor e o mestre de seu legado, muitas vezes sob supervisão, de modo que sua posição não difere muito da de um servo. No testamento (romano), foi pelo testador (pai) que co-determinou a idade de maturidade. Até chegar a essa idade, o herdeiro estava sob tutela, então ele era o verdadeiro dono e podia fazer o que quiser.
Assim, os crentes são herdeiros da vida eterna no Céu. No entanto, como meninos não rentáveis, ainda estão sob tutela e vivemos na terra sob o domínio dos governos mundanos, satanás e demônios. Somente depois que os crentes receberem um novo corpo incorruptível e sem pecado é que ele receberá o legado da vida eterna no Céu.

Versos 4-5 A plenitude do tempo pode ser pensada na plenitude da lei, a Torá. Quando Deus, o Pai, ficou satisfeito com os esforços do homem para realizar as obras da lei, enviou Seu Filho Jesus à terra para pôr um fim às obras da lei. Jesus nasceu na terra de uma judia sob a lei, uma mulher virgem. Porque redimir judeus e gentios da impossibilidade de cumprir a lei. Para que todos que crêem na obra de Jesus se tornem um filho de Deus e, portanto, a libertação do pecado.

Verso 6 Com Romanos 8:15, recebemos o Espírito de filiação chamando: Abba, Pai. Hoje em Israel, você também pode ouvir as crianças chamando abba, que é pai. Todo mundo nasce filho de satanás; pela fé em Jesus Cristo, a pessoa passa a ser filho de Deus o Pai e, assim, se torna um membro da família. O crente tem a liberdade de chamar Deus de Pai.

Versos 8-10 Não somos mais escravos de satanás, do pecado. O Espírito Santo é o poder de dizer NÃO a satanás, demônios, pecados e desejos mundanos. Se alguém concede, então se torna um escravo (voluntário) novamente. Resista ao crente, então ele ou ela é um filho e, portanto, herdeiro.
No tempo em que você não conhecia a Deus, esse era o momento em que serviu a ídolos estranhos e não estava familiarizado com o verdadeiro caráter de Deus (o Pai), revelado por Jesus e descrito no Novo Testamento. Como alguém pode retornar a um serviço de acordo com a lei e a idolatria após essa revelação? Por que alguém escolhe ser escravo novamente e não herdeiro como filho no Reino de Deus?
Você observa dias, meses, tempos e anos fixos. Alguns comentários vêem isso como uma referência de Paulo aos festivais judaicos (sábado, Yom Kipur, dia da Grande Expiação etc.), que eram uma obrigação para o judeu celebrar. Ou a adoração pagã de demônios na meia e lua cheia, ou no sol.
Por outro lado, pode-se dizer que as pessoas têm conhecimento de dias, meses e anos. Se alguém é tão sábio, por que volta aos costumes judaicos e pagãos depois de receber instruções sobre o evangelho, o perdão dos pecados por Jesus e a filiação de Deus? Se alguém volta ao antigo, Paulo trabalhou em vão para isso.

Verso 12 Paulo pregou o evangelho aos judeus com sua Torá e aos gentios com suas leis mundanas. Nos dois casos, um mundo com "lei". Paulo trouxe uma nova lei, a lei de Jesus Cristo, que não é uma lei. Paradoxalmente, a situação do libertador (Jesus), que entrou na prisão (os pecadores capturados pelos pecados, o mundo de satanás e demônios), abre as portas e libera os prisioneiros (libera os crentes).

Versos 13-14 Estar doente foi designado por pecados ou demônios. No entanto, na visita de Paulo, os Gálatas não atribuíram a doença a pecados ou demônios. Eles estavam dispostos a ouvir Paulo e aceitar sua mensagem de salvação através do sangue de Jesus. Alguns comentários afirmam que Paulo parecia deformado por causa de sua cegueira no caminho para Damasco. E, portanto, as pessoas o viam como algo desprezível nem o repelistes contra ele. Isso está indo longe demais.
Felizmente, os Gálatas o receberam como mensageiro de Deus, como mensageiro de Cristo Jesus.

Versos 15-16 A doença aos seus olhos era um problema no verso 13? Pois Paulo ficou muito feliz em sua primeira vez que os Gálatas o receberam com tanto amor e carinho que ele escreve aqui que eles mesmos teriam dado seus olhos? No entanto, pouco de sua alegria resta agora. Ele deve falar palavras duras por causa do retorno à vida no mundo e sob a lei. Em sua puberdade, o homem é o mais oposto a seus pais, poderes acima dele, Deus e autoridade. Os crentes e as igrejas também podem passar pelos anos da puberdade. O titular do escritório deve apresentar a verdade com amor e carinho.

Versos 17-20 Satanás deseja remover o crente e a igreja de seus professores, o pastor, as pessoas que repreendem. Satanás tem seus seguidores dentro da igreja que estão tentando distrair os membros da igreja do verdadeiro evangelho e viver no Espírito. Os Gálatas não eram realmente culpados, foram seduzidos. Os Gálatas conheciam bem seus tentadores. Em nosso tempo, conhecemos claramente os sedutores: ioga, R.K. santos agindo como mediadores em vez de Jesus Cristo, o Papa, Adventistas, Mórmons, Testemunhas de Jeová, Jesus realmente não morreu na cruz, riqueza, sexo livre, etc.
Certamente não deveria ser necessário que o evangelho fosse pregado novamente? Que os Gálatas devem nascer de novo? Paulo expressa sua profunda preocupação com eles como se eles já tivessem perdido completamente sua fé cristã. Ele deseja poder falar em um tom diferente, mas infelizmente deve usar palavras duras para mostrar o caminho de volta. Curadores gentis causam feridas fedorentas. Às vezes, é necessária uma palavra duro de um médico para agitar o paciente que ele tem câncer devido a sua própria culpa. E com persistência em sua vida saudável, isso leva à morte. O retorno dos Gálatas à sua antiga vida leva à destruição eterna e à destruição de sua salvação por meio de Jesus Cristo.

