Deus é Sabedoria  

INSTITUTO EVANGÉLICO BEM DO BRASIL
Rodando Estudo Bíblico

Estudo Bíblico de Mateus 11-20

  1-10    11    12    13    14    15    16    17    18    19    20    21-26    27-28  

Fonte: Het evangelie naar Mattheüs ISBN 9026607660; New Testament Commentary ISBN 0851511929

Seguir Jesus - Mateus 11

Verso 1 Jesus deu seus ensinamentos e instruções aos discípulos. Agora segui a ordem para proclamar isso em toda a Judéia e fazer na prática.

Versos 2-3 João Batista foi preso, Mt. 14:3-5 porque João tinha dito a Herodes que ele estava errado em ter a esposa de seu irmão. João deixou seus discípulos perguntarem a Jesus: Você é o que deviamos esperar? Esta dúvida decorre do fato de que o João pregou o Messias Jesus como a pessoa que julga (Mt. 3:7) e chamava ao arrependimento de pecado e não como um curandeiro de doentes.

Versos 4-6 A resposta de Jesus vem em Isaías 35:5-6 Então, se abrirão os olhos dos cegos, e se desempedirão os ouvidos dos surdos; os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantarão; pois águas arrebentarão no deserto, e ribeiros, no ermo. Jesus lembra com isso a João, olha estas profecias sobre o Messias são cumpridas, que significa que EU sou o Messias. Sim, mais do que as profecias, porque Jesus também desperta os mortos dos mortos.

Versos 7-8 Enquanto os discípulos de João retornaram à prisão com a resposta de Jesus, Jesus retorna para as multidões. Muitos foram duvidar ao João. Ele era apenas uma palheta, uma pessoa fraca, que está agora na prisão. De modo nenhum, João teve fortemente chamando para arrependimento sobre o pecado, chamado os fariseus e saduceus de raça de víboras, tinham repreendido Herodes de viver com a esposa de seu irmão.

Versos 9-10 Porque vocês vão ver João de toda a Judéia? Sim, correto ele pregou o Reino de Deus, o arrependimento dos pecados. Sim, correto, que ele é o cumprimento de Malaquias 3:1, o mensageiro, que preparará o caminho para o Messias.

Verso 11 João tinha cumprido a sua missão como profeta e pregador do Messias chegando, veja João 1:29 Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! Dos profetas, ele é o maior como profeta e pregador do Messias.

Verso 12 João tinha falado de Jesus como o Messias, a vinda do Reino dos céus (Deus). Este reino é só para pessoas (esforçadas) que querem reconhecer seus pecados, arrepender-se de sua vida mundana e mudar a sua vida de serviço a satanás e do mundo, em uma vida no serviço de Deus (este chamadas de esforço, uma escolha consciente e a resistência contra os prazeres mundanos e riquezas e resistência contra satanás e os demônios. Uma entrega total ao Espírito Santo para fazer a vontade de Deus). Por outro lado, podemos pensar do Sinédrio (chefe sacerdotes, fariseus e saduceus) quem quer parar com esforço o Reino de Deus.

Verso 13 A lei e os profetas falaram sobre o homem pecador, a necessidade de reconhecimento de dívida, arrependimento e reversão da vida ao serviço dos ídolos.

Verso 14 João é o profeta Elias, que viria para o Dia do Senhor, Mal. 4:5, de acordo com Jesus. Embora o Dia do Senhor está ainda no futuro, é um precursor de João. Com Apocalipse 11:3 as duas testemunhas (Moises e Elias) se cumpri Mal. 4:5.

Versos 16-19 As crianças brincando nas praças e chamam as outras crianças para brincar. As crianças tocam na flauta e dançam, mas o compartilhamento foi interrompido, não querem dançar. Em um funeral são as lamentações cantadas, no entanto, um grupo não dispensável. Ou são as crianças, que têm jogam funeralinho. Um grupo não irá ser mandado e é jogo-disjuntores. É claro que com este gênero, são referidos os judeus que viviam na época de João de Batista e Jesus. Deus envia seus últimos profetas antes de chegar o fim do tempo. Este gênero só pode ditar e crítica. João de Batista foi um separador de jogo, porque ele jejuou, sóbrio viveu e chamado para o arrependimento, enquanto o partido de judeus queria comemorar. Jesus era um separador de jogo, porque Ele andava com os cobradores de impostos e pecadores e os judeus e o Sinédrio exigiam rigorosa discriminação. Um não quis envolver-se com João, mas ele alegou que ele tinha um espírito maligno. Embora festejando a Jesus, que curou de doenças e demônios, dEle um alegou que Ele é amigo dos cobradores de impostos e pecadores. Ambos foram rejeitados pelo povo judeu e o Sinédrio. Esta geração continuou a preferir o jogo ao ar livre. Não participação em arrependimento e reconhecimento do pecado, não há vida eterna no Céu. A sabedoria de Deus é mostrado por João de Batista e Jesus, a justiça é mostrada com base nas obras de João e Jesus. Ambos têm mostrados o plano de Deus com o mundo e a redenção do pecado. No entanto este povo de agradar a si mesmo e não queria e rejeitou a salvação.

Versos 20-24 Jesus começa com a menção das cidades onde Ele fez a maior parte das curas e das suas forças. Corazim possível uma cidade, agora como ruína, três quilômetros a nordeste de Cafarnaum. Betsaida, localizada a norte da boca do rio Jordão, no mar da Galileia. Tiro e Sídom eram famosos por seu comércio, transporte e riqueza, mas também por sua injustiça no comércio. No entanto se os milagres de Jesus foram lá aconteceu, terem que em breve já convertidos. O julgamento de Deus sobre Tiro e Sídom são descritos em Isaías 23 e Ezequiel 26-28.
Cafarnaum, cidade onde Jesus "viveu", e Jesus pregou na sinagoga, e muitos milagres realizados, qual cidade que espera para ser exaltada ao Céu, mas lá os judeus vivendo rejeitam Jesus. Portanto, o julgamento sobre eles será pior do que para os pagãos de Sodoma, que já havia sido destruída por Deus na época de Abraão. Deus julgará no dia do julgamento, com base nos seus conhecimentos. Sodoma não viu, os milagres e a pregação de Jesus, no entanto, os judeus tinham e, portanto, seu julgamento será muito mais pesado.
Lição: As nações da antiguidade que nunca ouviram falar de Jesus, o julgamento deles seria sob sua consciência. O homem que tem conhecimento, ou poderia ter levado conhecimento (lendo a Bíblia, olhar, examinar o que significa o evangelho na televisão e a internet), o julgado é mais fortemente por Deus no Dia do Juízo. O homem atual não tem nenhuma desculpa de NÃO TINHA CONHECIMENTO. Internet, televisão e igrejas pregando as boas novas, o Evangelho, o Reino de Deus.

Versos 24-25 Após os versos anteriores onde Jesus proferiu seus juízos sobre as cidades não cooperativas e o veredicto sobre os infiéis, agora Jesus agradece Seu Pai. Ocultaste estas coisas são as coisas sobre a libertação dos pecados e vida eterna no Céu.
Os homens sábios e instruídos, as pessoas que estudaram, os especialistas na Torá e os profetas. Pessoas que precisam de saber. No entanto seu estudo com sua própria explicação os traz ao erro e a descrença.
Os pequeninos são os fracos e os pobres, que precisam de cura, se arrepender e se arrependem de seus pecados. Quem se atreve a reconhecer um pecador e Jesus Cristo como seu Salvador. Reconhece que eles não podem redimir-se do julgamento de Deus.
Com um Sim, ó Pai, Jesus fecha esta oração, dizendo então, é um prazer para o Pai que crianças fracas, que por si só não batem no peito por causa de seu conhecimento, mas reconhecem ser pecador e confiam em Jesus.

Verso 27 O Pai e Jesus são uma unidade, a Trindade. O Pai é acima de tudo e o Pai da através da crucificação e salvação pelo Jesus, todo julgamento e poder a seu filho Jesus. Através dos ensinamentos de Jesus e sua forma de vida, Deus, o Pai, torne-se visível para pessoas pecadoras, na terra. É o Filho, o que determina para quais pessoas (na época apenas para os judeus na Judéia e um único samaritano) tornam-se visível. É Ele quem escolheu os doze discípulos (depois da oração com o Pai).

Versos 28-30 Não os sábios e instruídos, mas os pobres e os fracos, que estão cansados e sobrecarregados, que Jesus convida para vir a Ele. Eles estão cansados do fardo opressivo das 613 regras da lei judaica, o jugo da Torah, o qual não traz alegria e libertação. Uma Tora para viver pontualmente de acordo com os sábios, os escribas e fariseus.
Um jugo foi colocado sobre os ombros e o pescoço, e com cordas ou cadeias a carga era fixda, que fortemente presa aos ombros e pescoço e às vezes causava intensa dor. Também pensa de um jugo, que foi usado nos animais (por exemplo, arado de bois).
Assumem o jugo de Jesus, ou seja, ligar você a Jesus, o jugo de reconhecimento para o pecador e o verdadeiro significado da Torá (amar primeiro a Deus e ama o seu próximo como si mesmo) e fazer a vontade de Deus. Submeter-se a viver sob a orientação do Espírito Santo.
Em seguida, vem a paz, a paz do poder do Espírito Santo, QUE dá o poder de fazer a vontade de Deus, amar o seu próximo como si mesmo e cumprir os mandamentos de Deus. O jugo fica leve, no entanto, isso é realizado pela ação do Espírito Santo no crente.
Aprendei de Mim, Meu modo de vida, a Minha instrução, Minhas parábolas, Minhas palavras a Bíblia.
Por que? Porque Jesus é manso e humilde de coração. Sua atitude humilde (do servo) a Deus, o Pai. Jesus era manso, senti pena do homem que viviam lutando para manter a lei, tinha compaixão com as pessoas doentes e endemoníados. Gemendo sob o peso dos pecados.
Descanso para sua alma. Após a rendição de Jesus (reconhecimento do trabalho finalizado e aceita Jesus como seu Salvador) e ao Espírito Santo (que faria a Vontade de Deus em você), segue o descanso para sua alma, a reconciliação com Deus, o Pai.
O jugo de Jesus é suave e leve. A vontade de Deus é melhor para você. Também em circunstâncias difíceis, perseguição, também em prisão e tortura por causa de sua fé em Jesus Cristo, Jesus é contigo e Ele vai dar-lhe a Sua força.

Volta MenuRetorne acima


Trabalhar no sábado - Mateus 12

Versos 1-2 O significado do sábado para o judeu na época de Jesus, mas também no presente pode ser difícil de ser classificado. Penso nos elevadores em hotéis em Israel, que funcionam automaticamente nos sábados e nenhum fogo é ascendido no sábado. Êxodo 35: 1-3 é muito claro, "Estas são as palavras que o Senhor ordenou que se cumprissem. Seis dias se trabalhará, mas o sétimo dia vos será santo, o sábado do repouso ao Senhor; todo aquele que fizer obra nele morrerá. Não acendereis fogo em nenhuma das vossas moradas no dia de sábado". A pena de morte consistia de apedrejamento. Os fariseus caminharam e observaram Jesus e Seus discípulos para pegá-los na violação da lei. Eles vêem que os discípulos infringem a lei e que Jesus permitiu, sem punir (para deixar ser apedrejado).

Versos 3-4 A Resposta de Jesus vem sobre a violação da lei pelo rei David. Os fariseus são abordados em seu conhecimento da lei. O rei David pode infringir a lei, porque ele era um rei famoso e amado de Deus? Estava homem comum, assim também o rei de Israel, estritamente proibido comer os pães da proposição. O pão da proposição somente deve ser comido pelos sacerdotes. I Samuel 21:1-6 David com seus homens estavam fugindo do rei Saul. Eles estavam com fome, mas o sacerdote não tem nenhum pão, apenas o sagrado pão da proposição. O sacerdote exigiu que os homens estivessem santos, por causa os homens deveriam abstem-se de unir-se com mulheres. Este sagrado pão da proposição era removido, após trocado por pão fresco. No entanto, Davi e seus homens não morreram depois de comer o pão proibido.

Verso 5 Jesus segue sua resposta com uma referência para os Números 28:9-10 que cada sábado pelos sacerdotes, um holocausto era oferecido. Levítico 24:5-8 cada sábado, o sacerdote deve colocar doze bolos e incenso puro em cada fileira. Então os sacerdotes que trabalham no sábado e ascendiam fogo. João 7:22-23 a circuncisão teve lugar no sábado, no entanto, a lei não foi quebrada pelos sacerdotes.
Tois sabbatois (plural) e não to sabbaton (singular), aponta para cada Sabbath e não a um único Sabbath.

Versos 6,8 Se o rei David já permite que seus homens comam o pão da proposição, quanto mais o Filho de Davi, o Messias prometido, pode permiter que discípulos a colher espigas e a comer no sábado. Jesus é muito mais do que o rei David. Jesus é o Sumo Sacerdote. Então, se um sacerdote pode violar o sábado, Jesus o Sumo Sacerdote pode servir no sábado. O Sumo Sacerdote é o Senhor sobre o sábado.

Verso 7 Jesus refere-se a Oséias 6:6 "Porque eu quero misericórdia e não sacrifício; e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos". Deus tem mais agradável que as pessoas amem seu vizinho como a si mesmo, do que em sacrifícios trazido por seus pecados. Deus tem mais prazer no conhecimento de Deus e da Bíblia, o verdadeiro significado da Torá, do que trazendo sacrifícios e conformidade com a lei de acordo com os velhos. A lei deve ser cumprida com o coração, com amor a Deus e as seus vizinhos. Deus não deseja que o homem sofra de fome, Ele deseja alimentar da Bíblia e sim também, de alimentos.

Verso 9 Jesus continua o seu caminho e vai para o sinagoga destes fariseus.

Verso 10 Lucas 6:6 menciona que é a mão direita, a mão que usa para trabalhar. Esta pessoa não poderia trabalhar e foi condenada a implorar. Os fariseus gostariam muito para processar Jesus por violação do mandamento do sábado perante o Sinédrio (tribunal judeu). Portanto, a pergunta deles: é lícito curar no sábado? De acordo com a explicação DELES foi legal para salvar um homem se houvesse perigo imediato para a vida, mas não em outros casos.

Versos 11-12 Jesus vê através da dureza de corações deles. E reage com uma pergunta de contador: um homem não resgata uma ovelha, se cair em uma cova? Em outras palavras, um ser humano não é mais do que um animal? Ou vocês são hipócritas e consideram uma propriedade (um animal) vale mais do que um ser humano?
Com isso a pergunta deles é respondida, o homem vale mais do que um animal, e então deveríamos fazer bem no sábado e curar.

Verso 13 Agora, algo maravilhoso acontece. Jesus não disse, que a mão deve curar, apenas estende o braço. Estender pode ser um ato normal e não tem consequências. Este homem foi obediente, ele estendeu a mão. E por sua obediência, a mão foi curada.
Jesus mostra que Ele é senhor sobre o sábado, mas joga mais, Ele mostra que Ele é senhor sobre satanás e demônios. A queda e satanás trouxe pecado no mundo. A mão direita mirrada, fazendo com que esta pessoa fosse incapaz de continuar a trabalhar e, assim, o sofrimento de fome, era o poder de satanás e dos demônios. Jesus mostra Seu poder sobre satanás e os demônios, e Ele cura. O homem é obediente a Jesus e não mais a satanás. Ele foi salvo por obediência e sua fé em Jesus e por não colocar a confiança nos fariseus falsos, com seus falsos ensinamentos humanos.

Verso 14 Os fariseus se apegam as seus ensinamentos, mas não têm coragem de entregar Jesus agora ao Sinédrio por causa da multidão, que se alegram com este favor de Jesus. Eles desejam a morte de Jesus, que matam seus ensinamentos e suas explicações.

Verso 15 Jesus com o seu divino conhecimento, pode ler os pensamentos e ver através das más intenções dos fariseus. Ele se retira da sinagoga e muita gente segue. Um caso estranho, os fariseus acusam Jesus que Ele violou a lei, enquanto muita gente o segue e Jesus cura todos. O que significa que muitas pessoas não tinham problemas, que Jesus cura no sábado.

Verso 16 Jesus não quer ser conhecido como médico. Sua mensagem é uma mensagem do pecador de reconhecimento e a necessidade de reconciliação com Deus, o Pai.

Versos 17-18 Mateus cita as palavras do profeta Isaías 42: 1-4. Jesus é o Messias, não o médico e libertador do jugo romano, mas o libertador da punição por Deus sobre os pecados do homem. Meu servo, Jesus é o servo do homem, o servo de Deus, em cujos ombros é a pesada tarefa sobre o castigo de Deus sobre o pecado e morrendo na Cruz. No batismo de Jesus (Mt. 3:16-17) a voz do céu falou: "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo" e caiu o Espírito Santo sob a forma de uma pomba sobre Jesus. Assim, Isaías foi cumprido.

Verso 19 Jesus não contendeu com os fariseus e os escribas. Jesus não clamou. Que isso sirva de lição para os crentes e pastores que gritam aos quatro ventos, gritando nas ruas, gritando na igreja, gritando durante a oração. Jesus falou em voz normal, então Ele estava bem audível. Se gritar, a mensagem não afigua-se, é a mensagem (acompanhada com música alto) torne-se inarticulado, e satanás ganha.

Versos 20-21 Jesus veio para as pessoas fracas, as pessoas que estavam lutando, os doentes, no pouco de fé, os cobradores de impostos e pecadores. Com amor, Ele proclamou a mensagem do pecado e da salvação por Deus. Após Sua morte e ressurreição dos mortos, também o Evangelho veio aos gentios. Veio a esperança de salvação do pecado e reconciliação com Deus, agora já não só pregou para os judeus, mas também pregou para os gentios. NÃO só uma remissão do judeu, mas uma salvação mundana, para qualquer pessoa que quer crer em Jesus Cristo como Salvador e Senhor.

Julgamento sobre o homem - Mateus 12

Verso 22 Muitos foram curadosa e um homem endemoninhado foi a Jesus, que era cego e mudo. Sabemos que por causa da queda, satanás tem arruinado o mundo. Os demônios causam de doenças, tais como paralisia, cegueira e não ser capaz de falar. Não devemos inverter e, portanto, dizer que todas as doenças, cegueira, paralisia é um resultado de endemoninhamento. Tudo isso é também uma consequência e resultado da queda e pelo pecado do homem. Isto pecado pode ser pelo pecado pessoal, mas também pelo pecado da família. Mas também porque um tem objetos na casa, que são dedicados aos demônios (inconsciente por trouxe de volta das férias, fotos de Santos, imagem de Buda, etc.).
Jesus é Senhor e tem o poder sobre satanás e demônios. Aqui Ele mostra Seu poder, que o poder demoníaco é expulso, resultando em uma liberação perfeitamente dos possessos, de modo que ele falou e vi.

Verso 23 O povo vê com seus próprios olhos o que está acontecendo. Eles se admiravam com surpresa. Como isso é possível? Que poder está trabalhando aqui? Este é o Messias prometido, o Filho de Davi? Mas o judeu viu em primeiro lugar o material, o Filho de David como o Salvador do jugo romano. Enquanto Jesus aponta para o pecado. Pecado traz às forças demoníacas, traz miséria e a doença. Jesus virá como Messias, que traz a redenção de satanás, demônios e doenças. Infelizmente, as pessoas não vêem. Suas expectativas são diferente. Possível, portanto, sua admiração forte traga suas dúvidas e se este é o Filho de David?

Verso 24a A tática dos fariseus é clara, desde a pena de morte para a feitiçaria e ações do diabo. A fama de Jesus deveria ser anulada com o povo, acusando-o que Ele era o príncipe dos espíritos, que Ele praticava feitiçaria. Sobre essa acusação, Jesus poderia ser condenado à morte.

Versos 25-26 Jesus responde com: se Eu como Belzebu expulso demônios, isso significa que Belzebu próprio luta através de Jesus. Isso quer dizer que os demônios se estão lutando contra seu próprio príncipe: satanás. Como pode a satanás, manter então o seu reino? Precisa cair por seus próprios demônios.

Verso 27 Os discípulos dos fariseus também expulsavam os demônios. A pergunta de Jesus: por quem os expulsam, então, os vossos filhos? No entanto, pelo poder de Deus, é por isso que estes estudantes julgaram os fariseus.

Verso 28 O fato de que Eu expulso demônios pelo poder de Deus, isso significa que o Reino de Deus está chegando. É sobre vocês: se eles acreditam ou não, o Reino de Deus é proclamado e está perto. É proclamado a vocês. Isso acontece com vocês! É acreditar ou rejeitar. Atribuem a uma expulsao por Belzebu e não atribuídos ao Espírito Santo, é um pecado mortal contra o Espírito Santo (versículo 31, Atos 5:1-11).

Versos 29-30 Se um ladrão vem para roubar os moveis e encontrar o proprietário em casa, então ele deve ser suficiente forte para primeiro amarrar o proprietário e, em seguida, o tira os moveis fora de casa. Jesus primeiro deve ligar satanás e os demônios antes de Ele poder libertar homens pecadores (o Espírito Santo pode convencer o pecador). No futuro satanás e os demônios serão lançados no lago de fogo. Então, finalmente Jesus é o Senhor. Depois e agora o Evangelho está proclamando. O homem pode escolher voluntariamente: OU para Jesus e ser livre do poder de satanás e dos demônios, OU contra Jesus (como os fariseus) e voluntariamente se render ao poder de satanás e dos demônios e permanecem no mundo, mas como resultado do julgamento de Deus sobre seu pecado.

Versos 31-32 Os fariseus em despeito ou o que eles vêem, endurecem o coração e atribuem a força de Jesus pelo Espírito Santo a satanás. Não há nenhuma possibilidade de arrependimento. Davi se arrependeu de seu pecado de adultério e assassinato. Pedro se arrependeu sobre sua negação três vezes de Jesus. Cada pecador, como grande foi seu pecado, assassinato, roubo, adultério, prostituição, aborto, maldição de Deus ou Jesus ou o que for, que se arrependem e confessar o pecado, recebe perdão. No entanto, o homem, que persiste em seu pecado e/ou amaldiçoado o Espírito Santo, fica sem perdão. Nem neste século, o século em que Jesus viveu. Nem no século chegando (no futuro), o século em que vivemos (século após século em que Jesus viveu).
Também refletir profundamente sobre Efésios 4:30 o entristeçais do Espírito Santo (a resistir de reconhecimento de pecado que o Espírito Santo revela), devida por persistir no pecado por 1 Ts. 5:19 a extinção do Espírito Santo. Hebreus 3:7; Salmos 95:7: se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais o vosso coração,!

Versos 33-35 Fruta e árvore não são separados uns dos outros. É a árvore que produz frutos. As frutas precisam o suco de árvore para ser capaz de crescer. O que sai da boca, é o que está no seu coração. A boca revela o que no homem interior está. Para as ações de um homem, um crente, um reconhece sua caminhada com Jesus Cristo. SE Jesus Cristo é seu Senhor e a caminhada revela se o Espírito Santo está no controle sobre a vida do crente, cuidando para o Reino de Deus (boa árvore). Não mostra ao crente nenhuma mudança em seu estilo de vida, mostra uma vida materialista, uma vida no mundo, gostaria de uma vida terrena, é uma árvore má. Uma árvore má, crente, não se cuida para a humanidade, não lê e não estuda a Bíblia, não ora, não ama o seu próximo como a si mesmo, seu mau tesouro se revela pelo interacção dos males e egoísmo.

Versos 36-37 Cada pessoa é totalmente responsável pelo que ele/ela é, pensa, fala e faz. Embora um homem é um pecador, Deus deu lhe/lha um voluntário vontade para fazer escolhas e tomar uma decisão positiva para Jesus Cristo como Salvador e Senhor e se voluntariamente ser guiado pelo Espírito Santo. Pelo poder do Espírito Santo é possível para não ceder ao pecado e para resistir às tentações do mundo e de Satanás e demônios.
Cada palavra que fala de um infiel ou um crente ou líder espiritual ou político, atenderá a prestação de contas a Deus. Era um testemunhado as palavras de Deus, ou uma explicação falsa, ou não respeitadas as leis de Deus e mandamentos? Sobre o Dia do Juízo para os infiéis, veja Apocalipse 20:11-15. Mas também o crente não é livre de julgamento, o crente vai aparecer perante o Tribunal de Cristo, 2 Coríntios 5:10 e serão avaliados para suas obras e palavras, 1 Coríntios 3:12-15.

Verso 38 Os escribas são os especialistas na Torá, os rabinos, que valem como profissionais em questão das Escrituras. De acordo com P. Bonnard, ele diz: Se você não quer que nós falamos mal de você - que mostre com suas palavras (Mt. 12:25-37),o que Você acha, o que te fazemos - assim deixe-nos ver um sinal, que prova sua Messianidade.
O sinal (Sèmeion) mais do que a maravilha geral (dunamis) deve ser um sinal de legitimidade divina.

Verso 39 Jesus rejeita firmemente isso. Uma geração adúltera: Israel era visto como a noiva de Deus. Devido a matança dos profetas, a descrença em João Batista e Jesus, Jesus chama de adultério. Uma infidelidade ao marido, ao Deus.
Jonas permaneceu por três dias e três noites na barriga de um peixe grande (Jonas 1:17). Esta declaração foi muito bem compreendida pelos fariseus e os escribas e usada em Mt. 27:63. O coração da terra era visto como a residência para os mortos até a ressurreição dos mortos, Hades.

Versos 41-42 Os homens de Nínive, pagãos se converteram de suas maldades pela pregação de Jonas, sem que isso fosse acompanhado de força e milagres. Diante de você é mais do que Jonas, o Messias acompanha com atos, milagres e curas a chamada para arrepender-se. E isso não aos gentios, mas para seu próprio povo judeu, que tinha o conhecimento das Escrituras. Por conseguinte, os homens de Nínive julgarão sobre vocês.
Também a rainha do Sul (Seba, 1 Reis 10:1-10), uma rainha pagã, elogiou o Deus de Israel. Eles fizeram uma viagem (de cerca de 1800 km?) a Salomão. O próprio Jesus veio ao seu povo. Deixou o Céu e veio para a terra. Portanto, ela também julgará sobre o povo judeu descrentes.

Versos 43-45 Jesus veio dar um exemplo. Um homem com um espírito impuro (um demônio) foi liberto (pelos filhos dos fariseus Mateus 12:27) e o demônio foi para os lugares estéreis (o deserto era visto como morada de demônios). Mas um demônio pode ficar impotente. Então ele retorna ao seu lugar de antigo, o homem. Isto depois da libertação do homem, no entanto, este homem não tomou quaisquer medidas e não acreditou em Deus, é por isso que sua casa ficou vazia. O espírito do mal leva a outros sete (um número de plenitude) maus espíritos, pior do que ele mesmo e novamente toma posse do homem liberto. A lição para o homem, que recebe expulsão durante o sermão de libertação. O mau espírito(s) é (são) extrudados, mas se um não aceita Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, a casa fica vazia. Através da fé no Senhor Jesus Cristo, os fiéis recebem o Espírito Santo, e a casa é habitada pelo Espírito de Deus, para que o demônio (e não outros demônios podem levá-los) não pode fazer qualquer habitação nova, porque a casa já habitada pelo Espírito Santo. No entanto, por favor note, o crente deve continuar em Jesus Cristo, assim não entristecendo e apagando o Espírito Santo. Porque caso contrário, será como aquele homem pior do que no início. O crente deve fazer a vontade de Deus e não voltar para a vida do mundo (Mt. 13 e 25).

Verso 46 Os nomes dos irmãos de Jesus, que é gerado do pai José com mãe Maria, estão escritos em Mateus 13:55 (verso 56 menciona que existem também as irmãs).

Verso 47 Provavelmente Jesus estava em uma casa cercada pelas pessoas e a casa estava completamente cheia e, portanto, impossível para sua mãe e irmãos entrarem na casa. A razão por que eles desejavam falar, a Bíblia não menciona-lo.

Versos 48-49 Jesus não nega a sua mãe, irmãos e irmãs na carne. Jesus refere-se aos seus irmãos espirituais, aqueles que crêem nele como o Salvador do pecado, E em seguida, fazem a vontade de Deus.

Verso 50 Por favor, preste atenção: quem são os irmãos, irmãs e mãe (mulheres não são excluídas, incluído-se no sexo feminino: a mãe e irmã)? São eles, os que fazem a vontade de Deus:

  1. Reconhecimento do pecado e da dívida
  2. Reconhecer Jesus como Salvador pessoal do pecado e Senhor
  3. Seguindo deixa a vida mundana (Gálatas 5:19-21) e continuando a viver uma vida santa sob o controle do Espírito Santo
  4. Fazer a vontade de Deus, veja por exemplo, Mt. 25, 28: 19; Gálatas 5:22; EF. 5:1-4, 22-26, Ef. 6:1-6 e muitos outros textos.

Os fariseus e os escribas foram culpados por dizerem viver de acordo da vontade de Deus, suas práticas mostravam claramente que são apenas palavras e nada da prática. Pois como alguém pode pregar, mas se olharmos para a sua vida diária (às vezes cheia de auto-interesse e adultério), em seguida, fica para um descrente difícil de acreditar. As palavras de Jesus estão cheias de seriedade, alguém que não é sério para se arrepender, não mudou sua vida e não se rendeu ao Espírito Santo e não vive de acordo com a vontade de Deus, está perdida e vem sob a ira de Deus.

Volta MenuRetorne acima


Parábola do semeador - Mateus 13

SemeadorVersos 1-2 Se Jesus deixou sua casa em Cafarnaum, não é mencionado, em qualquer caso Ele saiu de casa e foi para o mar (o mar da Galileia?). Lá ele fala ao povo. O mar tem um bom efeito em falar e funciona como um amplificador. Nenhuma instalação de som com microfone e amplificador é necessária porque o mar tem este efeito. Assim Jesus pode falar em tom normal às muitas pessoas.

Versos 3-9 Falando em parábolas, era um uso normal pelos rabinos. Comparando uma história, a educação, com um exemplo da vida quotidiana. As multidãos estavam familiarizadas com o uso de sementeira. Em Israel sementeiro acontece de outra maneira do que acontece aqui. Lá a terra foi semeada antes de arar. Na estrada também foi semeada, mesmo que a estrada era dura de apanhar, porque isto foi arado mais tarde. Sobre os lugares pedregosos, porque as pedras estavam cobertas por uma camada de terra e as pedras foram descobertas quando lavrado. Entre os espinhos, porque de fato isto foi arada.
Na parábola vem à futilidade (3/4 ou 75%) e colheita (1/4 ou 25%). Percentuais são apenas um exemplo. Apesar que muitas sementes está intercalada, muito são perdidas. No entanto, os outros 25% dá um grande resultado: a cem, a sessenta e a trinta. Um alívio para os trabalhadores de Deus, para não perder o ânimo. Muitos podem rejeitar o evangelho, ainda existe uma colheita (25%), que da MUITO frutos!
Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça. A parábola é óbvia da vida cotidiana, no entanto, o significado espiritual ainda tem de ser explicado, que segue nos versos 18-23.

Versos 10-11 De Marcos 4:10 mostra que os discípulos de Jesus também não tinham compreendido a parábola. Eles são espantados com o fato de que Jesus fala em parábolas. Jesus respondeu: o que há é apenas uma parte escolhida de seres humanos, que pode ser entendido o significado do Reino de Deus. O homem tem a sua própria responsabilidade. Os fariseus e os escribas estavam entre o grupo que não entenderam a parábola, a eles não deu explicação. Por que? Eles tinham suas próprias regras e seus próprios interesses. No entanto, não podemos dizer que todos os fariseus e os escribas foram perdidos, alguns chegaram à fé.

Verso 12 O homem tem a sua responsabilidade. Quando vêm a fé em Jesus, em seguida, repousa sobre o homem a tarefa de crescer. Um bebê (com alimento de leite) não permanece um bebê, cresce para criança (com o mantimento sólido), para adolescente, ao adulto. Igualmente deve o crente a crescer do leite para o alimento sólido (Hebreus 5:12-14), de bebê a adulto (1 Coríntios 14:20, Hebreus 5:14). Portanto, é a responsabilidade do crente de crescer no conhecimento da Bíblia (leia a Bíblia diariamente, oração diária, estudo da Bíblia), crescer no conhecimento da vontade de Deus e para isso, cada vez mais sob controle do Espírito Santo diariamente.

Verso 13 Uma introdução ao verso 14 do cumprimento da profecia de Isaías. O povo judeu vê o Messias como libertador do jugo romano. Eles são cegos para o Messias como o Salvador de sua dívida, o seu pecado. O homem atual deseja um Jesus que traz riqueza, cura, salvador da doença e da miséria. Nem deseja ouvir nada sobre culpa e pecado, nada de ouvir sobre as leis de Deus. O homem atual deseja sobreviver no mundo pecaminoso, nada de ouvir sobre uma vida sob o controle do Espírito Santo. Nada de ouvir sobre proibido ter sexo antes do casamento, nada de um ensinamento bíblico e mandamentos de Deus.

Versos 14-15 Os corações deles são gordos, suas orelhas tornam-se duras de ouvido e os olhos fecharam. O judeu visava cumprir as leis, a Torá. Eles queriam a libertação na própria força, trazendo o sacrifício. Cumprir a explicação de acordo com os escribas, sua própria salvação, nada pela fé. O homem atual busca Salvador através de adoração de imagens (Buddha), Santos (na Igreja Católica Romana), ioga, meditação, acupuntura. O homem atual não deseja saber de nada sobre ser um pecador, que um não pode redimir-se de doenças e miséria e que devem crer em Jesus Cristo como a única caminho para Deus e Jesus Cristo como Salvador da punição de pecado.

Versos 16-17 No entanto aqueles que querem vir para o conhecimento do pecado, para eles são dados para entender o verdadeiro significado das parábolas. Aqueles que buscam a Jesus com o coração aberto, existem o Reino de Deus. Os profetas e os justos (como Abraão) do Antigo Testamento desejaram entender que era o significado do Messias, o significado de morrer no madeiro (=Cruz), ressurreição dos mortos. Os discípulos foram, viram e ouviram, receberam a educação de Jesus. Jesus explica o significado das palavras faladas pelos profetas. Jesus aponta o pecado e a necessidade da Sua morte na Cruz. Jesus explica o significado das parábolas. Eles são privilegiados. O crente atual tem o privilegio da Bíblia, os muitos comentários da Bíblia que também tem acesso livre a internet. Embora o crente deve olhar criticamente para as explicações na internet se eles conformam-se com a Bíblia e não acreditam sem examinar. Existem muitos falsos profetas, neste século, esteja avisado! O homem é responsável por sua fé e seu crescimento!

Verso 18 Jesus continua com a explicação da parábola do semeador.

Verso 19 O que cai sob e ao longo do caminho, não tem solo. É fracassado plano. Aquele que aceita Jesus com gloria a Deus e grita de Aleluia, logo perde sua fé, porque não tem nenhum fundo. Este crente respondeu em uma chamada, sem ter conhecimento sobre o por que. Não há nenhum verdadeiro sentido do pecado. A igreja não acompanhou, os membros da igreja são culpados por não dar nenhuma orientação ao novo-convertido. O novo em fé cai em um vazio, há nenhum crescimento com resultado ainda perdido para a eternidade.

Versos 20-21 O que é semeado nos lugares pedregosos, não pode enraizar-se. Quando o sol nasce, a cernelha, que sem raízes profundas não está capaz de tirar suco (água). Quem chegou-se à fé, começa com a leitura da Bíblia, mas a vida agitada rouba-lhe o tempo para ler a Bíblia, visita a igreja e estudos bíblicos. Cuidado para cultivar diariamente manutenção da vida, deixe o fiel um tempo o trabalho duro. Doenças e miséria na estrada, as tribulações pelo Islã, e o crente vem a cair e é privado da vida eterna no Céu.

Verso 22 O que cai entre os espinhos, a semente não pode crescer porque é sufocado pelos espinhos (ervas daninhas). Satanás e os demônios (espinhos, ervas daninhas) vêm e trazem todos os tipos de tentações no caminho do crente. Riqueza e prosperidade, festas selvagens que o crente busca seu prazer no mundo e não olha para o Reino de Deus. O crente para de ler a Bíblia, pare o amor fraterno, pare de dar o dízimo, procura sua própria riqueza. A riqueza e o prazer na terra que só dura alguma dezenas de anos. E perder o eterno (milhões de anos), da riqueza e do prazer no Céu. Eles preferem a diversão curta e riqueza na terra e tem total desprezo pela vida eterna após a morte. Tornaram-se tolos. Ele/ela não dá frutos mais e está perdido pela eternidade. Negou a fé.

Verso 23 A boa semente produz frutos. O crente que lê a Bíblia diariamente, estudos bíblicos, amor ao próximo na prática, da o dízimo e oferta com um coração feliz e voluntariamente, proclama o Evangelho. Mantendo a mandamentos de Deus, vive uma vida cheia do Espírito Santo. Que traga a cem, a sessenta, a trinta de frutos. Por ele/ela os incrédulos vem à fé em Jesus Cristo como Salvador do pecado. Na sua vida diária é visível o Reino de Deus, pelo qual ele/ela dá frutos.