Versos 21-23 Os Gálatas desejam viver sob a lei, mas por que eles não a ouvem e a mantêm? Paulo volta ao pai Abraão, duas igrejas vieram dele: uma de Isaac e uma de Ismael. Sua proposição é que os cristãos judeus e judeus praticantes não venham de Sara, mas da escrava Hagar. O patriarca acreditou em Deus, mas. . . ele queria dar uma mão a Deus. Então, respondeu à sugestão de Sara de tomar Hagar como esposa e engravidá-la. Ele riu do plano de Deus e orou: Que Ismael viva antes de você. Os Gálatas que crêem riem e oram. O crente que quer viver em dois mundos simultaneamente, o mundano e o espiritual.
O filho do escravo foi concebido de uma maneira puramente humana, tomada como mulher por uma relação sexual com uma ESCRAVA FERTIL. Manter a lei pela capacidade humana.
O filho de Sara nasceu da mulher estéril, pela promessa de Deus. Não por sua própria capacidade humana, mas pelo poder de Deus.
O filho do escravo trouxe ódio, inveja e escravidão, ele quase morreu no deserto. O filho de Sara trouxe alegria e liberdade.

Versos 24-25 Paulo passa a explicar as alegorias: o filho de Hagar é a alegoria do Monte Sinai; os filhos da escravidão, os filhos dos escravos da lei. Para as alegorias, ver As fases do tempos. A alegoria da lei, Harã a Jesus, é de cerca de 2000 anos. A alegoria de fé/igreja até o presente é de cerca de 2000 anos (agora vivendo em 2019 no momento em que este artigo foi escrito).
Hagar está alinhado com o Sinai, a atual e atual Jerusalém, sendo judeu na manutenção da Torá. Em contraste com a Nova Jerusalém que virá do céu, que vem pela fé.

Versos 26-27 A nova Jerusalém tem como mãe Sara, pela fé ela engravidou. O cristão, a Igreja, vive pela fé e espera a Nova Jerusalém e a vida eterna no Céu.

Versos 28-30 SOMENTE o filho Isaque herdará. Em NENHUM caso o filho do escravo herdará. Que seja uma lição clara para os seus Gálatas, que retornam à expectativa da vida eterna através do trabalho. Paulo dirige-se aos Gálatas como irmãos, mas apenas aqueles que são filhos como Isaque, filhos da promessa.
Segundo a tradição, Ismael teria perseguido seu irmão Isaque. A história da igreja é repetida, a congregação/crente é perseguida e ridicularizada pelo mundo.

Verso 31 Com um poderoso PELO QUE Paulo coloca uma linha poderosa sob seu argumento: nenhum filho do escravo, alguém se torna livre das obras da lei, MAS pelos livres, a fé na obra do Senhor Jesus Cristo.

Volta MenuRetorne para acima


Gálatas 5 - Liberdade cristã

Alguns dizem que a lei, a Torá e os 10 mandamentos não se aplicam mais aos crentes. Um engano puro como aparecer de Mateus 24 e 25. Somente as virgens prudentes estão entre os crentes que estão sendo levados, enquanto as virgens insensatas estão entre os que são deixados 24: 40-41 e passam pela Grande Tribulação.

Então, o que é a liberdade cristã?

A livre escolha do crente de colocar sua vida sob o controle do Espírito Santo e viver para a honra e glória do Senhor Jesus Cristo e Deus o Pai e dizer não a uma vida mundana.

Então, o que significa liberdade cristã?

Isso requer um estudo aprofundado para entender.
Antes de tudo, voltamos à criação. Deus havia proibido comer de 1 árvore frutífera. Eva não ouviu Deus, mas escolheu ouvir um animal que falava. A autoridade de Deus não estava muito acima de um ser humano, muito menos de um animal que fala, por si só uma situação estranha? Eva escolheu ouvir um animal. Adão teve livre escolha sobre escolher ou fazer o que Deus havia ordenado, ou ouvir Eva. Ele escolheu o homem (mulher).

Então, o que é pecado?

A livre escolha do homem para não obedecer a Deus, mas fazer o que ele quer. Mandamento de Deus: NÃO COMA DESTA ÁRVORE DE FRUTA, VOCÊ PODE COMER QUALQUER OUTRA ÁRVORE DE FRUTAS. O homem escolheu desobedecer ao seu Criador, o Senhor Deus.
O crente tem liberdade cristã para fazer o que Deus exige dele, ou seja, para se arrepender e deixar a vida no mundo, OU para continuar a viver sua própria vida no mundo. A desobediência de Adão levou ao pecado e ao banimento do paraíso. A liberdade cristã do crente, sua, em obediência leva a um Arrebatamento da Igreja para o Céu. No caso de desobediência, permanência na terra e passando pela Grande Tribulação.

Por que a Torá, os cinco primeiros livros da Bíblia?

A Torá são os cinco primeiros livros da Bíblia, ela conta a criação da terra e do homem. A primeira desobediência do homem a Deus. A recusa de Caim em obedecer a uma oferta de sangue (abate de um animal) pelo perdão do pecado. Seguida pelo assassinato de seu irmão Abel. A humanidade que rejeita a Deus, seguida pelo dilúvio. A aliança de Deus: o arco-íris. A construção da Torre de Babel, seguida pela confusão e introdução de diferentes idiomas. O chamado de Abrão por Ur e sua obediência com a promessa de se tornar um grande povo escolhido. Os filhos de Abraão: as 12 tribos. O êxodo do Egito e a eleição de um POVO SANTO SEPARADO POR DEUS, que recebe as leis de Deus para obedecer. Essas leis estão em Êxodo, Levítico, Números e Deuteronônio. Este é o NÚCLEO, essas leis são dadas a um povo separado por Deus. Porque Fazer a Vontade de Deus, viver SANTA, ser testemunha de Deus para as outras nações.
No Monte Sinai, Deus dá ao mediador Moisés os 10 mandamentos e os regulamentos da construção do Tabernáculo e do serviço dos sacerdotes.
Podemos comparar a construção do tabernáculo com a construção do CORPO DE CRISTO, com o mediador Jesus como CABEÇA.
O serviço dos sacerdotes e os regulamentos relativos à sua santa caminhada se aplicam a todo crente.

1 Pedro 2:9 Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;
Apocalipse 5:10 para o nosso Deus os fizeste reino, e sacerdote.

Os israelitas (as 12 tribos) tinham LIBERDADE para obedecer a TORA, mas com uma bênção no monte Gerizzim e a maldição no monte Ebal, Dt. 27: 11-26. As 12 tribos escolheram voluntariamente desobedecer a Deus, resultando em exílio, e não foram autorizadas a continuar vivendo na terra prometida de Israel. Como isso é aplicável ao crente, a bênção do Monte Gerizzim: ingressar na primeira Vinda de Cristo, o Arrebatamento da Igreja: viver na terra prometida: o Céu. A maldição no monte Ebal, o atraso do crente que viveu desobedientemente à vontade de Deus, a virgem insensata viveu no mundo e se exila: a Grande Tribulação.

É a liberdade cristã, a escolha de obedecer à Torá através do poder do Espírito Santo. NO ENTANTO, HÁ MAIS!
Nem todo o povo de Israel pertencia à geração sacerdotal. O serviço sacerdotal era reservado exclusivamente à família de Arão. No entanto, todo crente em Jesus Cristo pertence ao SACERDÓCIO REAL. Ser sacerdote trouxe leis e regras EXTRA, seu modo de vida tinha regras mais pesadas. Pessoalmente, vejo o seguinte: o povo Israelense é o crente, mas todos os crentes precisam cumprir as leis sacerdotais. Os verdadeiros sacerdotes são os que prestam o serviço no tabernáculo/templo: são os servos (pastores, anciãos, diáconos, evangelistas, missionários, escola dominical, etc.) de Deus, que têm absolutamente que cumprir todas as leis relativas ao sacerdócio do Antigo Testamento ambos se casam como virgens (Lev. 21: 13-14), ver mais Requisitos obreiro de Deus.
Há muitas perguntas sobre a Torá. Corretamente, o serviço sacrificial foi abolido e não se aplica mais porque Jesus, na Cruz do Calvário, fez de uma vez por todas o sacrifício perfeito pelo pecado para quem deseja crer. Manter a Torá NÃO traz perdão dos pecados, isso é SOMENTE através da fé em Jesus Cristo. Manter a Torá é agora um prazer para Deus, o Pai. Para fazer Deus o Pai gozar! Essa é a grande diferença.

A lei de Levítico 20, em particular 9-27, é clara. Mas isso se aplica ao crente ou a liberdade cristã está aqui? Uma grande questão é que o homem fiel pode não ter relações sexuais durante o período menstrual de sua esposa, verso 18. A grande reclamação é que os comentários e na Internet ignoram isso. Por que? Não está claro para mim. O verso 18 deve ser lido em seu contexto. Ele lida em Levítico 20 com NENHUMA COMUNIDADE SEXUAL COM. Não se pode colocar esse verso 8 sozinho, mas deve-se ler em conexão com os versos 10-21. O versículo 13 fala sobre relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo, ou seja, Sodoma e Gomorra. O castigo de Deus é a destruição completa dessas cidades. Muitos países (ainda) proíbem o casamento com irmão, irmã, primo e sobrinha. A proibição de sexo com animais. É por isso que fica claro que nenhuma relação sexual pode ocorrer durante a menstruação e sim, isso também se aplica ao homem fiel com sua esposa. E todos os relacionamentos extraconjugais devem ser severamente PUNIDOS, sem nenhuma tolerância!

Funeral ou cremação, ou livre escolha?

Lev. 21:9 E se a filha dum sacerdote se profanar, tornando-se prostituta, profana a seu pai; no fogo será queimada.
Números 16:35 Então saiu fogo do Senhor, e consumiu os duzentos e cinqüenta homens que ofereciam o incenso.

Esse é um texto claro. Nota: queime com fogo. O FOGO é um castigo de Deus, portanto não uma cremação, mas um funeral.

A resposta para a questão da liberdade cristã é: as pessoas fazem ou deixam coisas para agradar a Deus.

A tatuagem é permitida ou de livre escolha?

Levítico 19:28 Não fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca. Eu sou o Senhor.
Gênesis 1:26, 27 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem . . . Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
1 Coríntios 6:19 Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?