Parábola do semeador

Versos 24-25 Jesus continua com outra parábola sobre a semeadura. O Reino de Deus é como um homem (proprietário), que tem semeadores (servos) no campo. Este homem (Jesus), da o comando aos semeadores (os crentes no Senhor Jesus Cristo), para semear a semente (o Evangelho) no campo (o mundo). Enquanto o proprietário e os semeadores dormiam, veio o inimigo. Como astúcia e covardia é o inimigo, ele espera até a gente dormir profundo. O inimigo, satanás, espera até os fiéis já não serem em guarda e em seguida, abre o ataque. Os cristãos são tolerantes, não proclamam a verdade, a Bíblia, o Evangelho. O inimigo intercala joio (a palavra original indica um tipo pesado tóxico de joio). Quão poderoso é o veneno que Satanás lança: falsidades, ataques contra o casamento hetero, sexo com crianças, permitindo ataques sobre as verdades da Bíblia, desfazer as leis e mandamentos, incitamento à violência (jogos violentos de internet e X-Box) incitamento à desobediência a pais e líderes de igreja, etc. O inimigo vai-se embora, mas satanás usa o homem que vive no mundo como seus servos/semeadores. Satanás é invisível para os seres humanos, mas seu trabalho é claramente visível.

Verso 26 Acende-se as sementes, os caules do trigo são visíveis, mas também os joios daninhos. A semente da proclamação do Evangelho é visível (as pessoas vêm para a fé, alguns crescem na fé), mas também visível é a obra de satanás.

Verso 27 Os servos levam a surpresa para o proprietário, que não tinham recebido boas sementes? Deve ter sido uma quantidade considerável de joios daninhos, porque normalmente há sempre um pequeno número de joios presentes. Como típico não é para o mundo, a quantidade de joio é o enorme número de infiéis que seguem a satanás e são contra os mandamentos da Bíblia. O joio surgira: agora vemos o poderoso veneno de satanás, é cada vez mais visível oposição a normas e valores Bíblicos: liberdade do sexo, embora com homem e mulher, todo mundo pode escolher livremente se ele deseja ser homem ou mulher ou animal. Canadá é um exemplo: rejeitar os padrões bíblicos e, por lei, cada um que fala contra os gays, entra na prisão. Os padrões obrigatórios de liberdade em escolas e se um pai que se movendo, se coloca como autoridade parental seus filhos são retirados dele.

Verso 28 Ele respondeu: Um inimigo é quem fez isso. Ele responde com certamente, Jesus sabe a fonte, então o crente deve saber a origem do mal: satanás. Também o mal que apresentamos no mundo (a rejeição dos padrões Bíblicos, muitos assassinatos, violência, drogas, tatuagem, piercing) tem suas origens em satanás.

Verso 29 Para retirar o joio, também pode-se perder o trigo. As raízes dos joios e o trigo cultivam por uns aos outros. Um puxa os joios, então puxa o trigo junto e ambos se perdem.

Verso 30 Com a colheita trunca o joio e o trigo. Ambos são recolhidos e o local de encontro é o joio torne-se separado do trigo. O joio torne-se queimado. Durante o juízo final (Apocalipse 14:14-20 20:11-15), os anjos são enviados para a terra e é o joio e a semente acumulados e encontra o julgamento. O joio, aqueles que não aparecem no livro da vida, serão queimados, ou seja ir para o lago de fogo. O trigo, aqueles cujo nome no livro da vida, vá para o celeiro, a Nova Terra.
O tempo de colheita está próximo. Neste século nem no futuro (Mt 12:32), são dois séculos, que é anos 2000. Nós vivemos em 2018 (ano deste comentário), agora você pode ainda vir a fé em Jesus Cristo, em poucos segundos, amanhã pode ser tarde demais. A escolha é sua para pertencer ao joio ou a semente!

Parábola do grão de mostarda

Grão de mostardaArvore de mostardaVersos 31-32 Semente de mostarda cresce em Israel. É uma pequena semente (aproximadamente 740 sementes em 1 grama) que cresce para 3-4,5 metros de altura. No outono, muitas espécies de aves encontrarem seu abrigo contra a tempestade e sombra do sol brilhante. É pequeno no início, mas cresce a alta altitude e oferece um, finalmente, uma grande proteção. Como é apropriado para o Reino de Deus. Começou pequeno, com a obra de Jesus Cristo na Cruz, a semente caída. Mas milhões de crentes à fé em Jesus Cristo, e ele tem crescido e tem a vida eterna para dar proteção.

Parábola do fermento

Verso 33 Um pedaço de fermento em frente uma grande quantidade de três medidas de farinha, quase 40 litros (Gen. 18:6). A pequena quantidade de fermento fica na farinha durante uma noite. O poder do Evangelho é grandioso. Tudo começou com a obra consumada de Jesus Cristo (o fermento), a proclamação do evangelho pelos 12 apóstolos, com o resultado que espalha sobre toda a terra (três medidas de farinha) e levou bilhões de pessoas à fé em Jesus Cristo.
Mas o fermento é também o trabalho do Senhor Jesus Cristo na vida do crente. A palavra de Deus, os mandamentos de Deus, o Espírito Santo deve profundamente penetra na vida do crente, em todas as áreas da vida, nos atos do crente. As ações e obras de Jesus Cristo deve ser visível na vida diária do crente.

Parábola pelo Jesus

Versos 34-35 Jesus está falando com as multidões por meio de parábolas e dá a explicação dele apenas para seus discípulos. Verso 35 sai da boca de Asaf, Salmos 78:2. Salmo: 78:1-4 Escutai a minha lei, povo meu; inclinai os ouvidos às palavras da minha boca (aqui: a boca e aprender de Jesus). Abrirei a boca numa parábola; proporei enigmas da antiguidade, os quais temos ouvido e sabido, e nossos pais no-los têm contado. Não os encobriremos aos seus filhos, mostrando à geração futura os louvores do Senhor, assim como a sua força e as maravilhas que fez.
O que é permaneceu ocultas desde a criação do mundo? O mistério da Igreja: a vida eterna é não só para o povo judeu, mas para o mundo inteiro. Não só para os judeus, mas por cada um que quer acreditar em Jesus Cristo como Salvador do pecado. Os filhos de Abraão não são só os filhos naturais (judeus), mas todas os filhos pela fé. O reconhecimento de ser um pecador, não seja capaz de redimir a si mesmo e a necessidade da fé em Jesus Cristo.

Explicação da parábola de Jesus

Verso 36 Os discípulos não têm entendido o significado do joio no campo e pediram explicação. Quando um crente não entende alguma coisa, não há nada de errado com ele através da oração para pedir explicações de um texto da Bíblia. O Espírito Santo é dado para explicar a Bíblia, mas o crente deve tomar o tempo e pedir uma explicação em oração.

Versos 37-40 O proprietário do campo: Jesus Cristo é o dono do mundo. Ele é o Rei do Reino de Deus (Apocalipse 20:1-6) e o Rei no Novo Céu e na Nova Terra (Apocalipse 21:1-7).
A boa semente é os filhos do Reino de Deus: todo crente em Jesus Cristo, que definiu suas vidas sob o controle do Espírito Santo.
O joio é os filhos de satanás, que rejeitaram a Jesus Cristo como Salvador. O inimigo é o inimigo de Jesus Cristo, todos os demônios e satanás.
O fim do mundo, veja Apocalipse 14, 16-18, 19:17-21, 20:11-15. Os ceifeiros são os anjos em Apocalipse 14:15-16, Mt 24:31.

Versos 41-42 refere-se a Apocalipse 20:13-15.

Verso 43 Os justos são os crentes em Jesus Cristo, que entregaram suas vidas sob o controle do Espírito Santo. Eles brilharão no Reino de Seu Pai, porque eles são os sacerdotes do Reino (1 Pedro 2:5,9; Apocalipse 1:6).

Mais parábolas por Jesus

Agora, uma contínua de parábolas somente para os discípulos.

Versos 43-44 Por causa de assaltantes e guerras, era um hábito de possessões enterradas e não guardadas em casa. A pessoa que morreu e, em seguida, muitas vezes a esposa e as crianças não sabiam onde o tesouro foi enterrado. Aqui está um homem que encontra um tesouro escondido num campo, por acaso. Ele era um escravo, um camponês, um pobre servo contratado, que não é mencionado, mas ele não era o dono. A fim de obter o tesouro encontrado, ele primeiro teve que ser o legítimo dono do campo. Portanto, ele vende tudo o que ele tem para poder comprar o campo e em se apossar de legítimo do tesouro.
Assim é com a vida de uma pessoa que, por acaso, descobriu a Jesus Cristo como Salvador do pecado. Para obter a salvação dos pecados e vida eterna no Céu, a pessoa precisa vender primeiro todo. Sua vida pecaminosa, vida do mundo, para obter o tesouro, a vida eterna no Céu. Quantos estão dispostos a lo? Muitos descobrem o tesouro, a salvação através de Jesus Cristo, mas não vendem tudo o que eles possuam e continuam a viver no mundo, eles pertencem as virgens loucas (Mateus 25: 1-13) e não obtém o tesouro e perdem a vida eterna.

Versos 45-46 Aqui é um afluente da pessoa, um comerciante. Ele pode ser um comerciante em todos os tipos de ter sido bom, mas com um interesse particular nas boas pérolas. Pérolas eram e ainda sao bens valiosos. Pérolas, veio o Gol do persa ou do Oceano Índico e eram particularmente caras, excedendo a capacidade da pessoa média. Também ele vendeu tudo que possuía (também todos as outras pérolas que já possuía) para obter essa um pérola.
Podemos comparar isso a uma pessoa que esteja interessada em religiões? Conscientemente procura salvação do pecado? Alguém que visite a igreja? Mas uma vez tem descoberto Jesus Cristo como o Salvador do pecado, renuncia tudo, a vida mundana, a vida pecaminosa e seguir Jesus Cristo e estabelece sua vida sob o controle do Espírito Santo para pertencer as virgens prudentes (Mateus 25: 1-13) e obter a pérola preciosa, a vida eterna no Céu.

Versos 47-48 Também aqui é o tema principal: apenas no dia do juízo é uma separação entre os incrédulos e crentes. Até enquanto, os dois vivem juntos com a terra pecaminosa. E o infiel tem a chance de vir a fé e para obter o verdadeiro tesouro. Até o dia do juízo final (nosso morte), nós vivemos no campo ou numa só rede.
Os pescadores lançam a rede no mar e puxam para a praia. O evangelho é lançado e desenhado no mar (proclamado em todo o mundo). Quando a rede é cheia de peixes (o evangelho é proclamado sobre toda a terra), a rede é puxada para a praia, onde ocorre a separação dos peixes bons e o peixe ruins e outros objetos. O peixe comercializável foi feito em cestos. O dia do juízo final é alcançado quando a completude dos crentes é alcançado. Em seguida, encontrar a separação entre crentes (o peixe bom) e os incrédulos (o ruim: no mundo vivindo crentes e não crentes).

Versos 49-50, veja o comentário no verso 40. Não é o povo, crentes, que julgar ou alguém vai para o Céu. São os anjos que estavam no comando de Jesus Cristo fazer a separação entre bons e maus, tem ou não vida eterna no Céu. É para o crente a proclamar o Evangelho, não de julgamento.

Vers 51 Jesus pede a seus discípulos, se eles entendestes todas estas coisas e lhes dá a oportunidade de fazer perguntas. Todas pode reflectir em especialmente para os discípulos (versos 44-50) ou todas as semelhanças (versos 1-50), mas isso não é importante. A questão é: eles entendem tuda? A resposta dos discípulos é simples: Sim. Como é o crente, ele ou ela entende tudo que Jesus Cristo e a Bíblia ensina? Ou um de volta para Jesus e dizer, por favor, explique-me porque eu não entendo.

Verso 52 Um escriba é uma pessoa com conhecimentos aprofundados e treinamento no Antigo Testamento, a lei e a Torá. Um escriba era capaz são empregadas domésticas (1 Tm 3:1-7) para controle e educação nas Escrituras. Um discípulo do Reino dos céus é um discípulo de Jesus, que um novo conhecimento e a explicação do Antigo Testamento. Não pela lei e a Torá obtem a vida eterna no Céu, mas pelo reconhecimento do pecado e pela fé em Jesus Cristo. As coisas antigas são os ensinamentos da lei, as coisas novas são a preservação pela fé. O velho não pode sem o novo. Há não novas, se não há o velho. A lei tinha que primeiro vem a consciência do pecado e após conhecimento do Antigo Testamento, pode aplicar o novo seguimento: salvação através da morte e ressurreição de Jesus Cristo pelo acreditar.

Versos 53-54 Jesus deixa Cafarnaum e vai para sua cidade Nazaré. Aqui Jesus continua Sua educação na sinagoga. Os presentes na sinagoga são surpreendidos sobre Seu ensino, conhecimento e forças.

Versos 55-56 Na sua pátria Nazaré, Jesus cresceu (Lucas 4:16 onde ele foi criado), lá ele viveu cerca de 27 anos (primeiro se alegrou no Egito) e as pessoas conhecem como um carpinteiro (Marcos 6:3) e o filho de José o carpinteiro. Um carpinteiro era geralmente uma pessoa que aprendeu de seu pai e com pouca educação. O povo está espantado com o conhecimento das Escrituras incrível de Jesus, sua explicação e os milagres que Ele faz.
Irmão Tiago: a Epístola de Tiago.
Irmão de Judas: a Epístola de Judas.
Os irmãos e irmãs da mãe Maria e o homem de Maria: Josef. Jesus é gerado na sua mãe Maria, pelo Espírito Santo e não por seu marido, Josef.

Versos 57-58 Os profetas do Antigo Testamento foram rejeitados e não acreditava e mortos. A pátria e na sua casa dos profetas: os judeus e israelitas. Jesus não fez muitos milagres em sua própria pátria, porque Ele não queria por causa de sua descrença teimosa.

Volta MenuRetorne acima


O assassinato de João Batista - Mateus 14

Versos 1, 3-5 De Mateus 2:13 a maldade de Herodes o Grande ficou conhecida, agora é seu filho, Herodes Antipas. Nascido em torno de 22 A.C., ele, com a morte de seu pai em 4 A.C., não tinha recebido o desejo título de rei da Galiléia do imperador Augusto, mas apenas o título de tetrarca. Com isso, ele estava um pequeno príncipe, dependendo de Roma. Em 26 o Pontius Pilatos veio ao poder até 36. Herodes Antipas tinha casado com a esposa de seu meio-irmão, Herodes Filipe. O compromisso com esse grau de parentesco foi, de acordo com o Judeu normas, proibido (Lv. 18:16). João Batista tinha lo denunciado ao Herodes, por essa razão, que ele foi mandado para prisão. Fora do medo para o povo Judeu, ele não tinha o coragem de matar João.

Verso 2 Herodes disse a seus servos que Jesus é o João Batista ressuscitou dos mortos. Versos 3 a 12 indicam o motivo.

Verso 6 Em um aniversário de Herodes, dança a filha de Salomé. Este já é um erro de Herodes, porque essa festa foi destinada exclusivamente para homens (veja Ester 1:9-12).

Verso 7 O segundo erro de Herodes, é uma promessa sob juramento que ela pedisse.

Verso 8 Sua esposa Herodias tinha bem entendido as palavras de João Batista. Eles não tinham medo do povo judeu e viu sua chance de matar João Batista agora. Ela e o marido eram sem escrúpulos.

Verso 9 O rei, embora não denominado como tal por Roma, mas o povo judeu viu-o como rei, é agora algo perguntado o que ele desejou em seu coração, mas por causa do povo não tinha coragem. No entanto, agora ele não tem mais uma escolha, ele deu um juramento na presença de altos funcionários, que a garota (talvez um ano 18) poderia pedir.

Versos 10-11 João foi decapitado. A cabeça foi mostrada para os participantes do aniversário de Herodes e depois para a garota que mostrou para a mãe dela. Que horror, uma festa de aniversário que não era mais uma festa para os atendimentos de altos. Qual era a reação dos participantes, a Bíblia não fala. Talvez eles sairam cheio de náuseas.

Verso 12 Como os discípulos de João Batista chegam a saber de sua morte e tomam posse do seu corpo, a Bíblia não fala. Nós sabemos que discípulos de João estavam livres para visitá-lo na prisão. Eles o enterraram e disseram isso a Jesus.

Versos 13 Jesus com o Seu caráter humano está chocado com o assassinato cruel de João Batista. Ele quer ficar sozinho e se retira da multidão e vai com seus discípulos para barco para uma pequena cidade solitária, Betsaida (Lucas 9:10). Possível Jesus necessitou tempo de descansar da tristeza do assassinato de João.
No entanto, as multidões ouviram isto e seguiram a pé, através do ambiente áspero e chegaram a Betsaida, ao invés de Jesus. Jesus saiu do barco e viu essa multidão grande. Jesus foi movido com compaixão e prosseguiu com a cura de doentes delas. Ele deixou que a própria aflição de lado e foi para satisfazer as necessidades dessas pessoas. Como é o crente e a igreja? Como ele mesmo no sofrimento e necessidade, deixamos isso de lado? E nós vamos atender a necessidade do homem, que apelam para nós?

Verso 15 Os discípulos estão cientes de que eles são incapazes para alimentar esta multidão grande (cinco mil homens, verso 21), nem financeiro eles têm a opção (Duzentos dinheiros de pão não lhes bastarão João 6:7). Provavelmente o tempo já tinha passado para comprar alimentos nas aldeias. Neste lugar solitário era remoto e este grande multidão tinha, portanto, ser mandado embora para as várias aldeias para fornecer comida. Uma única vila possivelmente não poderia fornecer comida para cinco mil homens, mulheres e crianças.

Verso 16 A fé dos discípulos, Jesus à prova. Ordena-los: dai-lhes VÓS de comer.O comando se chama: Vocês, meus discípulos, vocês dão lhes para comer. A tarefa de cada crente é a comida do Evangelho, o pão da vida real e verdadeiro, que dá a vida eterna.

Verso 17 João 6:9-pesquisa mostra que há um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos. Em pães de cevada, precisamos pensar na forma de panquecas. Insuficiente para todas as pessoas se alimentarem.

Versos 18-19 Jesus ordena, traz-me este cinco pães de cevada e dois peixinhos. E mandai as pessoas assentarem em grupos de cinquenta e cem na grama (Marcos 6:39-40).
De acordo com o uso de judeu, Jesus agradeceu e abençoou. Mas acrescentou: Ele viu ao céu (o Céu onde Seu Pai mora). O pai judaico agradeceu na casa antes e após a refeição com as palavras: "Louvado são você, JHWH nosso Deus, rei do mundo", depois que o pão estava partido em pedaços.
É Jesus que parte o pão e o peixinho (a fonte, a obra realizada na Cruz) se multiplica. São os discípulos que distribuem, estão os crentes que distribuem o Evangelho e proclamam a todas as pessoas do mundo (a multidão).