Recebemos nossos corpos emprestados. Isso dá aos crentes grande responsabilidade pela forma como tratamos nosso corpo. O corpo do homem é criado na IMAGEM DE DEUS e é o TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO. Deus fala claramente em Lev. 19:28 você não fará nenhuma incisão ou marca na pele, o que significa que não faz tatuagem. Seu corpo pertence a Deus, você é a imagem dele. Com uma tatuagem, você traz uma lembrança para outra pessoa que não Deus. Quando você coloca uma decoração em seu corpo, nega que está satisfeito com o corpo, pois Deus o criou à Sua imagem. Com a tatuagem, você chama a atenção das pessoas em seu corpo, enquanto toda a atenção deve ser focada no Senhor Jesus Cristo, Deus o Pai, e o Espírito Santo, a Trindade em cuja imagem você foi criado. Não diga, mas com a minha tatuagem há uma cruz que aponta para Jesus. Lev. 19:28 é clara não tatuagem!
Mas você já tinha tatuagem ( tatuagens) antes de ser convertido. E agora? Confesse isso primeiro. E não mostre sua tatuagem, mas coberta com roupas. No YouTube, um homem mostra fotos de seu corpo, incluindo todo o rosto com tatuagens. Ele tinha um filho e tinha vergonha disso. E já tem todas as tatuagens removê-lo do rosto. Sim, você vê as fotos e não há mais nada a ver, exceto pequenas cicatrizes. Ele voltou à fé depois. Louvado seja o Senhor!

Como você agradar a Deus?

O crente agrada a Deus, o Pai, e ao Senhor Jesus Cristo, mantendo a Torá, os preceitos de Deus no Antigo e no Novo Testamento, através do poder do Espírito Santo. Esta manutenção não é forçada. Pessoalmente, confesso meu pecado quando me dou conta da minha transgressão, ou quando o Espírito Santo me aponta para o pecado. Essa é uma vida relaxante e não dá brecha à satanás. Isso é cuidar de viver uma vida santa, uma vida para agradar ao Senhor Deus.

Verso 1 Em oposição à escravidão dos espíritos legalistas, deve ser dada uma exposição da fé e atitude cristã em relação à vida. A liberdade em si é um vazio: a liberdade deve ter fundamento, propósito e conteúdo. Todo mundo que quer dirigir um carro deve ter uma carteira de motorista. A carteira de motorista diz ter conhecimento das regras de trânsito e capacidade de dirigir um carro. Sem regras de trânsito, o trânsito se torna um caos com muitas mortes e feridos. Tomar a direção egoísta como prioridade leva ao bloqueio de cruzamentos e o progresso para, resultando em caos. O não cumprimento das regras, parar em frente ao sinal vermelho e zebra, dirigir embriagado, passar à direita (com tráfego à esquerda) leva a muitos acidentes. O mesmo se aplica à liberdade da fé cristã, se o crente não guarda os mandamentos, isso leva à perda de fé, depressão, zombaria e desprezo pelos incrédulos e danos ao Reino de Deus.
Jesus Cristo redimiu o crente da penalidade do pecado, o jugo da lei. No mundo antigo, a lei atualiza o pecado. É uma obrigação, toda violação requer uma oferta pelo pecado, leva a punição, pena de morte por apedrejamento ou queima com fogo. A liberdade em Cristo leva a uma vida santa que agrada a Deus o Pai. O crente se depara com uma escolha: a escravidão, como desejam os judeus, uma vida de medo. Ou uma liberdade com amor a Deus e ao próximo. Os verdadeiramente livres são os SERVOS de Deus: permanecer FIRMES e PROLONGAR-SE na fé e deixar a velha vida mundana para trás..

Versos 2-3 Com forte autoridade apostólica e pessoalmente: Eis que eu, Paulo, vos digo que. Eu mesmo, que acreditava na circuncisão, percebi que a circuncisão dos gentios não tem utilidade. Eu, o apóstolo de Cristo Jesus, digo para você não ser pego na rede de motoristas judeus da circuncisão. A liberdade da circuncisão de Timóteo tem sua base em sua educação judaica. Nenhuma circuncisão de Tito é completa liberdade, pois ele é um pagão nato. O antigo não pode complementar o novo. A graça de Jesus Cristo é suficiente. A circuncisão é um cumprimento da lei, um egoísmo oculto do homem. Os adventistas obedecem plenamente ao sábado. Quem concede em um ponto deve obedecer a tudo: tudo ou nada, que é a esfera da lei e se torna escravidão. Porque tropeçar em um ponto da lei é culpado de toda a lei. Um infinito do mal. Reutilize um carimbo já usado que não tenha sido carimbado. Dê a outra pessoa um retorno não utilizado do trem. Onde fica a fronteira? O fim do caminho não é claro: em todos os lugares surgem novas dificuldades e novos mandamentos (interpretações da lei por rabinos judeus).

Verso 4 Quem deseja ser justificado pela lei fica fora da graça de Cristo. Se separou de Jesus. Espera-se novamente a redenção de manter e fazer o que a Torá prescreve. Então é preciso também trazer as ofertas pelo pecado para cada pecado cometido. Na época desta carta, o templo em Jerusalém ainda existia. Assim, em nosso tempo, como alguém ainda pode trazer ofertas pelo pecado? E por falhar em trazer a oferta pelo pecado, a pessoa é culpada de toda a lei. E isso leva a uma separação eterna de Deus e ao castigo eterno pelo pecado: o lago de fogo.

Verso 5 Nós, apóstolos e crentes que permanecemos com os ensinamentos de Jesus Cristo, acreditamos que Jesus Cristo morreu pelo pecado. Tendo recebido a habitação do Espírito Santo pela fé, Quem quer nos ensinar, nos convencer do pecado, quer ser nosso guia para viver santo. Quem nos faz conhecer a vontade de Deus. Nesta base, podemos esperar a vida eterna no Céu e ser libertados da penalidade do pecado.