Verso 20 Não é uma refeição indigente, TODOS obtem a necessidade SUFICIENTE. A obra cumprida de Jesus Cristo na Cruz é suficiente e dá a vida eterna, é o suficiente para sempre e para eternidade, dá abundância. Os discípulos, por costume judeu era proibido jogar fora alimentos, Recolheram as sobras e chegaram a doze cestos cheios de sobras.

Verso 21 De acordo com o costume judeu, apenas os homens são contados. Desde um está assentado em grupos de cem e de cinquenta, a conta era fácil. Mas o pão e o peixe não eram somente para os homens, também para as mulheres e crianças. O evangelho não é só para ser ouvido por homens, mas também por mulheres e crianças e a participação no Reino de Deus.

Verso 22 Jesus mostrou-se com a alimentação para a multidão completa que Ele é o verdadeiro profeta, o Messias. Moisés "deu" o maná ao povo Ex. 16:11-16 pessoas. Elias e a viúva alimentados pelo milagre de Deus, 1 Reis 17:2-16. Elias deixa comer as centenas de homens, II Reis 4:42-44. Mas ainda não chegou o tempo da Seu Reino, seja Messias, portanto, mandam embora as multidões, Jesus antes que a multidão fazem Ele com Rei pela força (João 6:15).

Verso 23 Jesus cuidou de multidão, agora é Sua vez para processar o assassinato de João e ficar sozinho. Jesus precisa ter Seu relacionamento com Seu Pai através da oração. Da mesma forma o crente: o poder de Jesus, orando em silêncio e solidão. Uma conversa pessoal com Jesus, a fonte de energia para cada crente, que o busca.

Mapa do mar da GalileiaTempestade do mar da GalileiaVerso 24 O vento que sopra contrário ao curso, para que os discípulos não têm progresso. Os discípulos estavam a caminho pelo mar para Cafarnaum e cerca de 25 a 30 estádios (cerca de 5 km) até agora.

Verso 25 Quarta vigília da noite, que é entre 3 e 6 horas da noite, Jesus terminou Sua oração, não há dúvida que ele orou para os discípulos, sabendo que eles andavam em necessidade e tempestade. Ele vem para ajudar fisicamente os discípulos. Ele é dono e senhor sobre os elementos do clima, mar e tempestade. Ele anda para o mar, a natureza divina de Jesus, que Ele é o Filho de Deus.

Verso 26 Possível os discípulos reconhecem Jesus, mas um homem não pode caminhando por cima do mar, muito menos com ondas de assalto. Após o milagroso alimentação, eles ainda não vim ver que Jesus é o Filho de Deus. Cheia de perplexidade eles gritam: é um fantasma. Medo deu à luz, porque teve tempestade violente, e agora eles ver um fantasma, um demônio que quer fazer mal.

Verso 27 Jesus imediatamente lhes descansa com as palavras: Tende bom ânimo, sou Eu; não temais.

Verso 28 Pedro é assim como os outros com medo, mas pergunta: se és tu, e se é Seu comando, manda-me ir ter contigo por cima das águas. A lição para o crente: em primeiro lugar, certifique-se de que é Jesus que vos fala. Em segundo lugar, espere até que Jesus instrui a você/comanda. Não vá na própria força, mas esperar por comando de Jesus.

Versos 29-30 Pedro esperar até Jesus diz: Vem! Na fé sai do barco, nas ondas do mar fumegante em Pedro. Provavelmente com os seus olhos olhando para Jesus. Mas então Pedro ouve o som da tempestade, as ondas de fúria e vê o impossível de sua execução por cima das águas. Ele perde olhar em Jesus e medo o envolve-lo com consequentemente que ele teme e afunda. E ele grita a Jesus: Senhor, salva-me.
O crente pode ir no comando de Jesus, e está tudo bem contanto que o crente continua a confiar em Jesus e não olhar para as condições, os ataques de satanás e dos demônios (=a tempestade, Satanás sai por aí como um leão que ruge, buscando a quem ele pode devorar, 1 Pedro 5:8).

Verso 31 Homem de pequena fé que não é: pequeno-de-fé, mas: quando se trata, não será capaz de confiar totalmente em Jesus. Dúvida dividir a fé de Pedro e ele faz um "Homem de pequena fé". É um homem responsável por este tipo de dúvida? Dr. Nielsen supoe que este não é o caso. Segundo ele, o homem culpado quem duvida do poder de Jesus, que aqui no Pedro na opinião dele não for.
Jesus pede-se a causa da dúvida de Pedro. A razão é dada no versículo 30: ele viu no vento. Em suma: ele viu as difíceis condições.

Verso 32 Jesus estendendo a mão e salvou Pedro, e juntos eles sobem a bordo do barco. Ao mesmo tempo, o vento termine, e pare a tempestade. Jesus tem poder sobre os elementos, Jesus tem poder sobre satanás e demônios.

Verso 33 Todos no barco tratam de entender: Jesus o Filho de Deus.

Verso 34 Acabou-se a tempestade e o barco navegando com os discípulos continuam e chegaram á terra de Genesaré.

versos 35-36 As pessoas daquele lugar, têm notificados de súbito o silêncio da tempestade e do mar. Jesus é reconhecido quando sai do barco. Sem dúvida, os discípulos falavam o que aconteceu, e as pessoas reconhecem o poder de Jesus. Com o resultado que trouxeram-lhe todos os que estavam enfermos e perguntar na FÉ, que só podem tocar a orla da sua veste, para que eles são curados pela fé.

Volta MenuRetorne acima


Jesus e os Fariseus e escribas - Mateus 15

Verso 1 Fariseus e escribas vêm de Jerusalém. Por que? Que não sabemos, possível para fortalecer os locais fariseus e escribas. Ou para tomar conhecimento dos ensinamentos de Jesus?

Verso 2 A tradição dos anciãos teve um papel importante em tomadas na vida judaica. Foi visto como uma obrigação igual a Torá, as leis de Deus. Mesmo tão longe que a tradição dos anciãos foram levantadas acima dos mandamentos de Deus.
É verdade que a santidade de Deus é exigida. Alguns exemplos são os banhos do sacerdote antes de que realizou certos serviços (Ex. 30:17-21, Lv. 15:5-27). Mas os mandamentos de Deus de lavagem não é para todos e para cada refeição. Isso foi uma pura interpretação pelos anciãos. O exílio babilônico era que o povo judeu se tornar consciente da necessidade de manter os mandamentos de Deus. O sacerdote Esdras e Neemias ensinaram ao povo de Israel, depois que eles retornaram. Então começou a explicação pelos anciãos, que através da tradição oral (passada ao aluno pelo professor/escribas) foi continuado pelos fariseus e os escribas, até em 200 d.C. esta explicação pelos anciãos foi colocada por escrito a Mishna pelo rabino Jehuda. As explicações da Mishna foram organizadas em 6 mandamentos: sementes, festas, mulheres, danos (ou feridas), coisas sagradas e limpeza. Cada mandamento tinha capítulos e parágrafos. Na limpeza havia um mandamento sobre lavagem das mãos. Despejando duas vezes, cada vez por cerca de 0,14 litros de água limpa pura que tinha servido para outra coisa. Era preciso usar uma lata ou frasco, a oca mão era proibida. A primeira vez, tira a água a impureza da mão e em seguida é impuro em si. A segunda vez que limpa a mão. Os dedos devem ser mantidos, para que a mão até o pulso fosse limpo.

Verso 3 Os fariseus e os escribas que se referem a lavagem ritual das mãos, não para as ordinário lavar mãos antes das refeições. Ou os discípulos tinham as mãos sujas, não sabemos. A acusação é de não realizar o ritual, a tradição humana. Na época, eles ainda não estavam familiarizado com as bactérias que podem causar infecções.
Jesus vem com uma pergunta contraria. Assim, torna-se evidente que os Fariseus e os escribas tinham sua tradição oral acima da Torá escrita.

Verso 4 O exemplo de Jesus, aponta para o quinto mandamento dos 10 mandamentos (Ex. 20:12) Honra a teu pai e a tua mãe e (ex. 21:17) quem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe certamente morrerá.
Honrar pai e mãe, é mais do que a obediência. É a atitude interior da criança para com os pais. E fechar toda obediência egoísta ou obediência sob coação. Amar significa honra, respeito e admiração por pai e mãe.

Versos 5-6 Nos dias de Jesus não havia segurança social. Mãe e pai na idade eram dependentes de seus filhos para a sua manutenção e cuidados em caso de doença. A tradição dos anciãos, no entanto, mostrou que uma criança de sua propriedade como declarado e isenta de sacrifício era para cuidar de seus pais. Com isto foram inactivados os mandamentos de Deus e a tradição de anciãos levantada acima das leis de Deus. E o mandamento de Deus para amar o próximo como a si mesmo, fora de ação.

Versos 7-9 Jesus chama os Fariseus e os escribas hipócritas porque suas práticas indo contra os mandamentos de Deus. É a aparência exterior e piedade, mas seus corações estão longe de Deus. O núcleo da crítica de Jesus é fazer o que a tradição dos anciãos permite e, portanto, torná-lo inoperante os mandamentos de Deus. Jesus se refere a Isaías 29:13 Pois que este povo (aqui os Fariseus e os escribas) se aproxima de mim e, com a boca e com os lábios, me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído. Serviço de bordo é inútil e perigoso. Dá a aparência de piedade, mas o coração pode ser longe de Deus.
Quantas vezes as pessoas não são enganadas pela piedade dos cristãos: grito de Aleluia, falar em línguas, exorcismo de demônios, longos e barulhentos (muitos decibéis, e os membros da igreja são surdos) serviços para louvor e adoração a Deus. Também pensa o engano do Evangelho de Rock. Sob o pretexto da juventude gosta de música Rock, este é um meio para atrair de juventude e proclamar o Evangelho a eles. No entanto, ouve com atenção a música alta e canção (e às vezes desse modo deu inaudível os textos), em seguida, ouve-se a fonte. Os músicos do Evangelho de Rock que usam drogas, praticando sexo livre, etc. Isso tem pouco a ver com o Evangelho.

Versos 10-11 Jesus chama a multidão. Possível, a multidão ficava à distância por respeito os Fariseus e os escribas que estavam perto de Jesus. Jesus conitnua o contraste de limpo e impuro pelos Fariseus e escribas. Não a impureza do mundo torna o homem impuro, ao contrário vêm do coração os propósitos de errado e que por via oral (maldições, mentiras, palavras que magoam), em suma, o que vem do coração. Limpos e impuros são sem conceitos para fora, mas a atitude interior do homem para Deus e a humanidade. O amor por Deus e ao próximo.

Verso 12 Os discípulos ficam chocados. Jesus aponta para os fariseus e escribas abertamente no perto dos anfitriões. Jesus abertamente, aponta a falsa interpretação dos anciãos e, portanto, mina a sua autoridade. Não admira que esses estudiosos se ofendam com os ensinamentos de Jesus.

Verso 13 O povo judeu era visto como uma planta (Isaías 5:1 a vinha, Jeremias 45:4 tudo o que plantei a vinha do Senhor). Eles se viam como um povo de Deus para sempre, independentemente do seu modo de vida.
Seguindo o exemplo de João Batista (Mt. 3:7-13) Jesus designa as pessoas justamente por isso, nem todo Judeu e Israelita tem herança no Reino de Deus. Cada pessoa que só honra Deus com os lábios, deve ser cortada, quer dizer entrando no lago de fogo. Somente a pessoa que honra Deus com seu coração, obtém a vida eterna no Céu. Isto aplica-se desde a criação, a partir de Adão e Eva, e isso se aplica até os dias atuais. Também o crente que adoptou Jesus Cristo e vive na vida mundial, é erradicada, só que vive sob a orientação do Espírito Santo, vive com um coração dedicado a Deus, terá vida eterna no Céu.

Verso 14 Jesus compara os Fariseus e os escribas com os cegos. Eles são cegos para as interpretações e os ensinamentos de Jesus. Se um cego guiar outro cego, eles não vêem o barranco e ambos cairão nele. Os povos que rejeitam os ensinamentos de Jesus e se deixam ser guiados por professores judeus e suas explicações, eles são cegos e não herdarão o Reino de Deus.
Da mesma forma apresentar aqueles que são guiados pelos líderes da igreja com interpretações liberais e que partes da Bíblia como não válido para esta época, ou dizer, mas isso não é como escrito na Bíblia, os líderes que dão falsas interpretações bíblicas, cujo coração não está centrado em Deus , eles caem dentro do barranco, no lago de fogo.

Versos 15-16 Também os discípulos vivem na incompreensão. Pedro, como porta-voz dos discípulos, pede explicação. Jesus está espantado com a falta de compreensão de seus discípulos. Não é surpreendente que os Fariseus e os escribas estão cego por sua própria aprendizagem, mas os discípulos estavam já há muito tempo com Jesus e sua explicação e educação, eles tinham que saber melhor.

Verso 17 Tudo o que entra na boca entra no abdômen (sistema digestivo). Lá é digerido e processado inofensivo. E o alimento digerido é excretado através do ânus (é lançado em lugar escuso).

Versos 18-19 O que é falado pela boca (que vive nas profundezas do coração) ou seja o que o homem vive. Pode ser que as palavras são de perto amor e compaixão, misericórdia, verdadeiro louvor e adoração a Deus, intercessão, etc. Mas também impuras palavras com raiva, um resumo da sexta, sétima e oitavo mandamento segue, mentiras e blasfêmias.

Verso 20 Não comer com as mãos lavadas, seja a lavagem ritual ou a lavagem regular, torna o homem impuro. Muitas bactérias são processadas inofensivas por digestão. Eles não fazem impuros. No entanto que o coração com raiva e expire pela boca é pronunciado (e também através de ações) que torna o homem impuro.

Versos 21-22 Jesus deixa a área judaica e puxa para trás na área cananéia. Aqui é um contraste de casca, os judeus que não creem contra a pagã mulher cananéia que crê. Sua fé é evidente das palavras Senhor e Filho de Davi, reconhece e acredita que Jesus é o Messias prometido.
Ela estava desesperada, porque sua filha está horrivelmente endemoninhada e apela para a compaixão de Jesus. Ela sabe que Jesus pode curar e está determinado a obter isso por Jesus, ela não desiste.

Verso 23 Jesus age como se Ele não tivesse ouvido, afim de testar determinação dela. Os discípulos vêem uma mulher não judia e são incomodados pela sua determinação e gritos. Com o resultado que eles, os discípulos de Jesus, desejam de mandar embora. Preste atenção, aqui os discípulos reconhecem Jesus como Senhor e Mestre, porque eles pedem a Jesus para mandá-la embora, os discípulos não a mandaram embora. Talvez a mulher não escutava os discípulos e os discípulos foram obrigados a pedi-lo a Jesus. Os discípulos não mostram nenhuma compaixão por esta mulher e a filha dela. Como somos quando alguém apela para ele?

Verso 24 que Jesus não dá nenhuma atenção para a aplicação implacável dos discípulos para mandar embora a mulher. Ele apela para a mulher e a mãe. De fato Jesus veio à terra para o povo judeu perdido, a casa de Israel, que foi sua primeira missão. Só mais tarde, após sua morte, seria o Evangelho aos gentios.

Verso 25 A mulher cai de joelhos para Jesus, por respeito e temor (como é a nossa atitude de oração?) e pede: Senhor, socorre-me! Não socorre minha filha, não! socorre-me. A mãe se une como um com a filha doente.

Verso 26 Resposta de Jesus que Ele está mandado para a casa de Israel (o pão dos filhos) e não para os gentios (aos cachorrinhos). Os cachorrinhos, no sentido de um animal de estimação e não no sentido dos cachorrinhos da rua dilaceradoras. Jesus cura não imediatamente, mas deixa a mulher esperando, testar a sua fé e determinação. Vemos isto de Abraão e Sarah, que tinham muitos anos esperar de seu filho prometido. Zacarias e sua esposa, quem oraram anos e somente quando velhos em idade receberam seu filho João Batista. Lázaro, que primeiro teve de morrer com sua doença para ser ressuscitado dentre os mortos. Tudo acontece como Deus quer e somente em seu tempo. Também pensa da escravidão dos israelitas, sua estadia por 430 anos no Egito e somente o exôdo após as dez pragas.

Verso 27 O animal de estimação estava comendo o restante da mesa e não tinha nenhum igual direito aos filhos da casa.
A mãe fica humilde, apesar de que ela comparara com um animal de estimação. Ela aceita a equação. No entanto, não sai de seu pedido. Afinal, os cachorrinhos de casa comem que caem da mesa. Então eles compartilham na comida. É por isso partilho, eu posse participa na graça que é destinada para o povo judeu. Por esses motivos, você pode, Senhor Jesus, me ajudar. Ela dá argumentos para Jesus, com base no qual Ele pode ajudar.
Em oração, o crente somente pede, ou o crente executa também motivos para que Jesus deve ajudar, textos bíblicos e motivos claros?

Verso 28 O resultado da fé persistente, é recompensado por Jesus. A mulher pagã mostra determinada fé, oposto a descrença em Israel. Jesus elogia a fé dela e doa o seu pedido, a filha dela é cura imediatamente. Que lição para os discípulos, que mostrou sua descrença muitas vezes suficiente, pense a tempestade no lago após a alimentação milagrosa.

Versos 29-39, veja o comentário de Mateus 14:13-21.
Na primeira milagrosa alimentação lá doze cestas sobraram para pedaços. Estes doze seria uma alusão sobre as doze tribos de Israel. Depois a mulher pagã (impuro: pagão e mulher) vem a segunda alimentação milagrosa com sete meses restantes a pedaços. Sete o número de plenitude: o evangelho não é só para o povo de Israel (o puro), mas também há suficientes para os gentios (impuros). Não é necessário o fome de israelita e gentio. A vida eterna está disponível para todos, quem quer acreditar.

Volta MenuRetorne acima


Ensino de Jesus - Mateus 16

Verso 1 Os fariseus e saduceus, dois grupos de judeus que eram oponentes devido a suas interpretações diferentes da Torá. Mas agora unidos para derrubar seu inimigo comum, Jesus, na frente das pessoas, por solicitação de um sinal do céu. As curas e multiplicação dos pães eles escreveram como terroso, como do Beëlzubel (do diabo). Eles exigiram um sinal como Moisés que "maná deixada caindo do céu" (Ex. 16:4), como Josué que orava para que o sol e a lua parasse (Josué 10:12-14), como 1 Samuel 7:10 o trovão lutou contra os filisteus no pedido de Samuel, e 1 Reis 18:30-40 o fogo do céu. Eles não estavam presentes quando Jesus arrefecido a tempestade (Mt 14:32)? E só mais tarde vieram de Jerusalém (Mt 15:1)?