Verso 6 Nem a circuncisão nem a incircuncisão vale coisa alguma, a rebelião contra Deus se aplica a ambos. Não desejando obedecer aos mandamentos de Deus. Mas um novo poder é revelado na fé: amor. Uma nova criação, nascendo de novo, deixando o mundo com seus desejos egoístas, deixando o Proprio-Eu. A palavra AGAPÉ é usada aqui pela primeira vez. Para Paulo, a fé que opera através do amor é o mesmo que guardar os mandamentos de Deus. Essa fé não é justificada pelo amor, mas funciona pelo amor.

Versos 7-8 Corríeis bem. Os Gálatas haviam aceitado o evangelho na pregação de Paulo. Eles se afastaram do modo de vida mundano e começaram a viver no Espírito. O que aconteceu com você por doutrina estranha, diferentes interpretações da verdade e um jugo de escravidão?

Verso 9 Um pouco de fermento leveda a massa toda. São necessários apenas 7 gramas de fermento por 500 gramas de farinha, ou seja, 1,4%. Este pequeno fermento é suficiente para o pão crescer e assar. Quando o pecado conhecido é tolerado em uma congregação, ela amassa toda a congregação. Outros membros da igreja com seus pecados não confessam culpa, mas se referem à tolerância ao pecado tolerado. Os incrédulos apontam para o pecado tolerado (adultério, coabitação etc.) e não querem saber sobre nenhum reconhecimento do pecado. Uma baixa tolerância de interpretações dos judaísta (uma tolerância da circuncisão) leva a cada vez mais obediência à lei. Uma estrada contínua. É por isso que todos os ensinamentos dos judaístas rejeitam resolutamente.

Verso 10 Paulo está convencido de que, com as palavras acima, o Espírito Santo separará os Gálatas daqueles que se desviam. Sim, continua Paulo, os falsos mestres e juízes serão punidos pelo Senhor Jesus Cristo. Que isso seja uma lição para pastores que não explicam corretamente a Bíblia, que são tolerantes ao pecado e não disciplinam. Para o assento do juiz Jesus, eles terão que responder pelo SENOR e serão recompensados proporcionalmente (punidos). Quem não tem certeza sobre o ensino e a explicação da Bíblia a partir do púlpito na igreja ou estudo da Bíblia, causando confusão entre os membros da igreja, deixa a pessoa convencida de que ela terá que responder a Jesus.

Verso 11 Eles desafiam Paulo na circuncisão de Timóteo. Mas Paulo se defende proclamando a cruz de Jesus: o fim da lei que Jesus cumpriu. E se Paulo tinha circuncidado Timóteo, por que eles ainda o perseguiam? A ofensa da cruz é que a cruz pôs fim à lei, não pelas obras humanas, mas pela fé na obra consumada de Jesus e na ressurreição da morte de Cristo.

Verso 12 Paulo vai um passo além, deixe-os castrar-se (oxalá se mutilassem) que o inquietand. De acordo com Deut. 23:1, uma pessoa castrada não pode entrar na reunião do Senhor. Que ironia de Paul. O zelo excessivo deles os coloca em conflito com sua própria Torá.

Versos 13-15 O crente é chamado para ser livre. Como esse texto não é usado por muitos pastores religiosos ou enganosos que, como cristão, tem total liberdade? O cristão estaria livre do pecado ou pecar. Estaria livre da lei, a Torá. O texto e outros seriam a base de que, como cristão, podemos viver uma vida mundana, fazer sexo antes do casamento, fazer sexo com quem desejamos, porque Jesus morreu por todos os pecados (e só confessa por perdão). Que engano, Paulo fala claramente uma linguagem diferente em suas cartas. A liberdade cristã pode ser ofensiva para os irmãos fracos. A liberdade cristã, no entanto, NÃO é uma licença para pecar, mas para servir e agradar a Deus. A desarmonia está na CARNE, a compulsão pela vida terrena que persegue a si mesma. Os Coríntios são carnais porque há inveja e disputa entre eles. O cumprimento diligente da lei do SEU PRÓPRIO poder também é carnal. A carne é toda a capacidade e desejo humano que vai contra Deus. O espírito é o amor de Deus e do próximo em primeiro lugar. A abnegação radical de Jesus na cruz.
Se houver discordância (vos mordeis e devorais uns aos outros) na igreja, a igreja entrará em colapso e a caridade chegará ao fim. Prova clara de que a lei não está sendo cumprida: você amará seu próximo como a si mesmo. Como não há uma divisão dentro das igrejas, as igrejas se recusam a cooperar durante as campanhas de Natal e evangelismo? E quem está sorrindo? Sim, satanás está rindo porque ele é o vencedor e o crente o grande perdedor.

Versos 16-18 A ruína dentro da igreja só pode ser evitada se todos os membros da igreja andarem no Espírito. Desejar a carne não é apenas desejo sexual, é o desejo de respeito que outros crentes o admiram por causa de seu lugar na igreja. Desejar a carne é um carro de luxo, casa de luxo, riqueza, ter tudo o que seu coração deseja. Está desprezando os mandamentos e mandamentos de Deus. Eles são os pensamentos humanos errados na mente humana. Durante esta vida na Terra, há uma luta constante entre CARNE e ESPÍRITO. Eles são perpendiculares um ao outro. Porque o crente é e continua sendo um pecador com caráter pecaminoso que não faz o que quer, mas a natureza pecaminosa constantemente seduz. Sempre uma vida conduzida pelo Espírito, o crente pode dizer NÃO ao pecado e fazer o que agrada a Deus. O Espírito libera a vontade humana de viver para o bem de Deus. O crente que vai à igreja aos domingos e vai a festivais durante a semana, vive com amigos incrédulos, não se importa com a vida espiritual, não lê uma Bíblia, dificilmente pode esperar que o Espírito o guie (o Espírito se extingue) porque esse crente vive uma vida carnal. A consequência de ficar para trás na terra com o Arrebatamento da Igreja.

Versos 19-21 As pessoas que desejam defender a lei invocam regras claramente definidas e documentadas. A aguda consciência do homem. No entanto, o Espírito também dá uma orientação clara, testemunhada pelas cartas de Paulo e dos outros apóstolos. Neste verso, Paulo torna evidentes as obras da carne. Essas obras não são apenas claras no mundo, mas infelizmente também na igreja, com os crentes do mundo. Alguns crentes se gabam de seus dons espirituais como um sinal de sua vida espiritual. Enquanto o modo de vida deles é cheio de adultério, engano ou riqueza. Os dons espirituais servem para ganhar os incrédulos e repreender os crentes. Os dons espirituais não dizem absolutamente nada sobre sua vida espiritual pessoal. Um teste pode ser olhar a lista dos versos 19-21. Esta lista está longe de estar completa, pode-se complementá-la com os 10 mandamentos, 1 Coríntios 6:10, Efésios 5: 5, 1 Pedro 4:3-4, 15.
A prova da vida espiritual segue no verso 22. Se alguém vê esses frutos na vida diária de um crente, pode-se dizer que ele vive sob o controle do Espírito Santo.

Quais são as obras da CARNE?

Versos 19-22 https://www.vandale.nl/gratis-woordenboek; https://nl.wikipedia.org; https://www.encyclo.nl
  1. PROSTITUIÇÃO A palavra Porneia é usada em grego. Nas traduções da Bíblia, geralmente traduzidas por "fornicação" ou "prostituição". Porneia inclui fornicação e outras formas de relações sexuais não autorizadas. Todas as relações sexuais fora do relacionamento monogâmico sexual entre o casado homem e sua esposa. Então pornografia, incesto, pedofilia, sexo com animais ou sexo, prostituição, sexo antes do casamento.
  2. IMPUREZA não rastreável, sujo, repreensível, algo que de acordo com a Torá não é aceitável. Exemplo O judeu tornou-se impuro depois de tocar na carcaça de um animal morto.
  3. LASCÍVIA Excessivo; Frouxidão; Independência; Imoralidade. Quem não adere a regras e regulamentos morais.
  4. IDOLATRIA Um ídolo é um objeto de adoração divina que não é o Deus verdadeiro. Júpiter Apolo Marte eram deuses dos antigos gentios, Wodan e deuses Thor dos normandos. O sol e a lua podem se tornar objetos de idolatria. Adoração de satanás e/ou demônios, pessoas falecidas. Imagem de Buda, imagens japonesas, imagens de santos na Igreja Católica Romana. Qualquer adoração que não seja dirigida a Deus o Pai, e ao Senhor Jesus Cristo.
  5. FEITIÇARIA Bruxaria, Magia, Vodu. Poderes sobrenaturais (satanás e demônios) tentam manipular. Para muitas pessoas neste mundo moderno, a feitiçaria é algo que só pertence ao mundo dos contos de fadas e à fantasia. Após a era do humanismo e do racionalismo, as pessoas são cada vez mais influenciadas pelo misticismo, esoterismo, gnosticismo e Nova Era. Além disso, as pessoas devem pensar em dons e fenômenos paranormais.
  6. INIMIZADES Inimigo duradouro. Não querendo perdoar, mesmo depois da desculpa do agressor.
  7. CONTENDAS Desacordo, causando argumento, aversão, conflito, debate, disputa.
  8. CIÚMES é um tipo de descontentamento e aborrecimento em relação a outras pessoas. É um sentimento que é experimentado como desagradável. Alguém que está com ciúmes deseja que alguém tenha menos que ele ou que alguém perca algo que, por sua vez, consegue. Sentimento irritante porque alguém tem algo bonito ou agradável. Uma antipatia pelo que o outro tem.
  9. IRAS é um estado de descontentamento em que se perde toda a calma; um feroz movimento da mente. Se o zangado perde seu domínio sobre a mente, então se fala de raiva. Se essa raiva é acompanhada por grandes ruídos ou movimentos violentos, o frenesi é usado.
  10. FACÇÕES Egoísmo, interesse próprio, ganância. A busca do interesse próprio, sem levar os outros em consideração. O egoísmo é uma característica humana na qual alguém se esforça para seu próprio benefício e felicidade, enquanto negligencia os interesses e a felicidade dos outros./li>
  11. DISSENSÕES Desacordo, divisão, controvérsia, atrito.
  12. PARTIDOS Escolhendo a festa de uma determinada pessoa ou algo assim. Divisão.
  13. INVEJAS inimizade do ódio, inveja amarga, desgosto pela prosperidade (a honra, a felicidade, a riqueza etc.) dos outros.
  14. BEBEDICES é um estado físico e psicológico no qual ocorrem fortes mudanças comportamentais devido a um excesso de álcool no sangue. Nos seres humanos, isso geralmente ocorre por beber líquidos alcoólicos. Sendo incapaz de pensar e agir mais claramente. Mas também se pode pensar no uso de substâncias viciantes.
  15. ORGIAS do significado da palavra grega original KOMOS, o significado de bravura, revolta, o que acompanha e as consequências da intoxicação, excesso de comer e beber, ganancioso e excessivo, deboche.