Versos 2-3 Quão cegos foram esses estudiosos. Os sinais da cor do céu eles poderiam explicar se será bom ou mau tempo. Mas os sinais de curas e alimentação, todos eles escreveram para o diabo. Persistente, eles rejeitaram Jesus como o Filho de Davi, o Messias. Como hoje não é feitos com as pessoas? Os sinais da primeira Vinda de Cristo são óbvios, o arrebatamento no céu para o Céu é muito, muito perto. Ainda crentes viram as costas para Jesus, queda da fé de e retorno à sua (exuberante) vida no mundo. Eles são as virgens loucas de Mt. 25: 1-13 e aqueles que ficam para trás na terra (Mt 24:40-42) e vá através da Grande Tribulação.

Verso 4 Esses estudiosos não receberá nenhum sinal semelhante ao Jonah que passou três dias e noites um peixe grande, antes o peixe lhe deram a vida de novo e vomitou. Como bem, os estudiosos têm lo lembrada e usam isse com argumento no Mt. 27:63-64, eles pediram a Pilatos para postar um guarda no túmulo de Jesus. Eles receberam esta marca, Jesus se levantou na tumba depois de três dias, no entanto, eles se recusaram a acreditar e persistiram obstinadamente em sua incredulidade. Como igual agora, os sinais de Mt. 24:4-27 hoje lá estão presentes e claramente visível e observável através da televisão e da internet. É evidente que a primeira Vinda está em breve. Ainda muitos se recusam a acreditar. Poucos pastores falam sobre a Vinda de Cristo e Arrebatamento. Mas televisão Record no Brasil mostra claramente na série Apocalipse durante meses as coisas que vão acontecer de acordo com o livro Bíblico Apocalipse e a Vinda. O homem que quer levar esse conhecimento, pode saber o que vai acontecer. Nenhum ser humano tem uma desculpa para não a aceitar Jesus como Salvador.

Verso 5 Jesus e os discípulos deixar o local atual e ir para o outro lado do lago. Os discípulos esquecem-se de levar pão.

Verso 6 O fermento dos fariseus e saduceus é a doutrina desses estudiosos. O fermento nós aprendemos na Mt. 13:33, o pouco de fermento se puxa através da farinha inteira (pão). A explicação falsa da Torá deles, envenenou a todo o povo judeu.

Verso 7 Como mundial estão os pensamentos dos discípulos, eles pensam de pão, não para o ensino dos fariseus e saduceus.

Versos 8-10 Jesus ressalta a eles com as palavras de pequena fé. Se Jesus realmente falou sobre o pão esquecido, então por que se preocupar. Não tinha Jesus mostrado duas vezes antes de que cinco pães foram suficientes para milhares e até mesmo excedente? Então um único pão que eles tinham, era suficiente para seus doze!

Verso 11 Como incompreensível é suas tolices que não entende que estou Me referindo ao ensino dos fariseus e saduceus. E você não entende que Eu não falar sobre o pão físico.

Verso 12 Finalmente, os olhos dos discípulos abram. E são os crentes? Eles leem a Bíblia, diária ou não, mas seus olhos permanecem fechados e ficam cegos. Eles não entendem o ensinamento bíblico e educação. Deus é AMOR e, portanto, eles explicam que ninguém entrará no lago de fogo. No entanto, esquece-se que Deus NÃO PERDOA o pecado e castiga o (qualquer) pecado. O amor de Deus é revelado depois de Jesus levou o pecado do homem e carregou a pena do pecado na Cruz por qualquer um que ACREDITA (João 3:16). Para QUEM que NÃO ACREDITA a punição sobre o pecado permanece sobre ele ou ela!

Cesaréia de FilipeVerso 13 A área Cesaréia de Filipe é área pagã na fronteira norte de Israel. Possível Jesus queria ser apenas com os discípulos, porque o povo judeu de acordo com o verso 20 ainda não deveria saber que Ele é o Cristo. Cesaréia de Filipe diferencia-se da Cesareia, Mt. 16:13, um importante porto de mar sul do Monte Carmelo. Cesaréia de Filipe localizado das fontes do rio Jordão, no 2814 metros de Monte Hermon, quase todo o ano, coberto de neve. Um lugar isolado para por excelência para orar e ficar sozinha.
Claramente Jesus pede que as pessoas dizem de que Eu sou.

Verso 14 A resposta soa que as pessoas dizem que Jesus é João Batista ou Elias ou Jeremias ou um dos profetas. As pessoas ainda não estão compreendo que Jesus é o Messias prometido, eles vêem Jesus apenas como um profeta. Eles ainda são cegos.

Verso 15 Agora altere a pergunta de Jesus: o que vós, vocês Meus discípulos, pensam o que Eu sou. Você já está por um longo tempo Comigo, vocês compreendem Quem eu sou?

verso 16 Pedro, como pessoa, ou como porta-voz para os discípulos, responde: "Tu és o Cristo (=Messias)". Pedro e os discípulos não estão mais cegos, seus olhos estão abertos, e (reconhecem) confessam Jesus como o Messias prometido.

Verso 17 Nenhum homem pode vir a fé, é o Espírito Santo quem convence do pecado e o homem deve reagir a isso e fazer uma seleção. É Deus, o Pai que está no Céu, que abri Pedro os olhos e deixar confessam que Jesus é o Messias prometido.

Verso 18 Neste versículo podemos dividi em três partes:
Pois também eu te digo que tu és Pedro
Sobre esta pedra edificarei a minha igreja
As portas do inferno não prevalecerão contra ela
Pois também eu te digo que tu és Pedro. Pedro com todo seu orgulho, impulsividade e suas fraquezas. Pedro é a representação da palavra grega petros (pedra). Uma rocha é dura e firme, a casa que é construído sobre a rocha (Mt. 7:24-27), a Fundação é Jesus Cristo (1 Coríntios 3:11-15).
Sobre esta pedra edificarei a minha igreja. É Pedro quem confessa que Jesus é o Messias (Cristo). É o homem (a pessoa) que confessa que Jesus é o Salvador do pecado. Com a confirmação de Pedro, como porta-voz, os 12 apóstolos professam que Jesus é o Messias. Sobre este 12 apóstolos, a Igreja de Cristo (=todas as pessoas que professam que Jesus é o Cristo) será construído. Judas, o discípulo que traiu Jesus será substituído pelo apóstolo Paulo. Podemos dizer que o Pedro foi o mensageiro da pregação de Evangelho para os judeus, enquanto Paulo era empregado principalmente, virou-se para os gentios. Ambos os Pedro e Paul fundaram a igreja na Roma e segundo a tradição ambos Pedro e Paulo são enterrados na Roma.
Uma apropriação da Igreja Católica que ela só tem direito da igreja Cristo porque ela tem Pedro como Petra, não pode ter justificativas para este texto da Bíblia. Igreja ekklèsia não é uma Igreja particular, mas o novo povo de Deus que, após a morte e ressurreição de Jesus Cristo e é trazido juntos na Igreja de Jesus Cristo (ambos pagãos como judeus e não apenas os católicos). As origens remontam a Abraão, o pai da fé. Na velha igreja não há primazia de Pedro, ao lado dele é o irmão gêmeo espiritual, Paulo.
As portas do inferno não prevalecerão contra ela. Nas portas do inferno deve pensar de entrada do Hades, que a visão de que este tempo ficou no interior da terra. Este Reino dos mortos, Hades, era o lugar onde um ficou depois da morte até a ressurreição dos mortos
Meu entendimento é que realmente o Reino dos mortos, mas então no significado do inferno, situa-se no interior da terra, onde se situam os infiéis e permanece até o último julgamento, Apocalipse 20:11-15.
Não prevalecerão contra ela, isso quer dizer, para os crentes em Jesus Cristo, Hades, inferno, não tem poder mais. O crente em Jesus Cristo vai depois da morte dele ou dela para o Paraíso e não para o Hades, inferno. Apenas na primeira Vinda de Cristo (1 Thes. 4:13-18) serão ambos mortos que permanecem no paraíso e ambos os crentes vivos com Cristo para o Céu.

Verso 19 Eu te darei as chaves do Reino dos céus. Após a ressurreição e ascensão de Jesus Cristo, Jesus transporta-se a proclamação de Evangelho aos 12 apóstolos (11 apóstolos e Paulo no lugar de Judas, o traidor). O poder de Jesus (chaves), Suas curas e a ressurreição dos mortos, é transferido para os 12. Eles obtem o poder para liderar, para pregar o Evangelho e excluir pessoas do Reino do Céu (Atos 5:1-11, 1 Coríntios 5:5-13, 1 Tim 1:20 transmitir a satanás).
E o que vos irão ligar na terra, será ligado no céu, e o que vós dissolvem na terra será desligado nos céus. Flavius Josephus relata que os fariseus tinham visto chance de Rainha Alexandra (78-69 A.C.) o favor para obter e tinha todo o poder, eles perseguem e reteriam do exílio que eles queriam, assim eles amarram e revogam pessoas de excomunhão. Amarrar no significado de ter licença, são permitida. Revogar no significado de declarar algo proibido. Os 12 Apóstolos são dado o poder de declarar algo amarrado ou revogado, esta posição dominante é única e NÃO transferível! Com nenhuma palavra é falado sobre uma transferência nos versos 17 e 19 (nenhum poder papal). Os Apóstolos exercem esse poder por exemplo no Atos 15:25-29. Paulo dá em 1 Corntios 7 muitas regras sobre o casamento e em 1 Tm. 3 os requisitos que podem ser e quem não pastores, anciãos e diáconos.

Verso 20 Jesus proíbe os discípulos a divulgação do "Ele é o Cristo (Messias). Por que? Porque o Reino dos Céus (o reino milenar?), ainda não chegou. O reino de Jesus Cristo ainda não é aplicável. Os judeus não podem forçar com violência Jesus com Rei. Primeiro, Jesus precisa morrer na cruz pelos pecados do povo e supera a morte pela ressurreição dos mortos. Primeiro o Evangelho precisa ser pregado aos gentios.

Verso 21 Agora os discípulos sabem que Jesus é o Messias prometido, Jesus deve mudar a ideia deles e expectativas deles sobre o Messias. Os judeus esperava que o Messias iria liberar da ocupação romana e não tinha olhos e consciência do seu pecado. Jesus veio a terra, nasceu como um bebê, com o objetivo leva-se a punição de Deus sobre o pecado do homem. Jesus teve que sofrer muito dos eruditos judeus e morrer (sob imensas tentações, depois Adão falhou e não tinha passado a tentação de não comer do fruto proibido) na Cruz. E depois de superar a morte e o terceiro dia levantar-se dos mortos. Apesar da ressurreição de Lázaro dentre os mortos, os discípulos compreendido mas pouco das palavras de Jesus.
De acordo com os rabinos, a ressurreição dos mortos ter lugar no terceiro dia após o fim do mundo com base em Oseias 6:2 "Depois de dois dias, nos dará a vida; ao terceiro dia, nos ressuscitará, e viveremos diante dele". Minha interpretação de Oseias 6:2 é diferente. Um dia para Deus é como 1000 anos. O povo judeu é "rejeitado por Deus" por dois dias (=2 x 1000=2000 anos), no qual é formado a Igreja. A seguir é 1 dia=1000 anos, o Reino milenar de Cristo. E o julgamento final de todas as pessoas, Apocalipse 20:11-15.

Versos 22-23 Pedro que só confessou que Jesus é o Cristo, toma Jesus separado (a parte) e começa a repreendê-Lo. Pedro cai vítima a satanás. Jesus ve através do ataque de satanás e punido a satanás. Satanás é uma ofensa, porque ele deseja que Jesus não morresse na Cruz e não impede o castigo do pecado e não se supera morte.
Sem dúvida, essa explosão de Pedro era bem desenhado, mas está uma reação humana. Ele não pode conciliar que Deus o Pai, permite o Filho Dele iria sofrer terrivelmente. E ele deseja que Deus o Pai prevenir.
E como são feitos de crente, primeiro cheio do Espírito Santo e proclamar e fazer grandes coisas e, em seguida, queda de satanás. Depressão, adultério, pecado grave? Estar atento para as coisas boas que tem feito para Deus, satanás vem com o ataque para o crente.

Versos 24-26 A recusa de Pedro em aceitar o sofrimento (de Jesus), está negando que ele deve seguir o caminho de Deus. O plano de Deus é totalmente diferente do que o pensamento humano fraco. Pedro se depara e está mais preparado para as coisas dos homens do que a de Deus. As palavras destes versos não são destinadas apenas para Peter, mas para todos os cristãos fiéis. Abnegação é um requisito para seguir Jesus. Quem não quer pregar na Cruz, sua natureza terrena e o desejo de continuar a viver no mundo, comete não abnegação. Um pode ganhar muitas almas para Jesus Cristo, mas se isso é acompanhado de uma vida no mundo, então ele ou ela sofre danos à alma. Somente aqueles que fazem suas vidas completamente sob o controle do Espírito Santo e negar-se a sua natureza pecaminosa, Jesus Cristo só decente. Jesus resistiu a satanás, às muitas tentações de ir uma maneira fácil, resistência para não esperar no tempo de Deus.
Hoje, muitos pagam com sua vida (são assassinados) porque eles se recusam a negar sua fé em Jesus Cristo. Pensa dos países muçulmanos onde cristãos são assassinados. Mais tarde, na Grande Tribulação a terrível tortura e pondo a morte de pessoas que se recusam a marca 666. Um aceitou a marca 666 e, em seguida, perde a vida eterna no Céu. Recusa a marca 666, apesar da tortura e morte e, em seguida, ganha sua vida, ou seja eterna no Céu.

Verso 27 Porque o Filho do Homem virá com seus anjos, é uma referência para a segunda Vinda de Cristo, veja Mateus 24:29-31. O presente em que o homem vive, é extremamente importante, que é decisivo. O que se faz, aqui e hoje atinge até o tempo de Jesus vem como juiz e julga. Para o crente, veja 1 Coríntios 3:11-15. Para o incrédulo, veja Apocalipse 20:11-15.

Verso 28 Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão. Podemos pensar de Pedro, Tiago e João (Mt. 17:1) que, depois de seis dias foram levados a alta montanha por Jesus. Lá eles veem Moisés e Elias e Jesus aparecem transfigurado 'e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz (Mt 17:2-5). Eles viram a dignidade real de Jesus antes os mortes deles.

Volta MenuRetorne acima


O significado do Messias - Mateus 17

Verso 1 Seis dias após a confissão de Pedro que Jesus é o Cristo (Messias), Jesus sube com três dos doze discípulos a um alto monte. Qual montanha não é mencionada, pode ser Tamor ou Hermon. Por que somente estes três discípulos, não sabemos. Mas o Mt.16:28 cumpre que alguns entre aqueles, listados aqui, ver o Filho do homem na sua dignidade real.

Verso 2 O corpo de Jesus muda a sua dignidade real. Também a aparência de Jesus mudou-se depois da ressurreição dos mortos (Marcos 16:12). Também o crente recebe na primeira Vinda de Cristo, um outro novo corpo (1 Coríntios 15:50-53).
Seu rosto torne-se como o sol (Apocalipse 1:14 seus olhos eram como uma labareda de fogo e sua cabeça e cabelos brancos como a branca lã) e suas roupas brancas como a luz. Jesus é a luz (João 8:12). A principal função da luz, é que ele dissipa as trevas. Esse também é o significado de Jesus como a luz do mundo. Ele é como a luz neste mundo veio a escuridão para expelir. Ele é o melhor para comparar com a luz do sol. Isaías profetizaram uma grande luz. Ele faz realmente toda escuridão desaparecer. Escuridão representa o mal, os demônios e satanás. Luz e escuridão são incompatíveis: nunca pode ser a mesma luz do tempo e ao mesmo tempo escuro. Jesus veio para destruir o pecado e a satanás.
O sol é uma fonte de energia enorme com uma temperatura muito alta que queima tudo. Assim também queimaduras e Jesus destruído finalmente a punição no pecado, para aqueles que querem acreditar.
O branco é a cor da pureza, sem pecado, ressurreição, vida nova.

Verso 3 Moisés e Elias são ambos chamados em Malaquias 4:4-5 antes de chegar o grande dia do Senhor. Apocalipse 11:1-12 fala as duas testemunhas, provavelmente Moisés e Elias, que 1260 dias vão testemunhar no final da Grande Tribulação. Moisés como aquele que causou as dez pragas e da Torá. Elia que fez milagres celestiais. Nenhum deles viu a morte. Moisés já não foi encontrado e Elias subiu ao céu. Ambos encontram sua morte e ressurreição no final da Grande Tribulação.

Verso 4 Pedro então como sempre cheia de zelo e bem significado, responde "bom é estarmos aqui", façamos três tendas. Isto agrada-lo melhor do que a agonia que Jesus pronunciou-se anteriormente.

Verso 5 Uma nuvem cobriu-los. Gramatical não é claro se esta única Moisés e Elias ou incluindo todos os seis. Uma nuvem significa a presença de Deus. As palavras de Mt. 3:17 (batismo de Jesus) era repetido: Este é meu filho, com a adição de ouvi-Lo. Deus o Pai confirmou aqui para ouvir a educação de seu filho Jesus Cristo e o que Ele fala sobre o próximo sofrimento e sua ressurreição.

Verso 6 Os três discípulos se jogam na terra. Deles acontecem o que acontece com as pessoas no Antigo Testamento, quando ouvem a voz de Deus. Pensa dos israelitas após o êxodo do Egito ao Monte Sinai, ultrapassou o medo deles.

Verso 7 Jesus toca os três discípulos e deixe-a ascensão de medo deles. Eles caíram à terra, não por respeito, mas de medo. Jesus apresenta a sua confiança e tira o medo.

Verso 8 Tudo está voltando ao normal, que acabou-se a revelação da dignidade real, eles veem Jesus em seu disfarce terrena.

Verso 9 Ordenou (eneteilato) é um verbo que se trata de uma atribuição exata, um comando claro. Está bastante claro que este evento não pode dito aos outros discípulos, primeiro sofrimento e toma a punição de pecado em Se, e somente após a ressurreição dos mortos este evento pode ser conhecido.

Verso 10 Desta reação é claro que estes três discípulos ainda não tem entendido a obra do Messias. Eles permanecem nas expectativas de um Messias que vai reinar como rei. Ainda eles não entendem que o trabalho do Messias é a libertação da punição de Deus sobre o pecado do homem.

Verso 11 De acordo com a fé judaica, vem primeiro Elia antes que o Messias vier. Elias restaurará a unidade dos Judeus (duas tribos) e Israelitas (dez tribos).

Verso 12 Elias já veio sob a forma de João Batista, que foi o precursor de Jesus. Elijah que vem em Apocalipse 11:3 no final da Grande Tribulação. Então vem a Jesus Cristo para definitivo acabar com a guerra de Israel (Apocalipse 1:7, perfurou João 19:34-37, Zacarias 12:8-11) com seus anjos (Apocalipse 19:11-21). Esta batalha tem lugar a Armagedom (Apocalipse 16:16). E é o fim da Grande Tribulação.
João Batista foi morto pelo Herodes. João Batista é rejeitado pelos líderes judeus espirituais. Então deve ser rejeitado e mataram Jesus pelos judeus líderes espirituais.

Verso 13 Finalmente entenda os discípulos que João Batista, o Elias predisse que o Messias viria.

Versos 14-16 Descendente de alta montanha, espere um pai de um filho epilético. Ou deveríamos aqui ainda pensar de possuídos (verso 18), porque este filho muitas vezes cai no fogo e água. Seu pai está no juízo final, porque os discípulos de Jesus são incapazes de curá-lo e libertar. Apesar do fato de que Jesus (Mt. 10:1) lhes tinha dado todo o poder.

Verso 17 Jesus responde muito agudo: Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei eu convosco e até quando vos sofrerei. Jesus não só refere-se aos nove discípulos deixados, mas para o povo judeu. Uma geração de incrédulos que não reconhecem Jesus como Messias e uma geração perversa por causa do pecado e muitas doenças e possessão demoníaca entre o povo de Israel. No entanto, Jesus mostra misericórdia e recomenda para trazer filho a Ele.

Verso 18 Aqui fica claro que não é uma doença epiléptica, mas possessão demoníaca. Jesus conduz o espírito do mal (=demônio). Em nosso tempo presente, precisamos discernir o que doença é real e que a doença é causada por demônios. Isso pode ser feito observando-se os fatos E através da oração em que pedimos a origem.
Jesus NÃO comeca um diálogo com o demônio. Jesus ORDENA. Jesus é soberano, todos os demônios e satanás deve (não tem escolha) obedecer a Jesus, Ele é o Filho de Deus. E imediatamente o filho é curado. DESDE AQUELA HORA, nada de cair no chão, sem convulsões, ele está curado. Que isto sirva de lição para crentes e pastores, hoje encontra muitos lugar com ritual dos exorcistas demoníacas que primeiro discuti com demônios, uma imposição de mãos e cair no chão. Este não é bíblica, e não o que é mostrado aqui!

Versos 19-20 Os discípulos são surpreendidos e pedir a Jesus por que eles falharam. Resposta de Jesus é curta: pequena fé. Pequena fé significa ter pouca fé no momento crítico da fé para ser capaz de funcionar corretamente.
Um grão de mostarda (veja comentário Mateus 13 versos 31-32) é muito pequeno. O poder de Deus é suficiente para mover um monte. Nada é impossível para Deus. Ou temos de pensar literalmente mover um monte, é a questão. Mas Deus usou grandes milagres para convencer as pessoas do pecado. Nada é impossível para o crente, que acredita que Deus e perfeitamente familiar, tão longa como situa-se a vontade de Deus e a glorificação de Deus.
A fé de Abraão precisou anos para crescer mais forte cada vez mais. Pode ser perigoso para um jovem crente para expulsar os demônios. O demônio pode tomar posse do jovem inexperiente crente. Aqui fala-se duma fé adquiridas de experiências de vida (os discípulos anteriormente tinham curado enfermos e demônios expulsados), testada e refinada por dificuldades, angústia e sofrimento, essa crença é capaz "mover montes".

Verso 21 Este versículo vem em um número de manuscritos. Naquela época a oração e o jejum sabia um meio eficaz contra demônios, recitar o Sjema, Salmos 3 e 91. Muitas vezes um (longo) tempo de oração e jejum estão usados por um grupo de crenças antes uma extrusão um demônio ou demônios. Aparentemente Jesus negar-se a isto neste versículo. Rebeca Brown, no entanto, recomenda esta oração e jejum em seus livros. Pessoalmente, eu tenho pouca experiência com expulsando demônios. Mas segundo o meu entendimento, é uma ORDEM em nome de Jesus, suficientes para expulsar um demônio ou demônios. Cada demônio tem que obedecer a Jesus. Um NÃO discutir com um demônio. Um ORDENA o demônio(s) EM NOME DE JESUS para deixar a pessoa. Com isso não pode ter dúvida que o demônio deixa a pessoa. Com isso pode ser usado uma unção de mirra. Mas CUIDADO, a casa não deve permanecer vazia (Lucas 11:24-26), o interessado deve, imediatamente aceita Jesus Cristo como Salvador e Senhor, para que o Espírito Santo, habitação imediatamente. Além disso, o novo crente deve permanecer viver sob a orientação do Espírito Santo e não para extinguir ou entristecer o Espírito Santo. Eis a tarefa da igreja para orientar o novo crente no ensino bíblico. Também uma limpeza de objetos de ocultismo (estátuas de Buda, lembranças ocultas, etc.) em casa dele é necessária.
Apesar de nenhum ensinamento de Jesus, uma unção (pense a unção dos sacerdotes no Antigo Testamento) com óleo de mirra, sob a invocação do sangue de Jesus, da pessoa e em casa, pois minha experiência pessoal uma boa forma após a extrusão.

Versos 22-23 Jesus repete o material interpretado em 16:21: A estrada e a tarefa do Messias. Ele que tem poder sobre a doença e demônios, vai voluntariamente nas mãos e dar poder dos seres humanos. Os discípulos são muito tristes. Tristeza faz desanimada e desorienta e obscurece as coisas e pode levar ao desespero. Ficar nas coisas e a vontade de Deus e não olhar as circunstâncias.

Verso 24 Enquanto eles vieram em Cafarnaum, os cobradores chegaram para cobrir as didracmas. As didracmas (metade de siclo de acordo com o Ex. 30:13) serviu para cada israelita de vinte anos para cima como um imposto a pagar o serviço da tenda da congregação. No dia 15 as mesas em todo país foram redigidas e no dia 25 do mês Adar no templo. Pode ser que os cobradores de impostos passou de casa em casa e no veio a casa de Jesus. Com base em Lv. 6:16 foram isentos deste imposto de sacerdotes e os rabinos exigiram este privilégio para si. Com o título de Mestre, pode indicar que Jesus foi considerado como um rabino e, assim, alegou a isenção.
Resposta de Pedro é clara: SIM. Com isso negando que Jesus quer ligar na ser um rabino. Lá permaneceu um total conformidade com a lei (Torah) que vale para todos os judeus.

Verso 25 Ao entrar Pedro em casa: ou Jesus chegarando na casa ou Jesus entrou sua casa para conseguir o dinheiro. Jesus era primeiro com a pergunta ao Pedro: Pagar os impostos é correto? A pergunta é estendida aos impostos sobre o milho, petróleo, gado, comida, roupas, pedágio. O imposto Romano foi em pesados do tempo de Jesus, também foi pago sobre água, sal, carne e outra necessidade diária. Nos territórios ocupados foi a pior rodada, mas o povo de Roma não foi salvo, no entanto, mais leve.

Verso 26 Dos estranhos, quer dizer as nações que são sujeitas os ocupantes (Roman).
Assim são os filhos livre, que aponta para a isenção dos sacerdotes. O turno foi para o culto e não um turno pelos ocupantes romanos.

Verso 27 MAS, PARA QUE OS NÃO ESCANDALIZEMOS. Jesus não deseja uso do ser rabino (também seguidores estavam isentos). Estritamente falando, a isenção vale apenas para os sacerdotes e não para os rabinos e seus seguidores. Jesus mantém rigorosamente a lei. Jesus não quer que nenhuma impressão que Ele não segue o Torá. Não pagar o imposto Romano, Ele seria como agitador.
Pedro recebe o comando para ir para o lago, lança um anzol (não rede) e pega o primeiro peixe. Então encontrará uma moeda de prata (estátar). O valor de uma estátar tinha quatro dracmas e exatamente o valor do imposto templo para duas pessoas, seja Jesus e Pedro. É o próprio Deus quem fornece o necessário exatamente o que uma pessoa precisa.

Volta MenuRetorne acima


O Reino dos Céus - Mateus 18

Verso 1 A pergunta pode ser entendida por

  1. Pedro, no qual a igreja será construída
  2. Pedro, Tiago e João no monte
  3. Questão de imposto, Jesus e Pedro
A questão é humana, mas no contexto do judaísmo obtém-se um significado mais profundo. Para o maior que foi devido o mais respeito. Também no futuro Reino dos Céus, vai haver diferença entre pequenos e grandes (Pense no lugar de jantar de casamento). No judaísmo valia como o maior: os mártires, justos, grandes conhecedores da Torá e os praticantes de boas obras, quem ensinou as crianças fielmente e com sinceridade as escrituras, quem tinha movido muitos para justiça.

Verso 2 Uma criança não valia como inocente, mas como fraqueza que não conta na sociedade, aberta para todas as possibilidades, pobres de espírito. Aqui é uma criança, nem bebê, nem adolescente.

Verso 3 Com palavras solenes Jesus responde. Converter (straphète) significa volta-se largar de aprumo adulto para um simples e abertura infantil. Um reconhecimento do pecado, para ser o menor.
Fizerdes como crianças. No judaísmo, que era impossível chamar a Deus como pai. Portanto, que os judeus muito culpavam (blasfêmia) Jesus porque Ele chamava Deus de seu pai. Desafiar chamar a Deus de pai era um sinal de arrependimento e tornar-se como uma criança. Reconhecimento de menor, fraco, pobre de mente diante de um Deus Todo-Poderoso. Reconhecendo de criança que o pai é superior, muito mais do que ele.

Verso 4 Como uma criança se acha pequena ao redor de adultos, assim um crente precisa se considera pequeno na presença de Deus. Tudo a obra é de Deus através do Espírito Santo. Não é o trabalho do crente, o homem, mas pela sabedoria e conhecimento do Santo Espírito que um crente ganha conhecimento da Bíblia, pregar e evangelizar. É o Espírito Santo que convencer o pecador do erro. Tudo é graça, nada que um crente pode atribuir na sua conta. A parábola do publicano contra fariseu é muito apropriada aqui.

Verso 5 A inclusão de um órfão, valia no judaísmo como um mérito. O que um homem faz para seu vizinho, vale como dado a Jesus, veja Mat. 25: 31-46.

Mó de azenhaVerso 6 Mas qualquer que escandalizar um destes pequeninos. Cada crente, ancião, pastor que explica a Bíblia incorretamente, que induz um pecador ou um crente com falsa explicação, para ele ou ela foi melhor que isso foi engolido pela profundidade do mar. Deixe isto ser uma lição para o crente e quem explica a Bíblia. Com: Deus é amor, ninguém vai para o inferno, para o lago de fogo, a Bíblia é traduzida errada na caixa do homossexualismo e nada de sexo com animais, adultério, etc. Levítico 18-21 é muito claro, que ato profano, devem ser exterminados (morto). Sim, Deus é amor revelado que Seu Filho Jesus levou o castigo do pecado, para AQUELES QUE ACREDITAM (João 3:16), mas Deus é justiça e para aqueles que não querem acreditar, a ira e o castigo de Deus sobre ele ou ela fica. Que pai ou mãe vai querer que o assassino de seu filho fique sem punição? Deus não tolera pecado. Cada um de nós seremos responsáveis sobre nossas ações, após a morte perante Deus (1 Pedro 4:5).
Uma mó de azenha é uma grande pedra, peso pesado que foi usado para moer o grão no moinho. No meio estava um buraco através do qual foi jogado o grão. A presença do buraco, explica o "pendurado no pescoço". Com este peso ao redor do pescoço de um homem, ele afunda facilmente na profundeza do mar (ou aqui para Hades) e nunca volta, a morte é final.

Verso 7 Infelizmente, existe o pecado e tentações do mundo. A volúpia do sexo, adultério e riqueza, o falso explicando a Bíblia e com isso enganam o homem. As tentações serão maiores no tempo da Grande Tribulação (Apocalipse 18). Mas o homem tem um livre arbítrio, o homem pode dizer não ao pecado, luxúria e tentações, recusando-se a acreditar em falsas explicações e para investigar em si. Este mundo ainda é a obra do maligno. Olha para as leis no Canadá, vista a destruição das leis dadas por Deus. Os magnetizadores com imposição de mãos para explicar curas pelo poder de Deus (mas estes deuses são ídolos, Buddha, demônios). O objetivo da pergunta é bastante claro: trapaça e destruição da fé em Jesus Cristo e a verdade da Bíblia. Estes enganos devem ver, e serão ímpeto na Grande Tribulação, isso é o plano de Deus.
Mas ai do homem através de quem vem estes enganos, seu destino é com demônios e a satanás (Apocalipse 20:10-14).

Versos 8-9 Mãos e pés. A mão com qual um faz trabalho. O pé com o qual anda. O olho com a qual se vê e ávido de coisas. Um não deve dar nenhuma chance aos estes membros para atrai-lo ao pecado, melhor amputar, em seguida, do que entrar no lago de fogo. Admitindo-se, em seguida que perdeu a vida eterna no Céu.

Verso 10 As crianças são importantes. O que seja fisicamente ou o que seja pequenas na fé (apenas novo nascido). O pai e a mãe, o líder espiritual deve garantir uma correta educação na fé cristã e respeitar e manter os mandamentos de Deus. Por que? Os anjos de Deus relatam tudo a Deus que está no Céu, seja um incrédulo ou um crente, tudo o que uma pessoa faz na terra é reportado a Deus e escrita nO LIVRO, sobre isto o homem é julgado. Eu pessoalmente acredito que cada criança, tem seu próprio anjo (de proteção). Alguns comentários são da opinião de que este não deve concluir com base neste verso.

Verso 11 O verso é claro, Jesus o Filho do homem veio para morrer pelo pecado do homem (perdido=o homem ) para liberar (conservar) da punição no pecado.

Verso 12 Um se desgarra, refere no pequeno, a criança. Isso não é o curso normal dos negócios de que um pastor deixa 99 ovelhas e se expõe aos perigos (lobos, demônios e satanás). Jesus salienta como muito importante é cada crente. As 99 ovelhas confiam no pastor Jesus Cristo. A ovelha perdida não confia mais no pastor, mas na própria sorte. O Pastor Jesus Cristo designa aos discípulos da importância para buscar a ovelhas iludida e trazer de volta em ensinamento puro.

Verso 13 Há alegria no Céu quando um pecador ou crente perdido se converti.

Verso 14 Deus não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se (2 Peter 3:9) e vem a fé em Jesus Cristo como Salvador do pecado e Senhor (é colocam-se sob a orientação do Espírito Santo). O homem é pequeno, o crente pode tropeçar na fé, cai pelos enganos de satanás. Deus quer que os pastores (os discípulos, os líderes espirituais) cuidem do rebanho, a ovelha perdida (o pecador, os fiéis caídos) e que toda a gente entregue-se à fé em Jesus Cristo (o Reino dos Céus).

Verso 15 Repreendê-o (a) entre ti. Isto indica uma conversa pessoal sem conhecimento das outras pessoas. Esta obrigação baseia-se em cada crente e mas também em cada ancião e pastor. Cuidado pastoral é pessoal e deve primeiro acontecer pessoalmente e não público no Conselho pastoral ou na igreja. Este mandamento decorre Lv. 19:17. É o cuidado para o pequeno, a criança, a ovelha perdida. Pecado traz separação entre Deus e homem. Pecado traz separação entre Deus e o crente (entristeza (Ef. 4:30) e extinga (1 Ts.5:19) o (funcionamento do) Espírito Santo. O objetivo é trazer o entendimento do abandonar o caminho certo.

Verso 16 Se esta conversa é insuficiente e o irmão ou irmã se recusa a ouvir, sim SÓ ENTÃO deve serem tomadas sérias medidas, e SÓ ENTÃO trazer o conhecido no Conselho pastoral ou pastor. Disciplina: privando-a de serviços na igreja (não serve mais tomar santa ceia, não cantar mais no coro da igreja, etc). Mas cuidado, lá devem ser duas ou três testemunhas, que viram o pecado deliberado . Com base em um indivíduo, enquanto outros ainda não viu, é um problema quando a pessoa em causa não quer ouvir e então o caso não deve se tornar conhecido (?).

Verso 17 Ouça o crente ainda não (recusa reconhecer o pecado, persistindo em pecado por exemplo adultério, uso de drogas, sexo fora do casamento, alcoolismo e outras formas de pecado), então o pecado ser torna público dentro do PRÓPRIA igreja. Não converte o crente com vergonha, então é perfeitamente bíblica em conformidade com este verso e o mandamento de Jesus Cristo para localizar o pecaminoso crente persistente fora da igreja (pense de Paulo que profere a satanás), e retirar da membrezia da igreja. Até a pessoa em questão se arrepender e não mais continuar com as práticas em causa.

Verso 18 Veja também João 20:23. Simon peca contra Deus na Atos 8:19-24 e Pedro justificadamente, com as palavras: "porque o teu coração não é reto diante de Deus". Paulo julga e oferece-na satanás em 1 Coríntios 5:15, 1 Coríntios 16:22. Veja também Gálatas 1:8-9. Aqui torne-se dado aos apóstolos (e não só ao Pedro, Mt. 16:19) o direito de ligar e desligar. VOS se dirige-se para igreja, o pastor e os anciãos (o crente individual?).

Verso 19 Totalmente de acordo são, por dois ou três crentes, que é a vontade de Deus e eles cobiçam comum, é a condição para aconceder da oração. Neste unânime cobiçar deve se relatar ao bem-estar (promoção), do Reino dos Céus.

Verso 20 Por que dois ou três são importantes, porque Jesus está lá no meio deles. Nos países perseguidos, uma grande igreja não é importante. Se apenas dois ou três fiéis se reúnem para ler e interpretar corretamente a Bíblia , Jesus já está presente, lá trabalha Deus.

Verso 21 Não pode ser perdido 1 ovelha, o crente que peca, deve ser repreendido por três vezes (pessoal, duas ou três testemunhas, na igreja). Mas agora vem a questão do perdão. É o conceito central da fé cristã, por isso esta pergunta por Pedro como porta-voz, não é surpreendente.