Paulo e Pedro alertam que esses crentes NÃO herdarão o Reino de Deus. Sob a lei, as obras do homem trouxeram a morte. O Espírito vem com o perdão dos pecados e do amor. O crente que se despede das obras do Espírito e as busca no mundo, se despede de sua fé no perdão e obterá a consequência de não herdar o Reino de Deus. Os caminhos dos crentes do mundo terminam na morte, na transitoriedade. Eles ficam para trás do Arrebatamento da Igreja. Que eles cheguem a esse arrependimento nas tribulações da Grande Tribulação e não sucumbam a aceitar o sinal 666, que significa um fim definitivo no lago de fogo. Espero que esses crentes cheguem a entender e recusar o sinal 666, o que significa tortura, mas vida eterna (na Nova Terra?), não no lago de fogo.

Verso 22 O fruto do Espírito Santo deve ser separado dos dons do Espírito Santo em 1 Coríntios 12: 8-11. Os dons dados são finais e não serão levados pelos pecados do proprietário. Eles servem para construir o Reino de Deus. O fruto do Espírito Santo é uma coisa pessoal, normalmente cresce e determina o relacionamento do crente com Deus. Quanto mais perto de Deus, mais obediente é o crente, mais os frutos do Espírito Santo serão visíveis na vida cotidiana desse crente. Alguns dizem que o fruto singular e não plural frutos indicam que todos os resumos deste verso significam que todos estão presentes. Eu pessoalmente não posso testemunhar isso. Que todos esse 9 estão presentes ao mesmo tempo.

Quais são as obras do Espírito?

  1. AMOR, VER 1 Corintios 13
  2. GOZO é uma emoção positiva, uma satisfação com as circunstâncias ou o ambiente. Quem é feliz, não sente falta ou estresse, tem sentimentos positivos sobre o meio ambiente ou sobre si mesmo e, portanto, não tem grande necessidade de mudar as circunstâncias. Uma expressão bem conhecida de alegria é o riso, mas às vezes alguém também pode chorar de alegria. Aqueles que são felizes também farão os outros felizes – Anne Frank.
  3. PAZ é definido em termos positivos como um estado benéfico de paz e harmonia, ou em um estado negativo como uma ausência de desordem, conflito ou luta.
  4. LONGANIMIDADE Misericordioso, Generoso, Paciente, Tolerante. Muito paciente, flexível, capaz de tolerar muito (antes de ficar com raiva).
  5. BENIGIDADE algo que mostra preocupação e atenção pelos outros, sorri, elogia, interessa-se pelo outro, cortês, ajudando-se na adversidade e na adversidade, interesse genuíno pelo outro
  6. BONDADE tem o significado de um certo grau de excelência. É uma qualidade desejável, algo que é recomendado, confiável, agradável, admirável, muito bem-vindo. Ser diligente em fazer o bem. Deus às vezes pode corrigir muito bruscamente, é a bondade em ação. Dessa forma, os pais podem corrigir seus filhos e isso é bom porque ajuda a produzir um adulto responsável.
  7. FIDELIDADE ou lealdade é um vínculo moral, tenacidade ou adesão a um compromisso, vínculo ou obrigação. Onde esta obrigação não é cumprida, onde a lealdade é violada e a infidelidade ocorre, pode haver traição.
  8. MANSIDÃO refere-se a uma característica de caráter que testemunha bondade. Alguém que é gentil, tem um caráter amigável e é gentil por natureza. Os mansos nunca prejudicarão deliberadamente os outros, pois isso contraria sua natureza mansa. Gentil em mente, não inclinado à ferocidade, estabelecendo-se facilmente.
  9. DOMÍNIO PRÓPRIO significa que em situações emocionais fortes você é capaz de lidar com suas próprias emoções; você tem controle sobre seu próprio comportamento, consegue controlar seus desejos, necessidades e desejos e sabe como evitar escalações. A palavra grega enkratia, que significa: "possuir poder, ser forte, ter domínio, estar em posse, ter controle, (auto) controlado, controlar desejos".

Verso 23 O fruto do Espírito Santo cumpre a lei, ama a Deus e ao próximo como a si mesmo. Isso não conhece mais a lei como coerção, mas é uma espontaneidade que emana do Espírito Santo que habita em nós. Não é algo que o crente tem sob controle, é o Espírito Santo que trabalha no crente, em parte porque o crente deseja esse fruto e através de sua santa caminhada da vida.

Versos 24-26 O crente que pertence a Cristo Jesus será um discípulo/seguidor de Jesus. As pessoas verão o estilo de vida de Jesus em sua vida diária. Uma vida de sacrifício, boa para os outros seres humanos, não má, perdoadora, mas também rigorosa em repreensão contra os Fariseus e escribas. Cheio de educação e com exemplos da vida cotidiana. Uma vida focada em agradar a Deus Pai. Não egocêntrico, simples sem riqueza, compartilhando um com o outro. Resistência às tentações do mundo (as três tentações a Jesus por satanás). Dizendo não aos desejos e paixões, que as pessoas admiram você, se gabam de suas qualidades.
É o Espírito Santo que convence dos pecados, que garante que o crente acompanhe. A condição é que o crente se abra à operação do Espírito Santo através de sua confissão pelo pecado e não entristece o Espírito. Isso também significa não estar vangloriosos, não provocando-nos uns aos outros, não invejando-nos uns aos outros.