Verso 22 No uso judeu é quem tem feito injustiça ao um outro, obriga-se para perdão. Esse perdão deve ocorrer na presença de testemunhas e deve ser repetido três vezes, se o ofendido ficasse irreconciliáveis. Uma quarta vez não era necessária. Pedro aumenta a quantidade com seus sete vezes. De Jesus, Pedro tinha aprendido perdão e agora pede à borda do perdão.
Jesus baseado em Gênesis 4:24 Cain é vingado 7 vezes, no entanto, Lameque 7 vezes 77 vezes. Setenta vezes sete é 490 vezes e então já somos esquecido a contagem (e um vem ao infinito). Em frente a vingança ilimitada de Lameque, a outra disposição do novo povo, a Igreja de Cristo do perdão. É Deus o Pai, quem perdoa o crente ilimitado através da fé em Seu Filho como Salvador do pecado. Quando aquele é perdoado, por sua vez não está preparada para perdoar (versos 28-30) então acabar a comunhão com Deus. Como difícil sito pode ser, nós podemos imaginar a situação de pessoas do campo de concentração. Corrie ten Boom foi maltratada em campo de concentração, diariamente por muitos anos, a família encontrou lá quase morta. Mas ela tinha que perdoar o algoz do campo nazita, quando ele a pediu perdao.

Verso 23 Não é o homem quem determina a fronteira do perdão, este direito é para Deus. Uma parábola segue sobre as ações no Reino dos Céus (de Deus). O perdão de Deus é levado dum homem se um homem não está disposto um outroa perdoar que veio com ele em dívida ou ele fez a injustiça com ele.

Verso 24 Um grego, ou talento ático, foi de 26 kg, um talento Romano foi 32,3 kg, um talento egípcio era de 27 kg e um talento babilônico 30,3 kg. Um talento foi na pré-história também o nome de um grande vale, um certo peso de ouro ou de prata, no Novo Testamento da Bíblia, isto é igual a 34,2 quilogramas. O valor é igual a 6000 salários diários, ou o salário do trabalho de 20 anos.
A primeira dívida, com o qual o devedor dever ao rei, elevou-se a salário diário 20 anos x 10.000=200 mil anos salário diário. Uma soma de valor inestimável. A segunda dívida, que é o segundo para o primeiro devedor devedor teve de pagar, ascendeu a 100 denários 100=100 salários diários=100/300 é um terceiro salário do ano. Em outras palavras, uma dívida de 60 milhões está sendo jogado em frente a uma dívida de 100. A primeira dívida foi 600.000 vezes maior. Comparar, para a relação quer dizer: uma dívida de 600.000 reais contra uma dívida de 1 real.

Verso 25 A venda da sua mulher era proibido em Israel, enquanto as vendas de seus filhos na falência completa uma última posse. Esta venda aqui refere-se em estado não judeu. O preço de um escravo era entre de 500-2000 denários, enquanto a dívida ascendia a 100 milhões de denários. Com isto é claro a situação. Também a culpa do pecado venial pelo homem é uma causa perdida a Deus em qualquer forma de reconciliação.

Verso 26 O escravo lança-se inferior e implora a sua dívida para avançar para um tempo mais tarde. Ele diz que paga tudo, no entanto, em seu coração, sabendo que é uma causa perdida e ele nunca pode pagar sua dívida.

Verso 27 Compaixão é a totalidade de compaixão humana, o que mostra o rei aqui. Da mesma forma Deus mostra a compaixão total para o homem pecador, que quer reconhecer que a dívida dele é infinita, impossível de pagar a pena pelos pecados e implora a Deus para compaixão. O rei cancelou a dívida. Então Deus retirou a punição no pecado, desde que o homem aceita Jesus Cristo como Salvador e Senhor.

Verso 28 A cena seguinte é incompreensível e deslumbrante. O escravo só foi liberado e libertado da sua enorme dívida. Ele vem de seus companheiros escravo por uma quantidade muito pequena é devido a ele. Agarra-o pelo pescoço, tornando-se claro, se você não pagasse, então você morrese.
Aparentemente este escravo usou o dinheiro do rei para emprestá-lo a outros escravos. Por que nós não sabemos. Ele pediu a altas taxas de juros por emprestado? Em qualquer caso, é evidente que este escravo não tinha absolutamente nenhum autocontrole e gastou gigante dinheiro. Que Isto sirva de lição para pessoas que usam cartões de crédito, imprudentemente e geram dívidas que eles não podem pagar. Deus enviou o Espírito Santo para o crente que o crente pode usar de autocontrole. Deus deseja que seus filhos vivem para a honra e a glória dele e um exemplo para o mundo.

Verso 29 O escravo companheiro usa as mesmas palavras (exceto a palavra "tudo") como o escravo no verso 26, para o rei. Tudo pode estar faltando aqui, porque é uma dívida muito pequena.

Verso 30 O reconhecimento da dívida, não torna-se respeitado. O escravo é sem perdão e duro para com seu colega escravo com uma dívida menor e deixá-o preso. Assim, privando a capacidade de pagar a sua dívida.

Verso 31 Outros escravos estavam presentes no versículo 23. Eles testemunharam a perdão da enorme dívida do escravo. Eles foram afligidos e os escravo companheiros foram relatar ao rei.

Verso 32 O rei chama o escravo à conta sobre seu comportamento de seu companheiro escravo, comportamento moral repreensível. Porque ele tinha solicitado e recebido a compaixão por si mesmo, mas para seu companheiro escravo foi irreconciliável. O rei repetiu "Perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste".
Jesus Cristo tem tomado toda a culpa e a punição sobre o pecado do crente. Por este motivo o homem precisa apenas perguntar e aceita Jesus Cristo como seu Salvador. É por isso que o crente também o dever perdoar de seus companheiros e amar (incluindo seus inimigos). Depois de todo o crente foi inimigo de Deus e Deus perdoaram o crente em Cristo. Nossa dívida é gigantesco e proibitivos. O que alguém nos dá está em nenhuma relação de nossa vida de pecado para Deus.
E com esta história é a pergunta de Pedro sobre quantas vezes de perdoar, finalmente respondeu.

Versos 34-35 O mesmo rei que tinha pena, agora mudou no desemprego ira e sem piedade. O escravo devido de seu comportamento próprio, a ele era mostrado misericórdia sobre uma dívida enorme e ele próprio foi erigir uma dívida muito pequena. O escravo foi entregue a atormentadores, ele deve suportar o castigo até que ele tenha pago tudo.
Deus o Pai mostrou Seu Amor e Seu Filho estava disposto a assumir o castigo do pecado na Cruz. Deus tem a sua compaixão será mostrado com o homem sobre a incapacidade de pagar a dívida. Cabe ao indivíduo a esta oferta de Deus o Pai, e tornar a sua vida como um culto razoável liderada pelo Espírito Santo e o companheiro de perdoar. Se homem se recusa a isso, sim a culpa fica no homem e vai experimentar a ira de Deus, para o nosso Deus é um fogo consumidor (Hebreus 12:29) e os seres humanos terão de pagar a dívida no lago de fogo.

Verso 35 Por favor nota neste versículo Jesus fala não sobre infiéis, mas sobre seu irmão, então a comunhão dos crentes em Cristo. O crente que não perdoa seu irmão ou irmã (mas também acho que o infiel que pede perdão, alívio da dívida), será julgado perante o Tribunal de Cristo (2 Coríntios 5:10) e sofrer danos. Na medida em que isso afeta a salvação, neste versículo não menção. Segundo alguns, perde a vida eterna no Céu, pessoalmente eu não quero ir é longe, mas claramente é que isto comportamento não fica sem impune!

Volta MenuRetorne acima


Casamento e divórcio - Mateus 19

Tribos de IsraelVersos 1-2 Jesus deixa Galiléia e caminha para o rio Jordan para a área de sob-Jordano. Isto prova que Israel não tomou dos territórios jordanianos, porque esta área já pertenceu a Israel no tempo de Jesus. É a ONU que não respeita Deus e a Bíblia.

Verso 3 Desta vez são os Fariseus que no sob-Jordano vieram com uma pergunta capciosa a Jesus para o derrubar. Elas levaram uma discussão desta época. A escola de Hillel que declarou lícito o divórcio. A escola de Sjammai que reconheceu o divórcio, mas para muito menos motivos de divórcio reconhecido. Os Fariseus gostariam trazer Jesus em conflito com (lei de) Moisés.

Versos 4-6 Jesus, no entanto, volta um passo para trás, antes de Moisés, para criação por Deus. Deus criou a terra, Deus é muito mais do que Moisés. Moisés recebeu os mandamentos de Deus, portanto Deus é mais do que Moisés. Deus criou o homem e a mulher, como uma unidade, independentes unidos entre si. Em virtude do fato de que deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne (=relação sexual) (Gênesis 2:24). Casamento é instituído por Deus desde o início da criação, uma união de vida completa entre homem e mulher, incluindo a sexual. Esta unidade é constituída por duas pessoas: homem e mulher. Não há lugar aqui para bigamia e poligamia. Rei David e Salomão violaram a instituição de Deus, com uma poligamia de muitas mulheres, que também levou sua derrubada.
Com isso homem não tem o direito à separação e desobedecer a ordem de Deus.
O casamento começa com a primeira relação sexual entre homem e mulher. Nada de sexo antes do casamento, como ilustrado pelas palavras de Maria em Lucas 1:34! A atitude e o respeito pela palavra de Deus aproveita então volta ao mandamento de Deus dado a 4000 anos atrás. Portanto, nós NÃO podemos dizer agora (2000 anos depois de Maria, 6000 anos depois da primeira vez que Deus deram este mandamento) que pertenceu a uma época diferente. Cada crente que faz sexo antes do casamento, mostra que ele e ela NÃO TEM RESPEITO POR DEUS e pode esperar pouco de bênçãos de Deus até eles confessam seu grosseiro (segunda grau) pecado e se casam uns com os outros.
O apóstolo Paulo é muito claro em 1 Coríntios 0:16 "Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz (prostituta) faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne". Com isso Paulo incluem volta para Gênesis 2:24, que relações sexuais é uma unificação entre homem e mulher. A partir do momento em que um homem e uma mulher fazem sexo, a partir daí, estas duas pessoas são casados aos olhos de Deus. O homem e a mulher que não respeita essa ordem, eles não mostram respeito a Deus. Forças o homem com as palavras "que está fora de tempo", em seguida, mostra o homem que ele tem nenhum respeito por Deus e falta de autocontrole. É melhor quebrar esse relacionamento do que o manter. Pesquisa claramente mostrou que a taxa de divórcio entre as pessoas que fizeram sexo antes do casamento, é muito maior do que os parceiros que casaram-se virgens. Isso não é tão surpreendente, afinal é uma falta de respeito por Deus e para o outro, e a falta de autocontrole (um fruto do Espírito Santo). Casamento exige respeito pelo outro, respeitar opiniões e ações uns dos outros. Falta de respeito e autocontrole leva a tensões dentro do casamento, o que pode levar ao divórcio. Parceiros que têm isso sim, têm muito menos tensões e, portanto, uma taxa de divórcio muito menor. Deus sabe o que é melhor para o homem e a mulher, neste caso não relacionamento sexual antes do casamento.

Verso 7 Os Fariseus se defendem remontando a Moisés e a criação da carta de divórcio, veja Dt. 24:1-4. Jesus se baseia na Escritura, os Fariseus também por sua vez se baseiam da Escritura. No entanto, eles ignoram que Moisés preparou isto pessoalmente e não era uma instituição de Deus e só era dada após o primeiro mandamento na criação.

Verso 8 A resposta de Jesus é clara, desde a criação não é assim. É sua dureza e a dureza do homem, que não é capaz de conciliar com o outro. A teimosia persistente de não aceita o caminho de Deus e é tomado de sensualidade que leva ao adultério. Não se contenta de ter uma mulher (ou homem). A carta de divórcio de Moisés tinha um propósito, ou seja, a mulher não pode sair fora do estado de direito. Veja e estudar o que diz o apóstolo Paulo em nome de Jesus e em nome próprio em 1 Coríntios 7.
Sim, mas nos casos de que tem violência dentro do casamento, casos de álcool e drogas? OK, minha resposta pessoal, deixar a casa e morar num lugar seguro (desconhecido) (com eventuais crianças). Mas como crente, não pedir divórcio. Também não há relação sexual com um outro. Do que no caso de libertação de alcoolismo ou drogas do parceiro, um retorno pode ser possível e uma continuação do casamento.

Verso 9 Se trata de prostituição (imoralidade sexual) ou ter relações sexuais com alguém diferente com o parceiro casado. O casamento está já quebrado. A prostituição, o adultério de promessa de casamento já tem sido anulada e o casamento está quebrado.
A definição de Deus é que o marido e a esposa são obrigados a fidelidade conjugal, uma fidelidade da vida para o outro até a morte acaba com o casamento.
No tempo de Jesus era o baixo estatuto das mulheres, na Palestina, foi permitido que os homens tivessem concubinas e apenas o homem tinha o direito para mandar fora sua esposa.
Surge a pergunta polêmica: Jesus está de acordo neste verso de um novo casamento (de novo casamento) por aquele que é inocente? Aquele que tenha cometido adultério, dissolvido o casamento pela relação sexual, já entrou em um novo casamento com outra (casar-se com outra) e, portanto, cometeu adultério. As opiniões estão muito divididas sobre a interpretação deste verso para o parceiro inocente. Alguns acreditam que Jesus aqui não da uma licença para o parceiro inocente e não pode se casar novamente. Também no contexto de 1 Timóteo 3, sendo homem de só uma mulher. Outros (eu incluído) acreditam que, desde que o parceiro infiel rompeu o casamento, Jesus aqui permite que o parceiro inocente tem a escolha livre de ficar solteira ou se casar novamente. Mas deve se lembrar do caso do texto de 1 Timóteo 3. Em que eu não tenho uma resposta. Sobre isso as opiniões são divididas, mesmo dentro da igreja.

Verso 10 Os discípulos não entendem o sentido de explicação de Jesus. Por que não seria aconselhável de se casar (depois de tudo a maioria das pessoas têm suas necessidades sexuais). Quantos muitos casamentos não continuam a existir e em que não há problemas sexuais? A taxa de divórcio é aproximadamente 40%, ficam com 60% de casamento. Depois de tudo era Deus que desde o início da criação instituiu o casamento e a relação sexual. O casamento é uma instituição de Deus. O apóstolo Paulo diz em 1 Coríntios 7:9 "Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se" e no verso 5 "Não vos defraudeis um ao outro, senão por consentimento mútuo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração".
A Igreja Católica usa este versículo e o seguinte como um fundamento para o celibato. Mas isto é contrário à instituição do casamento por Deus e as palavras do Apóstolo Paulo. Entre os judeus era a obrigação do homem religioso (Fariseu) de ser casado. Quem estudou a Torá, era casado.

Versos 11-12 Sobre a falta de compreensão dos discípulos, Jesus resposta com a nomeação de três categorias:

  1. Os eunucos como nascido do ventre da mãe, isso quer dizer que não há necessidade sexual ou são sexualmente imaturo
  2. Os eunucos circuncidado por seres humanos (castração) (que era proibido em Israel), pense em um eunuco.
  3. O homem, crente que dedica-se totalmente a Deus através do estudo da palavra de Deus e a obra de Deus (o Reino dos céus). Quem também recebe pelo Espírito Santo o autocontrole e abster-se de uma relação sexual e a pornografia.

Jesus confirma a instituição do casamento por Deus. No entanto, o voluntário permanecer solteiro para dedicar-se completamente para o Reino de Deus, recebe aqui seu lugar legítimo ficou sob o novo povo de Jesus Cristo, os cristãos. Podemos pensar que Paulo, que depois do casamento (como resultado da morte de sua esposa?) ficou solteiro, ele era um fariseu, portanto ele tinha que ser casado). Veja também a muitas experiência que ele descreve sobre o casamento.

Imposição de mãos - Mateus 19:13-15

Verso 13 Após a instituição sobre o casamento (e a ordem de Deus para multiplicar) segue o "então". Então as crianças foram trazidas a Jesus. Consciente bem de que Jesus é divino e puro, sem qualquer tipo de possibilidade de transmitir o mal. Nas comunidades pentecostais e carismático tornou-se um hábito, tornou-se um fenômeno cultural de impor as mãos durante a oração para abençoar as crianças, baseado neste verso. É Jesus, divino e puro, que abençoa a transferência do bem. No Novo Testamento, lemos em nenhum lugar que esta imposição de mãos sobre as crianças era praticado pelos Apóstolos, nem é continuado. O apóstolo Paulo adverte grave em 1 Timóteo 5:22 "A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro". Com isso trone-se claro que o pecado dos outros fiéis são transferíveis por imposição de mãos. Há muitos casos onde por imposição de mãos (crianças, serviços de oração, quando lá é orado) o pecado da pessoa que impo a mão (na cabeça) se transmite para aquele que recebi as mãos. Isso é em parte porque não conhece o pecado oculto do pastor, ancião, impostador de mão. São conhecidos casos de que após a imposição de mãos do crente cometer adultério, seus filhos vão bater, uso excessivo de álcool e drogas, etc.
Isso não é tão surpreendente, imposição de mãos é transferência. Os sacerdotes colocavam as mãos sobre o sacrifício de pecado e com isso transmitir seu pecado (e do povo) para o sacrifício (o animal que foi usado pela reconciliação do pecado). Além disso, conhece o da imposição de mãos com a bênção do pai de seus filhos, não se trata de um externo, como no caso de um ancião ou pastor. No Novo Testamento a imposição das mãos tem lugar em transferência (emprego) de civis, Ananias encomenda Paulo pelo ordem de Deus (Atos 9:10-18), emissários dos Apóstolos (que hoje já NÃO estão presentes) em 1 Tm. 4:14 nomea Timóteo em seu posto, Tiago 5:14 fala sobre os anciãos conjuntos sob oração e UNÇÃO, no entanto não ser qualquer um imposição de mãos!
Quando Jesus abençoava NÃO teve sempre imposição de mãos. Nas alimentações milagrosas, Jesus levantou as mãos para o céu e abençoou as pessoas, assim também com o sacerdote que abençoou o povo.
Um número de igrejas baseiam seu batismo infantil sobre este verso, não existe termo. No comissionamento de um recém-nascido é também imposição de mãos, minha opinião é que isso deve ser feito ao mesmo tempo pelo pastor e ancião.
Em suma, deixe a imposição das mãos e toma o aviso de Paulo de ser muito cuidado no coração e não usar como uma prática cultural e estar ciente dos perigos. Por magnetizadores são praticados a imposição de mãos, pelo qual as pessoas são curadas. Nós podemos facilmente dizer que a fonte é de Deus, o Pai ou Jesus Cristo (apesar dos textos bíblicos em seus consultórios).
Os discípulos estão tentando impedir os espectadores de abençoar e trazerem seus filhos a Jesus com o pedido para abençoar seus filhos. Esta reação precisamos ver das crenças judaicas que crianças não são contadas. As crianças tinham que ouvir e aprender. Por outro lado, as crianças judias eram muito mais acariciadas, com amor abraçodos, criados cuidadosamente e os pais fizeram para a educação (pense da virgem Maria que sabia tudo sobre sexualidade).