Volta MenuRetorne para acima


Gálatas 6 - Apoiar um ao outro

Verso 1 Paulo continua sua educação. O judeu não ajuda o irmão caído, sua lei mata o amor e agradece a Deus por ele não tem caído. Nesta esfera, todo erro (pecado, violação da lei) conta como um erro do próximo, uma degradação, um deslize da carne.
Paulo ressalta que os membros da igreja são apenas pessoas pecadoras. Você que sabe admoestá-lo e pegar seu irmão ou irmã por uma violação, cuidado, porque você é apenas humano, pode facilmente pode cair na mesma violação. Onde está sua vida espiritual em Espírito e amor e apoio fraternos? Uma reprimenda no amor é correta, mas depois disso a cr´ítica deve vir sem que não caia na ofensa novamente.

Versos 2-5 Paulo se aprofunda, viver juntos na igreja só é possível se alguém se edificar, se ajudar e houver amor e paciência mútuos. Manter o controle da igreja está em perigo: auto-glorificação individualista. As pessoas se consideram melhores que as outras e, com essa vida espiritual de alta qualidade, têm o direito de corrigir o irmão ou a irmã menor. O apóstolo rejeita esse importante ato. Se existe dignidade ou prestígio real, se há coisas em que uma é superior à outra, é preciso tolerar uma à outra. E assim a lei de Cristo é cumprida, com toda humildade um considera o outro mais excelente que ele. Esse é o mandamento do amor. Essa atitude viveu com Jesus como servo.
Todo mundo testa se ele ou ela pode resistir à prova de Jesus diariamente ou se as pessoas tropeçam na comparação com Jesus. Todos receberam seu próprio lugar no corpo de Cristo e seu próprio dom do Espírito. Um não é mais que o outro. É obra de Jesus e do Espírito Santo. A pessoa pecaminosa não tem nada para se considerar mais excelente que a outra. Todos terão que prestar contas a Deus.

Versos 6-8 Jesus estabeleceu a regra que os pregadores do evangelho vivem, Mateus 10:7-15. Os membros da igreja são responsáveis pelos custos da igreja, incluindo construção de igreja, luz, água, manutenção e salário do pastor e evangelização. A mensagem do evangelho e do ensino deve ser levada completamente e em ordem. Dinheiro e propriedade devem vir da igreja. O apóstolo leva esse assunto à tona: DEUS NÃO SEJA DESAPARECIDO! Se uma congregação mostra pesos e dons espirituais (como falar em línguas) e sabe reprovar os outros, mas falha nos regalos materiais, as pessoas zombam de Deus! Isso é engano desonesto. O trabalho do diabo através da permanente falta de dinheiro. No entanto, Deus leva a sério a manutenção do evangelismo e das igrejas.
O que o homem semeia, ele também colherá. Se o agricultor não plantar boas e muitas sementes, ele também receberá uma colheita ruim. Se o crente falhar em semear o evangelho e tornar isso impossível, ele ou ela será salvo apenas pelo fogo e não receberá uma recompensa. Quem semeia com moderação colhe a morte. Quem vive em carne colhe a morte. Quem vive no Espírito colherá ouro, prata ou pedras preciosas. Um texto rabínico diz: "No dia de Ano Novo, os meios de subsistência do homem para o próximo ano são determinados por Deus. No entanto, isso não inclui o que o homem passa nas férias ou traz seus filhos para a casa do professor como um presente: o que ele deseja para isso. Além disso, Deus lhe dá coisas que, brevemente, ele reduz a Deus".

Versos 9-10 Os membros da igreja devem ser constantemente incentivados a viver no Espírito e retornar a uma vida no mundo. Isso requer toda a atenção do pastor, ancião, diácono, professor da escola dominical e líder do grupo de estudo da Bíblia. Sua primeira responsabilidade são seus próprios membros, mas também o cuidado social de pessoas de fora. Seria uma zombaria do mundo se a igreja não se importasse com a miséria do mundo.

Verso 11 Uma conclusão pessoal para esta carta. O conteúdo desta carta foi ditado por Paulo? E agora segue um bloqueio de extremidade única? Por que com letras grandes? Uma explicação é para impressionar. Outra explicação é que Paulo estava cego por sua cegueira no caminho para Damasco. De qualquer forma, pessoalmente, uma escritura que os Gálatas conhecem e sabem que esta carta vem de Paulo e não de mais ninguém.

Versos 12-16 Paulo se vira contra seus oponentes novamente, que querem uma boa aparência do lado de fora e querem desempenhar um bom papel. São pessoas que desejam impor a lei com, entre outras coisas, a circuncisão, mas que se mantêm longe de cumprir a lei. Então diga o apóstolo, não siga o exemplo deles. Eles desejam impor a lei e rejeitar a cruz de Jesus Cristo que traz liberdade e vida eterna. Só se pode fazer o bem de uma maneira, a saber, como escravo do Senhor Jesus Cristo. A cruz de Jesus trouxe a liberdade de punição ao pecado (a lei). Isso é tudo fama. O crente é uma nova criação em Jesus, um novo cidadão no reino celestial.

Versos 17-18 Paulo está pedindo aos Gálatas que parem seus ataques (moleste) ao seu evangelho, seu apostolado e pessoa. As perseguições dos judeus (2 Cor. 11: 24-27) deixaram claramente suas cicatrizes com ele. A prova de que ele está disposto a sofrer pelo evangelho e por seu Senhor, e não está disposto a agradar as pessoas. A melhor prova do seu apostolado. Não há saudação nem beijo sagrado no final desta carta. É a graça do Senhor Jesus Cristo que deve abrir os olhos deles. Um final frio aos irmãos.

Volta MenuRetorne para acima