Verso 14 Jesus rompe novamente as configurações erradas dos discípulos. Das palavras de Jesus, é claro que as crianças pertencem (também no Reino dos céus). Eles não deveriam impedir as crianças para irem a Jesus. Já em uma idade jovem, desde que sabendo o que ele ou ela faz, pode uma criança (a partir dos 8 anos?) para vir e aceitar a fé em Jesus Cristo e como Senhor e entrega sua vida sob a orientação do Espírito Santo. Aqui jaz a tarefa dos pais para a criança, para orientar e ensinar. Pessoalmente, eu não vejo nenhuma objeção para crianças (bebês) para participar da Santa Ceia, mas a criança precisa ter essa consciência, precisa saber o que ele/ela faz. Filhos de pais fiéis são santificados no pais crente.

Verso 15 Jesus abençoa as crianças e colocar as mãos sobre eles. Lembre-se que Jesus é completamente puro e nada de mal era possível de transmitir.

Seguir Jesus - Mateus 19:16-30

Verso 16 Alguém (RA), versículo 20, um jovem, foi a Jesus. Ele chama Jesus de Mestre, reconhecendo que Ele é uma autoridade na interpretação da Torá. Pela sua pergunta, "Que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna?" há claramente não é consciência de pecado e um pensamento que pela própria obras uma pessoa pode ir no Céu (um pensamento católico e especialmente do pensamento humano). O pensamento judaico baseou-se que o destino do homem dependia da obediência à Torá. Um pensamento irreal, olhamos apenas para os dez mandamentos, então todo mundo sabe que nenhum homem é capaz de cumprir os dos dez mandamentos. Só penso de amar Deus. Que homem é capaz de amar a Deus completamente? Quantas pessoas não adoram os santos? Adoração de imagens?

Verso 17 Jesus se concentra em "de bom". Só Deus é bom, nenhum ser humano é bom e boas obras não existem (egoísta porque focada em interesse próprio, pelo bom trabalho eu ganho vida no Céu). O que é a vontade de Deus, é revelado na Torá: reconhecendo-se um pecador. Pela viver assim, Deus tem um senso de bem-estar no pecador, mas ele fica um pecador que precisa de salvação. Jesus refere-se-lhe a Torá, todos os mandamentos que Deus deram a Moisés.

Versos 18-19 O jovem parece inocente e pergunta quais? Jesus refere-se o sexto ao nono mandamento em Êxodo 20 e substitui o décimo mandamento por "amarás o teu próximo como a ti mesmo' de Levítico 19:18. Curiosamente, Jesus naõ chama os primeiros cinco mandamentos para honrar e amar Deus.

Verso 20 Mas isto produz uma decepção com o jovem. Segundo se ele ativamente respeitasse as exigências da Torá. Para os rabinos, um homem possui a capacidade para manter à Torá inteira. Eles falam a sério para manter a Torá de a até z. Aparentemente, este também é o caso para esta pessoa. Mas lá como ele reconheceu Jesus como autoridade, e pode haver dúvida em seu coração, segue a pergunta "Que me falta ainda".

Versos 21-22 Jesus é consistente e segue com ser perfeito. Perfeito (tamin) é ele que faz completamente a vontade de Deus. Cujo pensamento completamente è concentredo-se em Deus. Deus deseja o bem para todas as pessoas, ricas e pobres. Os ricos devem possuir para compartilhar com os pobres. A resposta de Jesus é se você quer obter um tesouro no Céu, compartilhar sua propriedade com os pobres, veja 1 Coríntios 3:11-15.
Agora o jovem tem problemas, pois ele era muito rico. O que Jesus pede, pertence à configuração da Torá, amarás o teu próximo como a mesmo. Não é um divide-ser com Deus: a Deus e à sua propriedade (na terra). Jesus forneceu o jovem no núcleo da Torá: o amor de Deus que sai para todas as pessoas, ricas e pobres. A maneira em que ele está na frente de sua propriedade, é o ponto crítico. Ele está disposto a obedecer a Deus e para compartilhar a sua propriedade com os pobres? Ele está totalmente focado em Deus, como ele diz no versículo 20?
Jesus pede para vender toda a sua propriedade e Jesus a seguir (não exigindo para casa, móveis, sem lugar fixo de moradia, vida simples): segue-ME. O jovem é incapaz de fazê-lo e fica triste. Sua declaração no verso 20, ele não pode seguir até o fim. Isto ao contrário dos ricos em Atos 4:34-35.

Verso 23 Riqueza em si não é um problema, mas rapidamente leva ao egoísmo, desejos mais ambiciosos, indiferença e rebelião contra Deus. Ele fornece doom (e perda da vida eterna?) mantém as mãos fechadas como os ricos para os pobres. Os ricos não se esqueçam que eles devem a riqueza de Deus, que sua posse é de Deus. Deus nomeou o homem como administrador. Cada homem será responsável perante Deus. Um rico pode usar suas posses ao bem-estar dos pobres. Pode ter uma empresa onde trabalham muitos empregados, distribuindo pacotes de comida, suporte evangelismo e missão, pode (particapar) para pagar o salário de um pastor, etc.

Verso 24 Jesus enfatizou que é muito difícil para ricos para vir a fé e a viver de acordo com os mandamentos e a vontade de Deus. Nenhum camelo pode passar pelo fundo de uma agulha, mas há exceções dos ricos, que especifique a sua propriedade, começando com o Zaqueu, o maioral dos publicanos em Jericó, quem doa seus bens em Lucas 19:1-10.

Verso 25 Os discípulos ficaram perplexos, e completamente fora de si e fizeram uma pergunta.

Verso 26 A resposta de Jesus é clara, para os seres humanos, isso é impossível, mas possível para Deus. O Espírito Santo pode convencer o homem do pecado, da maneira de vida errada e trazer uma visão e arrependimento, como com Zaqueu. É claro que com esta afirmação, tanto rica e pobre, precisa Deus para acesso para vir para o Reino dos céus. Riqueza e pobreza ambos podem impedir o acesso.

Verso 27 Pedro uniu-se com os colegas discípulos, NÓS temos abandonado tudo e te seguimos. Eles renunciam suas casas e trabalho e seguiu Jesus. Eles também renunciam suas famílias e deixou em casa ou suas famílias viajou com onde Jesus foi? Sabemos pouco sobre isso. Pedro tinha uma sogra, então uma família. Veja 1 Coríntios 9:5.
"Que será, pois, de nós" pode ser entendido como o que vamos receber no Reino dos céus, nós temos acesso?

Verso 28 Vós, os que me seguistes, vocês 12 apóstolos (mas pense que o traidor Judas é substituído pelo apóstolo Paulo) sente-se em doze tronos para as 12 tribos (Judá: duas tribos; Israel: 10 tribos). Em primeira instância para trabalhar com Jesus para julgar cada judeu/israelita tem feito em sua vida e, então, reinar com Cristo sobre o novo Israel na terra nova. Veja Apocalipse 4:4 os 24 anciãos, sendo estes 12 apóstolos e 12, que representa a Igreja de Cristo.

Verso 29 O pagamento para seguir e fazer a vontade de Jesus Cristo foi dado na Mt. 25: 31-46 e 1 Coríntios 3:11-18.
A pagar o preço, com que pode pensar de deixar até membros da família e ter uma casa e ir para a missão de campo (por exemplo, na África). Deixando seus filhos adultos (e sem contatos e ver netos) se funciona no campo de missão.

Verso 30 Este versículo é esclarecido na Mt. 20. Este versículo salienta que "Os trabalhadores de onze hora" ser tratado da mesma forma como aqueles que trabalharam uma vida inteira para Jesus Cristo.

Volta MenuRetorne acima


Vinha - Mateus 20

Trabalhadores na VinhaVerso 1 As horas dos trabalhadores começam ao amanhecer e terminam com o aparecimento das estrelas. O dono de casa é o dono da vinha, que precisou dos trabalhadores necessários para colher as uvas.

Verso 2 Foi negociado com os trabalhadores na folha de pagamento: o salário de um denário foi acordado. Dado o modo de vida totalmente diferente era no tempo de Jesus, não há comparação com um valor em euros ou dólares.

Verso 3 A terceira hora, que é de nove horas da manhã. O proprietário vê ainda desempregados. O dia judaico começou no pôr do sol (dia anterior). No entanto, as horas eram contadas a partir do nascer do sol. A noite foi dividida em três vigílias.

Verso 4 Também estes desempregados foram chamados, mas sem fazer um acordo com o dono sobre o salário. Estes desempregados foram trabalhar sem saber qual pagamento que eles receberiam. Só o dono disse que ele daria um salário justo.

Versos 5-7 Da mesma forma, chegou a passar na sexta, nona e undécima hora. Origenes deixa essas horas identificadas com as idades diferentes, em que o homem torna-se um cristão. A undécima hora é cinco horas da tarde. O trabalho deve estar pronto e é por isso que o dono foi mais de uma vez para ver se há quaisquer mãos disponíveis para completar o trabalho.
Por que estivestes aqui desocupados o dia todo? Provavelmente estes desempregados ficaram dia todo sob o sol escaldante esperando até alguém los contratar. Até o proprietário também aluga-los.

Verso 8 De acordo com Lv. 19:13 teve que ser pago na mesma noite o salário: "a paga do jornaleiro não ficará contigo até à manhã". O dono (Deus) chama o Superintendente (Jesus Cristo) para pagar os salários. Começando pelos últimos, são eles que foram contratados na undécima hora.

Verso 9 Esses trabalhadores da undécima hora cada um recebe um denário, o salário total diário, apesar do fato de que eles tinham apenas trabalhando uma hora. O proprietário age aqui completamente diferente do que o esperado. Mas cada quem no final de sua vida chegou à fé em Jesus Cristo como Salvador, receberá a vida eterna no Céu. Com isso não é questão de chegou à fé no jovem ou velha idade.

Verso 10 Espero que a maneira mais humana os trabalhadores da primeira hora um salário mais elevado. Que tinham trabalhado o dia todo e não apenas uma hora.
Ou precisamos pensar de pastores, evangelistas ou missionários que começaram a trabalhar para Jesus em uma idade jovem em comparação com o que apenas os últimos anos da sua idade têm servido a Jesus? Ou o número de anos que um crente viveu sob o controle do Espírito Santo? Esta parábola está em contradição com 1 Coríntios 3:10-15?

Versos 11-12 Este salário, apesar do que foi acordado com o proprietário, os trabalhadores da primeira hora não gostariam de nenhuma maneira. Eles murmuram porque nos olhos deles um défice pode ser feito. Seu argumento é: trabalhamos durante todo o dia no sol e o calor. Os outros trabalham à noite muito mais frio. Compare também com a reação do filho mais velho na história do filho pródigo (Lucas 15:11-32).

Versos 13-16 O proprietário recorda a nomeação de um denário. O proprietário não luta suas condições de trabalho pesado, mas pontos de volta à nomeação criada. Ele é o senhor soberano, o dono da vinha. Jesus Cristo é o Senhor da vinha soberano=a Igreja. Deus tem a liberdade de dár misericórdia a quem Ele quer.
Ou são maus os teus olhos: inveja, o outro prêmio, menos malicioso. Sou bom, Deus quer doar vida eterna no Céu, ao cada um, se chegou à fé mais cedo ou mais tarde. Comparar o Jonas que murmura, porque no último momento Nínive arrepender-se e é poupado e receber o perdão. Jesus que salva a vida do assassino culpado e que reconhece Jesus. Muitos se perguntam por que Jesus salva um assassino. Estou pensando em uma história em que um assassino condenado à morte veio a fé em Jesus, pede os pais perdão, mas responderam que sua morte na cadeira elétrica era certo.
Os discípulos/crentes não aplicam-se direitos. É a graça de Deus, o trabalho do Espírito Santo, que faz capaz o crente de trabalhar na vinha, o Reino dos Céus, a Igreja de Jesus Cristo.

Jesus indo para Jerusalém - Mateus 20

Verso 17 Jesus vai para Jerusalém, em si preparando-se para a pesada tarefa de suas 40 chicotadas e morte na Cruz. Sem dúvida o seguiu uma grande multidão, assim Ele separa os doze e explica o que vai acontecer.

Verso 18 Com a palavra EIS, Jesus aponta para a situação que mudou. Já não é o Messias que cura e expulsa demônios, mas um Messias que vai sofrer e morrer. Que vai ser maltratado pelos líderes judeus espirituais e pedirão a Sua morte.

Verso 19 É os líderes judeus espirituais que irão entregar Jesus para os gentios (Pilatos, o governante romano). Além do Sinédrio também são os gentios (não-judeus) plenamente responsável pela crucificação de Jesus. São os soldados romanos que zombam de Jesus, escarnecem, açoitam e crucificam. A entrega deliberada e ação pelo chefe sacerdotes, escribas e o Sinédrio. Com a dívida dos gentios, que tinha o último e final direito de crucificar. Assim, é enfatizado a culpa dos judeus e gentios e a dívida do pecado, seja judeu ou gentio.
Escarneciam Os sarcásticos insultos pelos Romanos.
O açoite foi realizado pelos Romanos, tanto pelos judeus em sua sinagoga.
A Crucificação somente poderia ser executada pelos Romanos e como punição era desconhecida aos judeus. A Torah sabia lapidação, pendurares num madeiro (um maldito Deuteronômio 21:22-23) e queimadura com fogo (Lv. 20:14), portanto não há cremação de um crente morto. A cremação está queimando com fogo, que é um castigo de Deus. Um crente só é enterrado (volta ao pó para trás Gênesis 3:19).
O condenado tinha que carregar a madeira transversal para o local da execução. Lá o corpo era pregado na madeira transversal e em seguida a madeira transversal com o corpo foi levantado de polo perpendicularmente no chão. Não foi um apoio para os pés. Ambos os pés foram espancados com um prego na madeira. A altura da Cruz tem variado. Pouco mais de altura de um homem ou superior para ser visível de longe. Em uma placa era escrita com o motivo da condenação e pregada na Cruz.
Mateus deixa bem claro que é Deus o Pai, que ressuscitará Jesus no terceiro dia.

Verso 20 De acordo com o costume judeu é a mãe quem deseja os melhores para seus filhos e pede Jesus. Aparentemente, ela reconhece Jesus como o Messias (verso 21 em seu reino)? Ela é quem vai seguir Jesus à crucificação. Com todo respeito, dobrando-se para a terra, ela pergunta Jesus. Ela sabe sua lugar.

Verso 21 Jesus vê a dobra dela e pergunta: Que queres? Jesus vai para Jerusalém, ela está na expectativa de que Jesus inaugure seu reino e reine como Rei. De acordo com o costume judeu era a pessoa mais importante no meio, o segundo principal do lado direito e o terceiro (mais jovem) à esquerda. Provavelmente ela não estava presente quando Jesus disse que Pedro seria a pedra e para quem era dado as chaves do Reino.

Verso 22 Jesus concentra-se diretamente para os dois filhos, sem raiva e acusação, Podeis vós beber o cálice que eu estou para beber? O cálice tinha o significado de "destino". A resposta deles é levemente? ou não? Jesus tinha dito seu destino nos versos 18-19.

Verso 23 Você deve beber meu cálice. Por Tiago é conhecido que morreu cerca de 44 martirizado (Atos 12:2). Ou o João morreu como um mártir não é na Bíblia. Segundo Papias sim, de acordo com Ireneu não ou seja ele teria morrido de morte natural em Ephesus.
Mas sentado em que lugar no Reino dos Céus, é determinado por Deus o Pai e não pelo próprio Jesus.

Verso 24 Os outros discípulos estão incomodados com a solicitação para os lugares mais altos que eles queriam.

Versos 25-26 No entanto, Jesus coloca as coisas em ordem. Ele aponta para os governantes mundanos. Eles excluem cobiça por poder, riqueza e poder para seu próprio benefício e em detrimento do povo que eles testes de pressão e pesados impostos. Se não for o Reino de Deus. Lá, o Rei Jesus tem o melhor para seu povo. Grande é aquele que deseja servir. Jesus dá a Sua vida sob o açoite e a crucificação. Ele será o primeiro. O maior é aquele que quer dar a sua vida e desejo de servir, o que era considerado inferior. Com Deus está servindo como cumprindo o mandamento do amor ao próximo.
O escravo valeu como desprezível, inferior. No Reino de Deus, o senhor e o escravo seram iguais uns aos outros, sem classificação.

Verso 28 Igual o Filho do Homem, assim, segue o exemplo de Jesus. Jesus tinha deixado todo o poder e domínio no Céu é nascido como um bebê e vindo na terra. Nascido como um ser humano, deixou Sua divindade no Céu por trás. Ele veio para o castigo no pecado, cuspiu em cima, desprezado, escarnecido, açoitado pelos judeus e romanos (pagão) e morrendo na Cruz.
Resgate foi o preço que tinha que ser pago para um prisioneiro ou escravo, para que ele soltou. Jesus pagou com sua morte na Cruz e assume o castigo pecado em Si, como resgate da morte e da punição sobre o pecado do homem (por cada um que acredita em Jesus Cristo como Salvador).

Verso 29 Jericó era um lugar de trânsito no caminho para Jerusalém, próspero e rico.

Verso 30 Duas pessoas cegas que estavam na estrada, sem dúvida pederam esmolas a sua subsistência. Eles esperam para a cura e falar com Jesus Senhor e Filho de Davi. Senhor, um reconhecimento do mestre (rabino) e Filho de Davi como aquele que iria destruir os inimigos de Israel e seria levar o povo judeu a perfeição.

Verso 31 A multidão repreendeu-os, eles não desejam que Jesus é assediado. Mas os dois cegos não desistem, eles sabem que Jesus pode curar a sua cegueira, não ser capaz de ver, pedindo dinheiro, e serem guiados.
Afastar os crentes, pessoas que querem conhecer Jesus. Recomendamos seu silêncio para que podemos ouvir uma pregação? Ou levamos a pessoa de lado e vamos explicar o Evangelho. Vamos mostrar misericórdia?

Verso 32 Jesus tinha misericórdia e fica parado. Ele os chama e pergunta o que eles querem. Claro, Jesus sabe o que eles desejam. Antes mesmo de um crente pede algo a Jesus. Jesus já sabe o que o crente necessidade e desejo. No entanto, Jesus quer que o crente tira o ar de coração e pergunta o que lo desejo.

Verso 33 Mais uma vez o respeitoso Senhor. Com um simples pedido que eles podem ver.

Verso 34 Jesus tem compaixão e toca os olhos dos cegos. Vê-lo imediatamente. A reação das duas pessoas cegas é que eles seguem a Jesus. Com isto Mateus acaba as curas por Jesus, mas também o seguir de Jesus.

Volta MenuRetorne acima